O mundo novo de Porto Velho

Finalista da segunda temporada do SuperStar, Versalle lança “Distante em algum lugar” pelo Slap (Som Livre), disco que remete à cidade natal da banda, e investe em rock-canção

Versalle
Versalle

Uma das bandas finalistas do programa Superstar (GLOBO), a Versalle ganhou torcida volumosa na região Norte do Brasil. Orgulho de Porto Velho e do estado de Rondônia, foi crescendo ao longo do programa, desembocando no slap (Som Livre)  com o álbum “Distante Em Algum Lugar”, e em todas as lojas do país e nas plataformas digitais. Com 12 faixas autorais, o novo trabalho da banda carrega toda sua trajetória. “O CD é um resumo de tudo que a gente fez nestes seis anos. Fizemos uma seleção que achamos que melhor traduz o conceito da banda. Tem música do começo da carreira, música inéditas e outras que apresentamos no SuperStar. Fizemos um apanhado coeso e incluímos as que sentimos que têm mais receptividade do público”, conta o baterista Igor Jordir.

VersalleFormada por Miguel Pacheco (baixo), Romulo Pacifico (guitarra), Criston Lucas (voz) e Igor (bateria), a Versalle traz em suas canções traços de rock inglês e Queens of Stone Age, Mutantes e Legião Urbana como grandes influências. Seis anos após atravessarem um cenário repleto de bandas hardcore, heavy metal, punk – sendo eles mesmos integrantes de grupos mais pesados – a Versalle está pronta. Em 2009, quando seus integrantes se conheceram num festival local, foram unidos pela admiração por bandas como Interpol e Smiths e dali despertaram para a criação de canções autorais.

Os quatro músicos viram suas vidas mudarem em menos de um ano e agora ingressam no cenário do rock nacional com foco total. “Depois do programa, a principal mudança foi que passamos a tratar a banda como prioridade. Antes era apenas um hobby. Largamos faculdade, emprego e nos dedicamos a ela”, afirma Criston. O título do álbum, inclusive, lembra essa caminhada da banda em direção ao reconhecimento. “O conceito do disco é sobre onde você está e onde você quer ir, seu objetivo. Tem a ver com o fato de termos vindo de uma região que não tem muito espaço para o rock e conseguido essa visibilidade”, completa.

Produzido pelos guitarristas e arranjadores André Valle e Aurélio Kauffman, em sessões nos estúdios Casa do Mato e Pássaro Hippie, o álbum começa com a faixa “Marte”, seguida de “Verde Mansidão” e  “Mente Cheia”. Depois é a vez da romântica “Vinte Graus” – uma composição dos quatro integrantes da banda, assim como em “Avante” e “Sem Hesitar”. O disco também traz “Modelo Adequado” – já com clipe no canal da banda no YouTube: https://youtu.be/8JwKr91qrJ8 -, “Eu Não Consigo Mudar”, “A Saudade É Algo Que Eu Não Quero”, “Prezado Coração”, “O Que Fazer” e “Dúvidas”.

Os músicos ressaltam a importância desse reconhecimento nacional para a cidade natal. “Porto Velho não tem um histórico de expressão artística. O programa foi muito bacana para motivar o pessoal da cidade a prestar atenção no que está sendo produzido dentro de casa”, analisa Rômulo. “A gente espera que a galera que começou a acompanhar a banda durante o programa veja realmente a nossa proposta, porque lá tivemos que nos adequar a uma roupagem mais direta. Para ser compreendido, o disco tem que ser ouvido por completo. Tem músicas alegres, mas também faixas mais densas. Acreditamos na força delas”, finaliza o baixista Miguel Pacheco.

Ouça “Distante Em Algum Lugar” nas plataformas digitais: https://slap.lnk.to/versalle.

Sobre o slap
O nome já é sonoro: slap. O selo, que tem a música como DNA, foi criado em 2007 e, desde então, se propõe a apresentar o que há de mais qualificado no mercado. O slap abre portas, experimenta sem cerimônias e provoca quem está aberto a conhecer e ouvir música. Música que não é óbvia ou comum. Seus representantes têm todos a autenticidade como característica. Fazem parte deste grupo nomes como Maria Gadú, SILVA, Marcelo Jeneci, Tiago Iorc, Ana Cañas, Mombojó, Nação Zumbi, Dani Black, Móveis Coloniais de Acaju, Rodrigo Amarante, Céu e Suricato. O slap é vanguarda. É uma marca incentivadora do consumo de música, que inova e atua como uma provedora, sem medo de arriscar, pregando a criatividade com um objetivo: levar o estilo slap para quem curte e vive a música. Além da produção musical brasileira, o slap ainda traz para cá os sons únicos de nomes como Bon Iver, Jim James, Jesse Harris e Beirut. Aproveite o som, viva a música.

DEIXE UM COMENTÁRIO