Parque das Ruinas será palco para apresentação do espetáculo “A Descoberta da Américas”

A peça “A descoberta das Américas” segue sua em circulação pelas Lonas Culturais e Arenas Cariocas. Comemorando seus 10 anos de apresentações ininterruptas em grande estilo. No próximo sábado e domingo, 2 e 3 de abril, desembarca no Centro Cultural Parque das Ruínas em Santa Teresa, ás 19h. Entrada franca.

A realização de um circuito popular, visitando espaços da periferia do Rio do Janeiro era um desejo antigo. De acordo com o ator Júlio Adrião, a proposta é “voltar às origens, realizando um circuito por locais mais periféricos do Rio, corresponder a uma demanda que segue viva e intensa. Queremos dar a chance a jovens que hoje tem 18 anos assistirem ao que ouviram falar de outros jovens que hoje já chegam aos 30”.

Este ano o desafio será o de conquistar o público da periferia do Rio e articular junto às secretarias de educação garantindo  que alunos de escolas municipais, estaduais e EJAS assistam ao espetáculo. A produção realiza ainda uma ação com foco na acessibilidade: haverá a presença de interprete de libras em algumas apresentações.  Haverá um bate papo com o ator Júlio Adrião e a diretora Alessandra Vannucci após as apresentação do espetáculo.

“A Descoberta”, que foi eleito pelo jornal O Globo como uma das dez melhores peças de 2005 e rendeu o premio Shell de melhor ator para Julio Adrião, passará ainda por Madureira, Maré, Anchieta, Guadalupe, Maguinhos, Pavuna, Vista Alegre, Bangu, Santa Tereza e Centro. Toda circulação é patrocinada pela Prefeitura e Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, através do Programa de Fomento à Cultura Carioca. 

É um retorno à origem, ao porto de saída, de onde “A descoberta” saiu percorrendo um longo e brilhante caminho. Em seu histórico contabiliza mais de 500 apresentações para um público superior ao de 150 mil pessoas, participação em importantes festivais, temporadas em vários estados brasileiros e apresentações no exterior. Os mares levaram o espetáculo a Portugal, Cabo Verde, Angola, Inglaterra, Espanha, Chile e Macau.

A crítica Barbara Heliodora, classificou o espetáculo como uma “pequena obra de ourivesaria”. O texto da especialista corrobora com outros tantos, colecionados ao longo da carreira da peça. O espetáculo passou por quase todos os estados brasileiros, participou de importantes festivais no Brasil e exterior e representou o Brasil no Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica (FITEI) e antes disso, brilhou no festival MITO, realizado na cidade de Oeiras, onde arrancou aplausos ininterruptos durante 10 minutos.

Sinopse
Acontece que um Zé ninguém de nome Johan Padan, rústico, esperto e carismático, escapa da fogueira da inquisição embarcando, em Sevilha, numa das caravelas de Cristóvão Colombo. No Novo Mundo, nosso herói sobrevive a naufrágios, testemunha massacres, é preso, escravizado e quase devorado pelos canibais. Com o tempo, aprende a língua dos nativos, cativa-os e safa-se fazendo “milagres” com alguma técnica e uma boa dose de sorte.  Venerado como filho do sol e da lua, catequiza e guia os nativos numa batalha de libertação contra os espanhóis invasores.

SERVIÇO
Dias:  2 e 3 de Abril (sábado e domingo)
Horário: 19h
Local: Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas
Endereço:  R. Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa
Tel:  2215-0621 / 2224-3922.
Entrada Franca – (retirada dos ingressos a partir de uma hora antes do espetáculo)
Lotação: 80 lugares
Tempo de Duração: 80 min
Classificação indicativa: 14 anos.

FICHA TÉCNICA

Texto original Dario Fo
Tradução e adaptação Alessandra Vannucci e Julio Adrião
Direção Alessandra Vannucci
Atuação Julio Adrião
Iluminação Luiz André Alvim
Operação de Luz  Guiga Ensá
Figurino Priscilla Duarte
Programação visual Fernando Alax
Fotografias Maria Elisa Franco
Coordenação de Produção Thaís Teixeira
Produção Executiva Thais Teixeira e Martha Avelar
Administração e Prestação de contas Martha Avelar
Realização Julio Adrião Produções Artísticas Ltda. e EmCartaz Empreendimentos Culturais

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui