Ouça “Qualquer Lugar”, primeira faixa do novo álbum do Cabana Café 

Música trabalha o cotidiano instantâneo da contemporaneidade e a vida em tempos digitais 

Reconhecer a já antiga sensação de que o fato de tudo acontecer ao mesmo tempo, a todo o tempo e em qualquer lugar nos leva a um estado anestesiado de viver é um sinal do amadurecimento dos paulistas do Cabana Café. A ideia se transformou na proposta de seu novo trabalho, precursor do elogiado Panari (2013) e ainda em processo de concepção, e na maneira como o grupo que mistura indie com bossa tem conduzido o projeto.
 
As referências da banda, como Caetano Veloso e Broken Social Scene, se juntaram a ícones do isolamento em forma de conexão: smartphone e internet. A primeira faixa produzida, Qualquer Lugar, foi feita de forma instantânea, em estúdio, com anotações do bloco de notas de um celular que descreviam cenas reais. A capa da faixa foi feita por um aplicativo de celular pela artista Thaís Castilho. As sugestões surgiam simultaneamente. A vida é agora, é imediata. 
Foto:  Cassio Cricor
Foto: Cassio Cricor
 
Qualquer Lugar foi gravada e mixada por Taian Cavalca no MonoMono Studio, masterizada por Maurício Gargel e distribuída pelo selo Balaclava Records. Pra seguir com as novidades, o grupo anunciou o sexto integrante Hafa Bulleto (BIKE) e a volta de sua formação com duas guitarras, assumidas agora por Hafa e Zelino Lanfranchi (Parati). Completam a banda Mário Gascó (DesReal) na bateria, Taian Cavalca nos synths, Gustavo Athayde (Peaches and Cream) no baixo e Rita Oliva (Parati) no vocal macio e marcante.
Como faz pra sair da bolha e cair no aqui, agora?
 
Ouça “Qualquer Lugar”
 

Qualquer Lugar
 
Aquele momento 
em que a pessoa tosse com catarro do seu lado
no carro, no ônibus, na cara, no elevador
Em qualquer lugar, que não entre ar
 
Molho de chave, abridor de garrafa no cinto
Muito à vontade no metrô
Sem apoio, se equilibra num pé só
Só pra chegar em qualquer lugar
 
Refrão
Acordado eu passo mais uma estação sem ver
Quanto mais eu olho, mais esqueço de sair
Desse lado eu acho que ninguém vai perceber
Todas as pessoas no celular
 
O ressaca brava deita no banco
A menina levanta pra não encostar
Mas, se cair o sinal, como que eu vou te mostrar
Se tudo que eu escrevo é pra distrair
Então tudo volta ao normal
 
E tudo vai dar no mesmo lugar (4x)
 
Refrão
Acordado eu passo mais uma estação sem ver
Quanto mais eu olho, mais esqueço de sair
Desse lado eu acho que ninguém vai perceber
Todas as pessoas no celular
2x 
 
 

DEIXE UM COMENTÁRIO