O PATO e a arte do convívio social

Espetáculo de humor estreia curta temporada no próximo dia 02

Cidadania, territórios imateriais e a arte do convívio social de todo dia. Essa é a proposta do espetáculo O PATO, comédia encenada pelo ator e músico Pedro Poema e dirigido pelo também ator, músico e palhaço Diego de Abreu. A montagem, realizada por meio de uma campanha de financiamento coletivo, tem como referência o antagonismo presente em desenhos animados clássicos, como Tom e Jerry, Coiote e Papa-léguas, entre outros. O texto é “falado” em gromelot, linguagem cênica baseada em onomatopéias criada pelo encenador Dario Fo, o que proporciona um entendimento sem palavras, gerando inclusão, a exemplo do público não-ouvinte, que pode participar da apresentação sem recurso de tradução.

“A gente apresentou uma cena extraída do espetáculo no Festival de Cenas Curtas de Manaus, em 2015. Era o Teatro Amazonas, lotado e a platéia se envolveu de uma forma muito gratificante, porque ela se identifica com a história. Não tem texto falado, mas tem expressão de sentimentos comuns a todo mundo. As pessoas se divertem com a encenação, com o humor, mas refletem sobre a temática, para além do espetáculo”, diz Pedro Poema.

O PATO está em cartaz no Terreiro Contemporâneo (Rua Carlos de Carvalho, 53 – Cruz Vermelha), somente nos dias 02, 03 e 04 de setembro. Sexta e sábado, 20h. Domingo, 19h. Preço único $15. Classificação livre.