Obras de “Velho Chico” levam a assinatura do artista visual Raimundo Rodriguez

Foto - Luisa Gomes Cardoso
Foto - Luisa Gomes Cardoso

Em sua estreia no horário nobre, ele é o responsável pelos objetos religiosos da novela da TV GLOBO; Em paralelo, apresenta individual na UERJ e participa de coletiva  no MAR

Desde 14 de março, data da estreia da nova novela das 21h da TV GLOBO, “Velho Chico”, é possível estar mais perto do trabalho do artista visual Raimundo Rodriguez. Responsável por todos os oratórios dos personagens, bem como altares, santos e outros objetos intimamente ligados a religiosidade, Raimundo compõe os ambientes artísticos no qual decorrem as cenas da trama escrita por Benedito Rui Barbosa e dirigida por Luiz Fernando Carvalho.  

O último trabalho de Raimundo na TV foi na novela Meu Pedacinho de Chão (TV GLOBO, 2014) também como artista plástico. Ele foi o responsável pela construção de todos os ambientes da trama. Por conta disso, sua série “Latifúndios” tornou-se um dos assuntos mais comentados na época. A obra  foi incorporada à arquitetura de toda a fictícia “Vila de Santa Fé”,  onde casas, portas, paredes, janelas, altares, molduras, cimalhas e inúmeros detalhes foram criados a partir de latas de tinta descartadas e,  em suas mãos, ganharam um novo significado. Anteriormente o artista já havia realizado, entre outros trabalhos, a direção de arte das microsséries “A Pedra do Reino”, “Capitu” e “Alexandre e Outras Heróis”. Raimundo atuou ainda como artista plástico em “Hoje é Dia de Maria”.

Em diversos veículos, tais como Teatro, Carnaval, Centros Culturais, Vídeos e TV, as criações de Rodriguez ultrapassam limites e preenchem lacunas de expressão.  No Brasil é raro ver um artista plástico ser contratado por uma TV para desempenhar essa atividade profissional.

Em “Velho Chico” Raimundo e sua equipe confeccionaram mais de 500 imagens de santos e dezenas de estandartes e oratórios. Entre elas os oratórios dos personagens Doninha (Bárbara Reis), Belmiro (Chico Díaz), Leonor (Marina Nery), Rosa (Rodrigo Lombardi) e Encarnação (Selma Egrei).

Outras peças especiais ligadas ao tema de religiosidade também levam a assinatura de Raimundo Rodriguez. Como por exemplo, o altar de 8 metros por 6 metros construído, utilizando materiais reaproveitados dos descartes do Projac, para o casamento dos personagens Afrânio (Rodrigo Santoro) e Leonor (Marina Nery) e Maria Thereza e Carlos Eduardo. Essa peça ficará de presente para o Convento de Santo Antônio, em São Francisco do Paraguaçu, em Cachoeira (BA) após o final das filmagens de “Velho Chico”.

Exposições em cartaz

Multiversos: Revisto e Ampliado
A mostra reúne na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) pinturas, desenhos, colagens e esculturas de Raimundo Rodriguez,  entre os dias 17 de março e 29 de abril. As obras são confeccionadas com diversos materiais, entre eles latas, caixas de leite e tecidos. A Galeria Gustavo Schnoor fica na Rua São Franscico Xavier, 524, Maracanã, Rio de Janeiro – RJ e está aberta de segunda a sexta, de 9h às 20h. Informações: 2334-0114. Entrada franca.

Rio Setecentista, quando o Rio virou Capital
Raimundo Rodriguez participa da coletiva apresentando a obra “Cavalo de São Jorge”, que inspirou a criação de obra homônima utilizada pela comissão de frente  da G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis no Carnaval de 2013. O artista expõe ao lado de grandes nomes como Adriana Varejão, Augusto Malta, Pierre Verger, Rugendas e Debret. Em cartaz no Museu de Arte do Rio (MAR), na Praça Mauá, 5, Centro, Rio de Janeiro – RJ, até 8 de maio. O local funciona de terça a domingo e aos feriados, de 10h às 17h. Entrada franca as terças-feiras e no último domingo do mês. Informações: 3031-2741

Sobre o artista
Raimundo Rodriguez nasceu no Ceará, em 1963, e, desde 1969, mora no Rio de Janeiro. Ele é um dos fundadores do Imaginário Periférico, grupo que atua na pesquisa artística no contexto sociocultural contemporâneo. Já possuiu duas galerias físicas no Rio (o Espaço Imaginário e a Caza Arte Contemporânea) e agora segue com o projeto Caza Intinerante – que constitui parcerias com outros artistas e galerias e tem como carro-chefe o jornal Página da Caza especializado no segmento.

É o responsável artístico e curador da galeria Café Baroni, localizada no edifício Bolsa do Rio (na Praça XV). Sua fonte de inspiração vem da arte popular brasileira, do neodadaísmo, do dadaísmo, do neorrealismo e pop art.

Raimundo Rodriguez é representado pela Sergio Gonçalves Galeria de Arte (www.sergiogoncalvesgaleria.com) pela qual tem participando das edições da SP-Arte, Artefacto, bem como de feiras internacionais, como a Pinta (Nova York) e Parte, sempre com grande destaque.

Para saber mais sobre o artista e sua obra acesse o blog www.raimundorodriguez.blogspot.com.br e curta a página oficial do artista no Facebook:www.facebook.com/rraimundorodriguez

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO