• Espetáculo com direção de Carlos Gradim apresenta três histórias no antigo Teatro do Cassino da Urca
  • Após sucesso da peça Horácio em 2015, Odeon Companhia Teatral estreia espetáculo inédito em 19 de outubro

O Odeon Companhia Teatral volta às origens e apresenta espetáculo que explora a dramaturgia do espaço. Com direção de Carlos Gradim e texto inédito de Rafael Neumayr, Noésestreia dia 19 de outubro e segue em cartaz até 20 de novembro na Urca. Seis personagens se dividem em duplas na encenação de três histórias paralelas que acontecem em meio ruínas do antigo Teatro do Cassino da Urca. “A peça reflete como momentos de violência e insegurança de uma cidade afetam os dramas pessoais. A ideia do espetáculo surgiu a partir das inúmeras manifestações que tomaram conta do país em 2013”, conta Gradim.

Os personagens são apresentados com diálogos corriqueiros de pessoas comuns de diferentes gerações reclusas em suas individualidades. A cena que dá início ao espetáculo é o momento em que dois atores, no último dia da temporada de uma peça teatral, fazem seus agradecimentos finais ao público. Em seguida, em um apartamento, dois amigos debatem o passado sob o inexorável peso do presente. Por último, um suposto casal enfrenta um grande engarrafamento dentro de um carro, local onde eles aproveitam para discutir vários assuntos. As três cenas têm em comum uma grande manifestação popular que toma conta da cidade e influencia no diálogo e no desenrolar das histórias. O elenco conta com os atores Plínio Soares, Leonardo Netto, Alexandre Mofati, Maureen Miranda, Raquel Alvarenga e Rick Yates.

O texto de Neumayr apresenta dramas contemporâneos promovendo um diálogo sensorial com o espectador. São conversas aparentemente banais que apresentam conflitos existenciais com significados ocultos em palavras singelas. O espetáculo traz à tona sentimentos característicos dos centros urbanos, como o medo, a insegurança, a descrença, a depressão. Ao mesmo tempo, mostra que esse mesmo espaço abriga a esperança, a renovação, o amor, a fé.

Ao contextualizar três diferentes cenas acontecendo em um dia conturbado na cidade, está em questão não somente a situação atual, mas também as diferentes formas de reação e interpretação de quem habita este ambiente. A peça mostra como acontecimentos externos interferem na vida e nas relações interpessoais. As três duplas em cena não estão ligadas às manifestações, mas são diretamente afetadas por elas, passando pela mesma transformação que o país atravessa desde 2013.

Carlos Gradim
Conhecido no Rio de Janeiro por conta de seu trabalho à frente do Museu de Arte do Rio – MAR, Carlos Gradim também é diretor da mineira Odeon Companhia Teatral, que tem como objetivo abrir possibilidades para o teatro por meio da inovação e do intercâmbio de ideias. O tema central das produções do diretor é a angústia do homem diante de seus embates existenciais. Sua intenção é realizar espetáculos que percorram esse labirinto das relações humanas, explorando diversas facetas que os sentimentos podem adquirir: drama, inquietude, angústia, paixão, traição.

Odeon Companhia Teatral
Fundada em 1998 por Carlos Gradim e Yara de Novaes, a Odeon tem tido uma presença marcante na cena mineira, com forte respaldo nacional. Seus espetáculos já foram premiados em diversas categorias, cumprindo temporadas em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e interior destes estados e ainda participando dos mais importantes festivais de teatro do Brasil, como o Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto (“O Coordenador” de Benjamim Galemiri), o Festival de Curitiba (“Ricardo III”, de W. Shakespeare e “Amor e Restos Humanos” de Brad Fraser), o Festival de Porto Alegre (“Amor e Restos Humanos”) e o FIT-BH (“Noites Brancas”, de Fiodor Dostoievski, “Quando você não está no céu”, de Edmundo de Novaes Gomes e “Servidão” de Edmundo de Novaes Gomes).

O Teatro do Cassino da Urca
A casa de espetáculos do Cassino da Urca recebeu estrelas como Carmem Miranda e Dalva de Oliveira, desde sua abertura em 1933 até 1946, quando o jogo foi proibido no Brasil. De 1951 a 1980, o prédio abrigou a TV Tupi, e depois foi desativado, e usado esparsamente como locação. A partir de 2006, o IED (Istituto Europeo de Design) assumiu o espaço, e restaurou o prédio do Cassino da Urca localizado na praia.  Este ano, o IED retirou quatro caminhões de entulhos e limpou o local, que também passará por obras de restauro e modernização que vão abrigar o Centro de Inovação em Design e Economia Criativa da instituição.

SERVIÇO:

Noés (drama). Seis personagens se dividem em duplas na encenação de três histórias paralelas que acontecem em um cenário em ruínas. São conversas aparentemente banais que apresentam conflitos existenciais com significados ocultos em palavras singelas. O espetáculo traz à tona sentimentos característicos dos centros urbanos, como o medo, a insegurança, a descrença, a depressão. Ao mesmo tempo, mostra que esse mesmo espaço abriga a esperança, a renovação, o amor, a fé. Direção geral de Carlos Gradim. Com Plínio Soares, Leonardo Netto, Alexandre Mofati, Maureen Miranda, Raquel Alvarenga e Rick Yates. (1h10 min). Teatro Cassino da Urca: Av. João Luís Alves, 13 – Urca (Rio de Janeiro). Dia/horário: Quarta a sexta: às 20h30 / Sábado: 18h30 e 20h30 / Domingo: 19h. Nos dias 29/10, 02/11, 03/11 e 04/11 não haverá apresentações. Valor: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Ação promocional: moradores da Urca terão 50% de desconto durante toda a temporada. Basta levar comprovante de residência e de identificação.Classificação Etária: 16 anos. Temporada: 19 de outubro a 20 de novembro. Informações: www.institutoodeon.com.br/ (21) 995-113-762, das 14h às 20h30.

FICHA TÉCNICA:
DIREÇÃO GERAL: Carlos Gradim
TEXTO: Rafael Neumayr
ELENCO: Plínio Soares, Leonardo Netto, Alexandre Mofati, Maureen Miranda, Raquel Alvarenga e Rick Yates
DESIGN DE LUZ: Telma Fernandes
TRILHA E INSTALAÇÃO SONORA: Dr Morris
PROGRAMAÇÃO DE ÁUDIO: Bruno Carneiro
ASSISTENTE DE FIGURINO: Sammara Niemeyer
DIREÇÃO DE MOVIMENTO: Daniela Carmona
CENOGRAFIA: André Cortez
FIGURINO: André Cortez
ASSISTÊNCIA DE DIREÇÃO: Tiago Muller
ASSISTENTE DE CENÓGRAFO: Rodrigo Abreu
CENOTECNIA: Utopia Arte e Cenografia – Nahin Fernandes
PRODUÇÃO EXECUTIVA: AM Produções – Mara Vieira
ASSISTÊNCIA DE PRODUÇÃO: Marcelo Aquino e Cacá Araújo
OPERAÇÃO DE LUZ: Tamara Torres
OPERAÇÃO DE SOM: Vitor Vieira
PROJETO GRÁFICO: Alexandre Muner
VISAGISMO: César Marquez
ASSISTENTE ADMINISTRATIVO: Gabriela Carneiro
EQUIPAMENTO DE SOM: Rz Sound
FILMAGEM E EDIÇÃO:
FOTOS: Elisa Mendes
REALIZAÇÃO: Instituto Odeon
WEBSITE DO INSTITUTO ODEON
http://www.odeoncompanhiateatral.com.br/companhia

 

DEIXE UM COMENTÁRIO