Palácio do Catete é tema de fotolivro da artista Adriana Fontes

‘Vestes, Vestígios, Rastros do Tempo’ traz uma releitura das fotografias utilizadas na instalação audiovisual sobre o Museu da República, em 2014/2015

A artista Adriana Fontes lança seu fotolivro Vestes, Vestígios, Rastros do Tempo. A edição bilíngue (português e inglês) é um desdobramento da instalação audiovisual de mesmo nome, realizada na Galeria do Lago, entre dezembro de 2014 e fevereiro de 2015. Com 100 páginas, a edição reúne 98 fotografias selecionadas da exposição. O livro tem direção de arte de Roberto Caldas – Garagem Design Integrado, com selo da Editora Philae.

A exposição poético-visual Vestes, Vestígios, Rastros do Tempo, que gerou o livro, foi um site specific (trabalho de arte criado exclusivamente para a galeria),  desenvolvido a partir de estímulos sensoriais e poéticos do Palácio do Catete (atual Museu da República), com curadoria de Isabel Portella. Ao longo de 12 meses, Adriana capturou imagens e sons do museu, numa “conversa” imaginária com o espaço, palco de tantos acontecimentos sociais, articulações políticas e momentos de comoção nacional. A pesquisa transformou-se em dois vídeos projetados em tecidos fluidos que pendiam do teto. As imagens e a trilha sonora remetiam ao palácio como um local imaginário, transportando o espectador a outros espaços. O livro reúne uma série de fotografias feitas para essa instalação, na Galeria do Lago.

“O olhar de Adriana Fontes recai sobre detalhes que a cercam e coloca sobre eles novas luzes. As fotos vão revelando a delicadeza captada por Adriana em fragmentos de um tempo que antes parecia estagnado. São rastros do passado, vestígios que deixam pistas do que ocorreu nos salões centenários do Palácio da República”, comenta Isabel Portella. “O fotolivro é mais do que uma reprodução das imagens da exposição. Aqui, o discurso toma uma forma bidimensional, num tempo linear e sequencial, determinado pelo próprio objeto. As imagens são trabalhadas em duplas, criando novas frases visuais e novas sequências poéticas. A impressão traz uma nova dimensão perceptiva, revelando estilos que passam do abstrato à fotografia clássica”, explica Roberto Caldas.

A ARTISTA
Adriana Fontes especializou-se em Figurino Histórico Teatral e Cinematográfico, na Escola Arte Moda, em Florença (Itália); e em Pintura na Escola de Belas Artes Massana, em Barcelona (Espanha). Graduou-se em Licenciatura em Artes pela Bennett/RJ, fez pós-graduação em História da Arte e da Arquitetura no Brasil na PUC-RJ, e mestrado em História Social da Cultura também pela PUC-RJ. Fez diversos cursos de pintura, desenho e escultura na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (RJ). Foi Professora de Artes (e Figurino) em projetos culturais e em cursos no Rio de Janeiro, como na Universidade Estácio de Sá. Foi Cenógrafa e Figurinista em diversas produções teatrais e cinematográficas, como o grupo O Tal. Atuou no Atelier de Cerâmica, desenvolvendo peças escultóricas e utilitárias. No campo de Arte e Educação, trabalhou em importantes projetos, como o Núcleo de teatro da Escola de Artes Visuais do Parque Lage ; Programa Educativo do CCBB – RJ; Núcleo de crianças e jovens da Escola de Artes Visuais do Parque Lage; MAM Educação (RJ); e Centro Cultural Telemar (RJ). Fez pesquisa histórica de arte para a novela Paixões proibidas. No Museu Histórico Nacional (RJ), realizou a exposição Caminhos de Santiago; Arte no Período Românico em Castela e Leão. Fez a coordenação pedagógica do programa educativo do Museu das telecomunicações/Centro Cultural Oi Futuro (RJ).  

EDITORA PHILAE
A Editora Philae foi fundada em 2011 pelos sócios Gabriela Weeks e Marcus Telles. Philae remete a uma ilha no rio Nilo, no sul do Egito, que resistiu à imposição do Império Romano de proibir as religiões não cristãs, do século IV ao VI. A escolha do nome simboliza a crença na troca cultural como forma de preservar a diversidade e as singularidades locais. Os primeiros lançamentos da Editora Philae foram romances de novos autores em língua portuguesa. Em sua estreia, foi contemplada com o Edital de Apoio a Novos Autores Fluminenses da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, com o romance “A escolha de Sócrates”, de Claudio Telles. Em 2014, iniciou seus lançamentos na área de artes, com o livro “Cabeça”, de Milton Machado, com apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro. Em setembro de 2015, lançou o aplicativo Casa da Marquesa de Santos, em convênio com a Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro e patrocínio da Prefeitura do Rio de Janeiro. Esse aplicativo resgata o rico acervo da Casa da Marquesa de Santos, antigo Museu do Primeiro Reinado, em processo de reforma para se transformar no Museu da Moda Brasileira. Junto com a Secretaria de Cultura do Município do Rio de Janeiro, a editora está produzindo a exposição virtual e o livro com o acervo do Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro. Também está em produção, com lançamento em janeiro de 2016, o livro comemorativo dos 20 anos de carreira do artista Walter Goldfarb, com patrocínio dos Correios.

FICHA TÉCNICA

Livro: Vestes, Vestígios, Rastros do Tempo
Autora: Adriana Fontes
Fotografias: Adriana Fontes
Direção de Arte: Roberto Caldas – Garagem Design Integrado
Idiomas: português e inglês
Tradução: Jean Marc Schwartzenberg
Curadoria da exposição: Isabel Portella
Revisão: Duda Costa
Nº de páginas: 100
ISBN: 978-85-65506-11-3
Classificação: Arte moderna – Brasil/Fotografia – Brasil
Editora: Philae – Tel. 21 3549 1093 – www.editoraphilae.com.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui