O Século do Samba

Show de Monarco e Nei Lopes encerra a série musical que levou mais de 2 mil pessoas à Casa Brasil.

Monarco e Nei Lopes (foto: Leco de Souza)
Monarco e Nei Lopes (foto: Leco de Souza)

Na última semana da Casa Brasil, o projeto O século do samba, com curadoria e direção musical do maestro, músico e pesquisador Luís Filipe de Lima, apresenta o último show da série que fez parte da programação cultural da Casa Brasil, durante os Jogos Rio 2016, no Armazém 2 do Cais do Porto, com patrocínio do Banco do Brasil.

Monarco e Nei Lopes encerram a temporada no dia 17 de setembro com o show Terreiro e carnaval, em que desfilam sambas próprios e clássicos de Portela e Salgueiro. Ainda, nos dias 14 e 15 de setembro, O século de Samba traz oficinas de percussão e dança de samba de raiz e de escola de samba.

Desde do dia 6 de agosto a série desfilou nomes como a dupla paulistana Os Prettos e o músico carioca João Martins que mostraram composições próprias, muitas inéditas, em Samba novo. No show Samba de breque e outras bossas, Jards Macalé e Pedro Luís prestaram reverência ao mestre do samba-breque Moreira da Silva, o Kid Morengueira, com clássicos do estilo. Leci Brandão e Tantinho da Mangueira apresentaram o show Partido-alto, samba de fato, em que não faltarão versos improvisados e homenagens à Mangueira, escola de coração da dupla.

PROGRAMAÇÃO

17 de setembro – sábado

Terreiro e Carnaval – Monarco e Nei Lopes

O Século do Samba apresenta quatro diferentes shows. O que trata de sambas de terreiro e de carnaval é dividido por dois nomes referenciais: Monarco, líder da Velha Guarda da Portela e o sambista e escritor Nei Lopes, que tem ligação particular com o Salgueiro. No show, Nei Lopes canta sambas de sua autoria, além de um bloco de sambas de quadra do Salgueiro, enquanto Monarco relembra músicas suas e também composições clássicas da Portela. Juntos no palco, a dupla canta Apoteose ao samba, de Silas de Oliveira.

LUÍS FILIPE DE LIMA – Curador

Carioca de 1967, é músico (violonista, arranjador, compositor e produtor musical), jornalista, escritor e professor. É Doutor em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da UFRJ, onde defendeu tese sobre o choro carioca, e também Mestre pela mesma instituição, com dissertação sobre a música das religiões afro-brasileiras.

Como violonista, participou de discos de Gal Costa, Martinho da Vila, Carlinhos Brown, Bezerra da Silva, Zélia Duncan, Nei Lopes e Elton Medeiros, entre outros. Ao violão de sete cordas, gravou os discos de samba-enredo do Grupo Especial das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, de 2008 a 2014. Acompanhou regularmente dezenas de sambistas, entre eles Bezerra da Silva, Nei Lopes, Monarco, Wilson das Neves, Nelson Sargento, Dona Ivone Lara e Noca da Portela.

É o diretor musical e arranjador de Sassaricando – e o Rio inventou a marchinha, premiado musical de Sérgio Cabral e Rosa Maria Araújo. Como produtor musical de discos, lançou mais de 15 títulos. É autor de trilhas para cinema e teatro. Foi Gerente de Música da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro em 2010. É comentarista e músico do programa Samba Amigo, da Rádio Globo. Desde 2007 integra a comissão julgadora do Estandarte de Ouro, prêmio concedido pelo jornal O Globo às escolas de samba do Grupo Especial carioca.

Já dirigiu mais de uma centena de artistas, como Elza Soares, Jards Macalé, Dona Ivone Lara, Zélia Duncan, Roberta Sá, Zeca Baleiro, Arlindo Cruz, Zé Renato, Monica Salmaso, Pedro Luís, Rita Ribeiro, Paulinho Moska, Arto Lindsay, Kassin, Monarco, Nelson Sargento, Elton Medeiros, Tereza Cristina, Claudio Nucci, Leo Jaime, Xangô da Mangueira e Moacyr Luz, entre muitos outros. De 2005 a 2007, dirigiu oito caravanas do Projeto Pixinguinha/Funarte, à frente de artistas como João Bosco, Nei Lopes, Fátima Guedes,

SERVIÇO

CASA BRASIL

APRESENTA A SÉRIE MUSICAL O SÉCULO DO SAMBA

Curadoria e direção musical: Luís Filipe de Lima

 

Programação

17 de setembro – sábado

Terreiro e carnaval – Monarco e Nei Lopes

 

Horário: 19h30

Ingresso: Distribuição de senhas a partir de 2h antes no stand do Banco do Brasil

Local: Auditório

Capacidade: 226 lugares

Casa Brasil – Armazém 2 do Cais do Porto

Endereço: Av. Rodrigues Alves, s/nº – Santo Cristo

 

OFICINAS GRATUITAS

Oficina de percussão e dança de samba de raiz com os Filhos do Samba (Claudio BritoRaoni VentapaneDandara Ventapane e Macaco Branco)

Dia: 14 de setembro

 

Oficinas de percussão e dança de escola de samba com os Filhos do Samba (Claudio BritoRaoni VentapaneDandara VentapaneMacaco Branco)

Dia: 15 de setembro

Horário: 15h                   

 

Ingresso: Distribuição de senhas a partir de 2h antes no stand do Banco do Brasil

Capacidade:  50 lugares

Local: Espaço Gastronômico

Casa Brasil – Armazém 2 do Cais do Porto

Endereço: Av. Rodrigues Alves, s/nº – Santo Cristo

DEIXE UM COMENTÁRIO