“O Rio antes do Rio” conta a história dos indígenas que habitavam a cidade antes de sua fundação

A CIDADE TUPINAMBÁ, SUAS ALDEIAS E PERSONAGENS QUE ORIGINARAM A GUANABARA Jornalista narra as histórias, curiosidades e disputas entre indígenas e europeus que culminaram na formação da cidade do Rio de Janeiro

Houve um tempo em que todo dia era dia de índio, como diz a música. E como era o Rio de Janeiro nessa época? Era o que, desde pequeno, se perguntava o jornalista Rafael Freitas da Silva. O resultado de tamanha curiosidade está no livro O RIO ANTES DO RIO, depois de extensa pesquisa. Tal qual um Indiana Jones dos trópicos, Rafael segue em busca de uma história esquecida, de relíquias e pistas antes consideradas maluquices ou lendas, e parte, sobretudo, de uma constatação de que muito pouco se conhece sobre as origens da Cidade Maravilhosa.

O livro é o sexto título da Babilonia Cultura Editoral  — que estreou seu catálogo autoral em 2015 — e tem textos de capa assinados pelo historiador Luiz Antonio Simas, além dos jornalistas Sidney Garambone e Pedro Bial, que afirma em seu texto ter sido “transportado para o Rio de antes de todos os janeiros”. O lançamento com sessão de autógrafos será dia 18 de dezembro, na Livraria da Travessa de Ipanema.

História dos vencidos
“O RIO ANTES DO RIO é uma tentativa de fazer a história dos vencidos, porque dos vencedores já conhecemos. Foram os portugueses que produziram a maior parte das fontes, são seus próceres que contam a história de uma baía que conheceram apenas como conquistadores. O que antes parecia impossível, hoje já se pode remontar, pelo menos um pouco, esse passado obscuro de um Rio que começou antes da fundação da cidade. Para tanto é preciso revisitar as obras dos franceses que aqui estiveram antes dos lusos, das modernas pesquisas sobre as toponímias do Rio de Janeiro que tanto avançaram nos últimos anos e também por passagens reveladoras de obras jesuíticas”, constata Rafael.

Com cerca de 115 imagens — entre elas mapas e ilustrações de rituais indígenas, personagens da época e animais que davam nomes às principais tribos, que vieram a se tornar os bairros da cidade —, a obra é dividida em quatro capítulos que se integram como etapas da saga tupinambá à batalha de Uruçumirim, até o ano de 1567.

Guanabarinas
No primeiro capítulo, o autor retrata como era a vida de um homem e de uma mulher no Rio de Janeiro “dos rios de águas transparentes e das florestas que avançavam sobre o mar”.

No segundo, Rafael Freitas da Silva traça um panorama informativo sobre os nomes das aldeias e os morubixabas (caciques) que governaram a Guanabara desde os tupis que lá chegaram, há cerca de 2 ou 3 mil anos. Assim, foi preciso considerar o Rio de Janeiro não nos limites da cidade de hoje, e sim na sua composição índígena, que transbordava para a Baixada Fluminense, a baía de Sepetiba e os municípios que ficavam no caminho para a Região dos Lagos.

Rafael recompõe a história do Rio de Janeiro no terceiro e quarto capítulos com informações que ajudam a entender as origens da fundação da cidade de maneira mais completa. “Para que a história se tornasse mais saborosa aos leitores, enfatizei as aventuras e sagas que eclodiram na formação e conquista da cidade de São Sebastião”, diz.

“Páginas de bravura”
O RIO ANTES DO RIO reúne 432 páginas de uma narrativa que busca preencher essa lacuna na formação de leitores cariocas e interessados nas origens da Guanabara. O historiador Luiz Antonio Simas, na orelha do livro, registra que “este livro do Rafael, enfim, tirou as flechas do peito do padroeiro e as devolveu, uma por uma, aos índios guerreiros de Uruçumirim; os mesmos que batizaram de poesias valentes a Guanabara e bordam de bravura as páginas que seguem”.

“É uma reportagem de fôlego, é um livro de história e também um livro que passeia pela antropologia, linguística, filologia, geografia, cultura e identidade”, define o autor, apontando a forte influência indígena em nossos hábitos. “Foram os nativos que ensinaram o europeu a viver na terra tropical. Gostamos de tomar banho, nadar nas ondas, adoramos dormir na rede, comemos raiz, gostamos muito de festa, de sexo, bebemos até cair, não nos agrada nada perder, somos guerreiros e não desistimos nunca. Todas essas qualidades podem ser transferidas aos tupinambás da Guanabara e, em última instância, do Brasil”, conclui.

RAFAEL FREITAS DA SILVA (Rio de Janeiro, 1977) é jornalista e radialista. Mestre em Comunicação e Cultura pela ECO|UFRJ, trabalha na TV Globo desde 1998, com passagem pela GloboNews e pelos principais telejornais da emissora (“Jornal Nacional”, “Bom Dia Brasil”, “Jornal Hoje”, “RJTV” e “Globo Esporte”). Desde 2004 é produtor de reportagens do “Esporte Espetacular”. Da Bósnia à China, do México à África do Sul, da Tailândia à República Tcheca, do Saara Ocidental ao Chile, participou da cobertura de eventos esportivos de grande porte em vários países, como a Copa do Mundo na Alemanha (2006), na África do Sul (2010) e no Brasil (2014), além dos Jogos Olímpicos de Pequim (2008). Vencedor do Prêmio Embratel 2007 de Melhor Reportagem Esportiva com a série Encontros do Pan, em 2013 foi condecorado com a Medalha do Pacificador pelo Exército Brasileiro pela produção de reportagem da série Missão de paz: O esporte na linha de frente. O Rio antes do Rio é seu livro de estreia.

Trecho do livro
“Depois o novo menino da Kariók era levado ao ribeirão, onde era banhado e lavado senão pela própria mãe, por suas irmãs, amigas e companheiras, tendo como paisagem a frente as montanhas do Corcovado e a nordeste o Pão de Açúcar. As águas cristalinas e frescas do riacho são suficientes para retirar todas as impurezas do menino. Depois disso todos retornam à maloca onde o pai já o aguarda para a primeira pintura ritual. Ele é entregue completamente limpo. O radiante ruba canta enquanto unta o filho com um óleo de propriedades medicinais anti-inflamatórias e cicatrizantes, usado em diversos tratamentos da medicina tupinambá, extraído de uma fruta hoje em dia conhecida como urucum.” (p. 24)

Lançamento | Sessão de autógrafos
Sexta-feira, dia 18 de dezembro, a partir das 19h
Livraria Travessa Ipanema
R. Visconde de Pirajá 572 . Rio de Janeiro . RJ

Mais informações sobre o catálogo:
www.babiloniaeditorial.com.br/loja
www.babiloniaeditorial.com.br/catalogo

O RIO ANTES DO RIO
A Guanabara Tupinambá e suas aldeias ancestrais, a história do primeiro
carioca e dos exploradores, conquistadores e moradores pioneiros, a disputa entre
portugueses e franceses, a guerra contra os nativos e as batalhas que marcaram a fundação do Rio de Janeiro

RAFAEL FREITAS DA SILVA
15,5 x 23cm, 432p.
ISBN 9788566317060
R$ 59,90

DEIXE UM COMENTÁRIO