O suingue do Jazz invade a Orquestra Violões do Forte de Copacabana

O jazz vai marcar presença no Forte de Copacabana na próxima apresentação da orquestra Violões do Forte de Copacabana, que acontece no dia 12 de março, às 18h, os músicos recebem uma Comitiva de empresários da Cidade de Dallas. Para celebrar o encontro, algumas famosas canções do gênero farão parte do repertório. A entrada é gratuita.

Em conjunto com a Orquestra SindRefeições- RJ, os músicos, inspirados na visita da Comitiva, dedicaram os ensaios das últimas semanas a arte do jazz. Entusiasmados com o novo ritmo, prometem uma apresentação cheia de balanço que trará músicas como Spain (Chick Corea) e The Chicken (Pee Wee Ellis) no repertório, para animar o por do sol carioca.  

A Câmara Texana de Comércio no Brasil se encantou com o projeto e promove a visita de empresários americanos que estarão no País. “Estamos desenvolvendo um projeto de parceria com a Orquestra Violões Forte de Copacabana que poderá permitir a apresentação do grupo em um Centro Cultural de Dallas”, conta Renata Marques, representante da Câmara. Ela ainda afirma que será preparado um projeto para captação de recursos com empresas americanas para viabilizar a ida dos componentes, bem como o desenvolvimento do projeto.

Sobre a Orquestra Violões do Forte de Copacabana
A Orquestra Violões do Forte de Copacabana é uma iniciativa do Instituto Rudá e do Comando do Forte de Copacabana. Desenvolvido dentro do Forte, o projeto de inclusão social e cultural foi aprovado na Lei de Incentivo à Cultura e tem como patrocinadores a SindiRefeiçõesRJ, a FHE/POUPEX, e  Oi .

“O Forte de Copacabana nos recebeu de braços abertos. Graças a essa parceria nesses quatro anos pudemos realizar grandes sonhos, como se apresentar com o Trio Filarmônico de Viena, no Palácio da Cidade, na Rio+20, para o Papa Francisco durante a JMJ,  entre outros eventos importantes”, conta Marcia Melchior, diretora executiva do projeto. Além das apresentações citadas, a orquestra também participou de concertos didáticos em Lonas Culturas, e dos projetos “Construindo Cidadania nas Escolas” e “Mobilidade Sonora”.

Quando de sua criação, foram selecionados  jovens de comunidades (Pavão-Pavãozinho, Cantagalo, Chapéu Mangueira, Babilônia e Santa Marta) que se destacaram na seleção pelo seu grau de amadurecimento musical, além da frequência regular no ensino formal.

Hoje, os componentes da Orquestra Violões do integram ou são oriundos da rede de ensino pública. Eles ensaiam duas vezes por semana no Forte de Copacabana. O talento e a aptidão musical são os fatores que fazem a diferença para a escolha dos integrantes da Orquestra. Além dos violões, a orquestra reúne outros instrumentos, como clarineta, flauta transversa, violoncelo, violino, viola, piano, baixo, percussão e bateria.

O projeto conta com a direção executiva de Márcia Melchior, com a coordenação do músico Antônio Carlos, da dupla “Antônio Carlos e Jocafi”, arranjos e regência de Luiz Potter.

DEIXE UM COMENTÁRIO