Obra de Carlos Reichenbach é revisitada em mostra na Caixa Cultural

Filmes, debate e exibição de documentário inédito sobre o cineasta estão na programação

ALMA CORSARIA - David, Abrahão, Andréa e Bertrand
ALMA CORSARIA - David, Abrahão, Andréa e Bertrand

Um dos principais expoentes do cinema dito “marginal” e da “Boca do Lixo” (de São Paulo) terá sua obra revisitada na mostra Carlos Reichenbach – O Cinema de Autor Brasileiro, de 5 a 17 de maio, na Caixa Cultural do Rio de Janeiro. Sob curadoria do crítico de cinema Mário Abbade, serão exibidos os principais filmes do diretor gaúcho em 35mm e em DVD, entre curtas metragens e longas, mostrando o melhor do cineasta falecido em 2012, que deixou uma intensa filmografia. A mostra também exibirá pela primeira vez o documentário “Carlos Reichenbach: Relatório Confidencial”, de Eugênio Puppo. Os fãs de Reichenbach também poderão participar do debate com o curador Mário Abbade e os críticos Leonardo Luiz Ferreira e Daniel Caetano, no dia 7 de maio, às 19 horas, no Cinema 1.  Ingressos a R$ 4 (R$ 2, a meia).

Vários atores consagrados fizeram parte do elenco de filmes de Reichenbach, entre eles Betty Faria, Cauã Reymond, José de Abreu, Selton Melo, entre outros. Serão exibidos filmes como “Liliam M – Relatório Confidencial” (1975), “A ilha dos prazeres proibidos” (1979), “Império do desejo” (1981), “Filme demência” (1985), “Anjos do arrabalde” (1987), “Alma corsária” (1993), “Garotas do ABC” (2003), “Falsa Loura” (2007), entre outros. Carlão, como também era conhecido, morreu exatamente no dia de seu aniversário.

“Considerado um intelectual, o cineasta, professor da USP com formação em Literatura, tem uma obra plural que contempla tanto filmes transgressores, experimentais e marginais, quanto produções de rigor técnico extremo, passando por clássicos e longas que agradam em cheio às plateias, seja sob a ótica do conteúdo social e da anti-opressão. A mistura de gêneros, a subversão da sintaxe cinematográfica, a música como personagem da narrativa são algumas das marcas que fizeram do cinema de Carlos Reichenbach um cinema anticonvencional.”, diz o curador Mário Abbade, que também é crítico de cinema e jornalista.

Nascido em Porto Alegre, em 1945, Carlos Reichenbach logo se mudou  para a capital paulista, cidade presente em boa parte de sua filmografia. Seu primeiro trabalho como diretor foi o curta-metragem “Esta Rua Tão Augusta” (1969). O nome de Reichenbach, que também foi professor do curso de Cinema da Universidade de São Paulo (USP), é também associado a produções do cinema marginal e da Boca do Lixo, região central da cidade de São Paulo. Ali, faziam-se filmes de baixo orçamento e de temática ousada e autoral. Rogério Sganzerla (“O Bandido da Luz Vermelha”), Ozualdo Candeias (“A Margem”) e José Mojica Maris, o Zé do Caixão, são outros representantes daquele movimento cinematográfico que ganhou corpo a partir da década de 1960.

Cinéfilo declarado, em 2003, Reichenbach ganhou prêmio especial do júri no Festival de Brasília, pelo filme “Garotas do ABC”. Dez anos antes, “Alma corsária” já havia lhe rendido o Candango – principal premiação do festival – nas categorias melhor diretor, melhor filme e melhor roteiro. Já no Festival de Gramado, ele venceu o Kikito de Ouro de melhor diretor, por “Filme demência” (1986), e o de melhor filme, por “Anjos do Arrabalde” (1987).  

Sua obra também alcançou reconhecimento internacional: na década de 1980, quando foi tema de uma mostra no Festival de Roterdã, na Holanda, evento que, em sua edição de 2011 exibiu uma cópia restaurada de “Liliam M” (1975).

Falsa Loura ( esquerda para a direita) Tetê, Tito e Silmara) - Foto Luciana Figueiredo
Falsa Loura ( esquerda para a direita) Tetê, Tito e Silmara) – Foto Luciana Figueiredo

Debate
Dia 7 de maio, às 19h, gratuito

Debatedores:  

Daniel Caetano – cineasta, diretor e produtor de curtas e longas metragens. Professor do departamento de Artes e Estudos Culturais da UFF. Foi colaborador de revistas como Contracampo, Cinética e Filme Cultura.

Leonardo Luiz Ferreira – cineasta, crítico de cinema e jornalista. Membro da ACCRJ, já trabalha com crítica de cinema há 16 anos, com participações em diversos veículos, entre eles Almanaque Virtual, Jornal do Brasil, Contracampo e Revista Paisà. Codiretor do longa Chantal Akerman, de cá, da série televisiva Cinema de Bordas e diretor do curta Paisagem Interior.

Mário Abbade –  crítico,  jornalista e publicitário, passou pelas revistas Movies USA e Pipoca Moderna, TV Bandeirantes, Site Omelete, Jornal do Brasil e Tribuna da Imprensa. É Jurado pela FIPRESCI (Federação Internacional da Crítica Cinematográfica) em diversos festivais de cinema. Atualmente é editor do site Almanaque Virtual (parceiro do portal UOL), membro da equipe de críticos de cinema do Jornal o Globo, além de continuar exercendo as funções de jurado, curador de mostras e ministrar o curso de extensão sobre a crítica cinematográfica.

Serviço:

Mostra Carlos Reichenbach – O Cinema de Autor Brasileiro

Datas: de 5 a 17 de maio
Horário: Consultar a programação
Debate: dia 7 de maio às 19 horas – Cinema 1 (com o curador Mário Abbade e os críticos Leonardo Luiz Ferreira e Daniel Caetano)
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 1
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Ingressos: R$4 (inteira) e R$2 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia-entrada.
Bilheteria: terça-feira a domingo, das 10h às 20h
Lotação: Cinema 1 – 78 lugares (mais 3 para cadeirantes)
Classificação: Consultar Programação
Acesso para pessoas com deficiência

Sinopses

Alma Corsária (1993). Com Bertrand Duarte, Jandir Ferrari, Andrea Richa.
Sinopse: Rivaldo Torres e Teodoro Xavier, amigos de infância, lançam o livro “Sentimento Ocidental”. Os poetas convidam pessoas dos mais variados estilos para o evento. Entre eles está um suicida em potencial, salvo por Torres no Viaduto do Chá. Ao mesmo tempo em que a festa avança, Torres e Xavier relembram como iniciou a amizade entre eles. 116 minutos. 16 anos.

Amor, Palavra Prostituta (1982). Com Orlando Parolini, Patrícia Scalvi, Roberto Miranda.
Fernando, professor desempregado, vive à custa de sua companheira, a operária têxtil Rita. Num fim de semana, o casal se reúne com um técnico de computação e a namorada. Esse é um reacionário, que usa as mulheres apenas como objeto. Os casais encontram um homem enforcado. 92 minutos. 16 anos.

Audácia! – Episódio: A Badaladíssima dos Trópicos X Os Picaretas do Sexo (1969). Com Maria Cristina Rocha, Palito, Sabrina.
A cineasta Paula Nelson decide conseguir dinheiro com o namorado para fazer seu primeiro longa-metragem. No dilema de ter que ceder as pressões dos produtores da Boca do Lixo, a cineasta e equipe atravessam os dias em bebedeiras e perambulações pela cidade. 42 minutos (episódio) e 87 minutos (filme). 16 anos.

Avanti Popolo (2012). Direção: Michael Wahrmann. Com Carlos Reichenbach, André Gatti, Eduardo Valente.
Um dia, André encontra uma série de películas Super 8mm, filmadas por seu irmão durante a ditadura militar dos anos 1970. Com estas imagens, ele se lembra das histórias vividas por seu pai, um homem que até hoje espera pelo filho, desaparecido há mais de 30 anos. 72 minutos. 12 anos.

Bens Confiscados (2004). Com Betty Faria, Renan Augusto, Werner Schünemann.
Américo Baldani, poderoso senador da República, é denunciado publicamente pela esposa Valquíria por corrupção, tráfico de influências e bigamia. Quando sua amante, a estilista Isabela Siqueira, se suicida, ele manda sequestrar Luís Roberto, o secreto filho bastardo, e o esconde da imprensa e dos inimigos políticos numa cidade balneária no extremo sul do país. Para cuidar dele o senador convence uma antiga amante, a enfermeira Serena. 108 minutos. 16 anos.

Trecho no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=cWOTXA21iaY

Dois Córregos (1999). Com Carlos Alberto Riccelli, Ingra Liberato, Beth Goulart.
Em meio à repressão imposta pela ditadura militar vivem Ana Paula e Lydia, duas adolescentes burguesas e inexperientes que passam uma temporada em uma fazenda. Lá elas conhecem Tereza e convivem por um fim de semana prolongado com o tio de uma delas, Hermes, um homem misterioso que está clandestino no país. 112 minutos. 14 anos.

Trecho no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=gDHbxEr-kB0

Essa Rua Tão Augusta (1968). Narração de Oswaldo Calfat.
Documentário que registra o cotidiano de uma das ruas mais conhecidas de São Paulo, enfocando figuras exóticas e populares. 7 minutos. Livre.

Trecho no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=gvvOoSEwbok

Equilíbrio e Graça (2002). Com Plínio Soares, Masamitsu Adache, Luciana Brites.
Um encontro para cerimônia do chá verde entre um notável pensador católico e o teórico e introdutor do Zen no Ocidente. 12 minutos. 14 anos.

Trecho no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=MaEF6ai8ZO8

Extremos do Prazer (1984). Com Luiz Carlos Braga, Taya Fatoom, Roberto Miranda.
Professor universitário se auto exila numa casa de campo com dois casais. A chegada de um jovem casal coloca em xeque a segurança dos demais personagens. 92 minutos. 16 anos.

Falsa Loura (2007). Com Rosanne Mulholland, Cauã Reymond, Djin Sganzerla.
Silmara é uma bela operária que sustenta seu pai, Antero, um ex-presidiário que foi deformado pelo fogo. Ela tenta a todo custo manter um relacionamento amigável com ele e com seu irmão caçula, Tê. Na fábrica em que trabalha, Silmara é incentivada a ajudar Briducha, uma mulher tímida e solitária. As duas e Regina vão ao show do grupo Bruno e os Andrés, onde Silmara conhece e se envolve com Bruno, ídolo da banda. Logo Silmara se torna o sonho de suas amigas, por representar a chance de uma rápida ascensão social. 97 minutos. 16 anos.

Trecho no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=9hm2ffziH0U

Filme Demência (1986). Com Ênio Gonçalves, Emílio di Biasi, Imara Reis.
O empresário Fausto mergulha no interior de si mesmo após sua falência e sai pela noite de São Paulo encontrando personagens emblemáticos, incluindo Mefisto. 90 minutos. 16 anos.

Garotas do ABC (2003). Com Antonio Pitanga, Selton Mello, Michelle Valle.
Aurélia (Michelle Valle) é uma jovem tecelã negra, que trabalha em uma indústria têxtil recém-saída da concordata e é fã do astro Arnold Schwarzenegger. Ao seu redor se desenvolvem os três eixos narrativos do filme: a família de Aurélia – pai, mãe, irmão, tia e sobrinha -, as colegas do clube operário e da tecelagem e o bando racista que acompanha o seu namorado fascista. 125 minutos. 16 anos.

Trecho no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=rAim5IZi5cI

Guru e os Guris, O (1973). Direção: Jairo Ferreira. Fotografia e produção: Carlos Reichenbach.
Documentário sobre Maurice Legeard (1925-1997), o mítico fundador da Cinemateca de Santos, e sua paixão pelo cinema. Crítico e realizador, Legeard foi ainda um dos gurus do cineclubismo brasileiro como atividade de vanguarda. 12 minutos. Livre.

Império do Desejo, O (1981). Com Roberto Miranda, Benjamin Cattan, Marcia Fraga.
Sandra vai ao litoral recuperar a sua casa de praia tomada por grileiros. Na estrada dá carona a um casal de hippies, que se tornam caseiros de sua propriedade. O local passa a ser frequentado por uma galeria de personagens exóticos. 105 minutos. 16 anos.

Libertinas, As – Episódio: Alice (1968). Com Célia de Assis, Terezinha Sodré, José Carlos Cardoso.
Escritor e sua mulher instalam-se em uma colônia de férias numa cidade balneária de São Paulo. Para fugir do tédio matrimonial, envolvem-se com vários personagens. 40 minutos (episódio). 90 minutos (filme). 16 anos. (ainda em negociação)

Lilian M., Relatório Confidencial (1975). Com Célia Olga Benvenutti, Benjamin Cattan, Sérgio Hingst.
Maria abandona o marido lavrador e os dois filhos pequenos seduzida por um caixeiro-viajante; ela sofre um trágico acidente de carro e segue sozinha para tentar a vida em São Paulo. Perdida, é presa sem documentos, mas uma assistente social arruma-lhe emprego na casa do industrial Braga. Os dois tornam-se amantes e Maria é rebatizada de Lilian, nome da mãe de Braga. No trágico caminho da miséria ao luxo Lilian vai se envolvendo com excêntricos tipos humanos. 120 minutos. 16 anos.

Trecho no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=iOHpvLJJmWY

“M” da Minha Mão, O (1979).
Documentário sobre o acordeonista e compositor Mario Gennari Filho, autor de Baião Caçula e O M da Minha Mão. O filme constrói relações entre a sonoridade das músicas desse compositor, cego de nascença, e uma percepção da periferia de São Paulo. 9 minutos. 14 anos.

Trecho no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=rZxGJr9BcUo

Olhar e Sensação (1994).
Documentário experimental: voo livre na direção da memória, do instinto, do olhar e das sensações. A cidade incógnita através da pupila de animais enjaulados. 10 minutos. Livre.

Paraíso Proibido, O (1971). Com Jonas Bloch, Selma Egrei, Fernando Benini.
Celso Felix, radialista de sucesso na metrópole e desiludido com sua rotina de vida, abandona mulher e filhos, e muda-se para uma pequena cidade balneária do litoral de São Paulo. Ali, empregado em uma modesta estação de rádio local, tenta afogar sua frustração existencial em jornadas etílicas com o amigo Goiaba e nos braços de uma jovem caiçara e de uma intelectual, que se instalou ali para concluir sua tese de mestrado. 95 minutos. 14 anos.

Sangue Corsário (1979). Com Orlando Parolini, Roberto Miranda.
Perambulando por São Paulo, um bancário encontra um amigo da década de 60, poeta e andarilho urbano com o qual viveu intensamente os anos da contracultura. 10 minutos. 14 anos.

Trecho no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=amCnnlgr3nE

Sonhos de Vida (1979). Com Patrícia Scalvi, Misaki Tanaka, Roberto Galante.
Duas operárias da periferia de São Paulo empreendem uma viagem ao mais próximo balneário de águas termais. 10 minutos. 16 anos.

Programação Reichenbach

5/5
15h Audácia – 87 min (16 anos) – DVD
16h50 Lilian M., Relatório Confidencial – 120 min (16 anos) – DVD
19h10 Amor, Palavra Prostituta – 92 min (16 anos) – 35mm

6/5
15h O Império do Desejo – 105 min (16 anos) – DVD
17h O Paraíso Proibido – 95 min (14 anos) – 35mm
19h Filme Demência – 90 min (16 anos) – 35mm

7/5
15h Alma Corsária – 116 min (16 anos) – DVD
17h20 Dois Córregos – 112 min (14 anos) – 35mm

19h10 Debate O CINEMA DE CARLOS REICHENBACH com os críticos Daniel Caetano e Leonardo Luiz Ferreira, e mediação do curador Mario Abbade

8/5

15h Curtas: Essa Rua Tão Augusta – DVD / Equilíbrio e Graça – DVD / O Guru e os Guris – 35mm / O “M” da Minha Mão – DVD / Olhar e Sensação – DVD / Sangue Corsário – DVD / Sonhos de Vida – DVD > total: 70 min (14 anos)

16h40 Garotas do ABC – 125 min (16 anos) – DVD

19h15 Carlos Reichenbach: Relatório Confidencial – 76 min (14 anos)

9/5

14h Bens Confiscados – 108 min (16 anos) – 35mm

16h10 Extremos do Prazer – 92 min (16 anos) – 35mm

18h Audácia – 87 min (16 anos) – DVD

10/5

18h As Libertinas – 90 min (16 anos) – 35mm –

12/5

15h Lilian M., Relatório Confidencial – 120 min (16 anos) – DVD

17h20 Amor, Palavra Prostituta – 92 min (16 anos) – 35mm

19h10 Filme Demência – 90 min (16 anos) – 35mm

13/5

15h Dois Córregos – 112 min (14 anos) – 35mm

17h20 O Império do Desejo – 105 min (16 anos) – DVD

19h20 Avanti Popolo – 72 min (12 anos) – DVD

14/5

15h Alma Corsária – 116 min (16 anos) – DVD

17h20 Extremos do Prazer – 92 min (16 anos) – 35 mm

15/5

15h Garotas do ABC – 125 min (16 anos) – DVD

17h20 As Libertinas – 90 min (16 anos) – 35mm –

16/5

14h Bens Confiscados – 108 min (16 anos) – 35mm

16h15 Avanti Popolo – 72 min (12 anos) – DVD

18h Falsa Loura – 97 min (16 anos) – 35mm

17/5

15h Curtas: Essa Rua Tão Augusta – DVD / Equilíbrio e Graça – DVD / O Guru e os Guris – 35mm / O “M” da Minha Mão – DVD / Olhar e Sensação – DVD / Sangue Corsário – DVD / Sonhos de Vida – DVD > total: 70 min (14 anos)

17h20 Garotas do ABC – 125 min (16 anos) – DVD

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui