Museu do Açude recebe obras permanentes

Obra de José Resende (foto: Jaime Acioli)
Obra de José Resende (foto: Jaime Acioli)

Na década de 1990, os artistas Waltercio Caldas, José Resende e Angelo Venosa enriqueceram a paisagem do Rio de Janeiro com a criação de esculturas de grande porte para importantes espaços urbanos da cidade. Vinte anos depois, o trio volta a atuar junto na cena carioca com a produção de trabalhos especialmente construídos para o Circuito de Arte Contemporânea do Museu do Açude.

Com uma obra em aço inoxidável de 14 metros de altura por seis de largura, o carioca Waltercio Caldas usará a grama da floresta como parte de sua produção, que trabalhará a relação do azul do objeto com o próprio céu. “É uma situação pensada no espectador. O trabalho é o motivo para as pessoas experimentarem o lugar e se relacionarem com o entorno”, explica Waltercio.

Maquete - Obra Angelo Venosa
Maquete – Obra Angelo Venosa

Autor de vídeos, desenhos e intervenções, Waltercio instalou em 1989 sua primeira obra pública, “O Jardim Instantâneo”, no Parque do Carmo, em São Paulo, e logo depois produziu outra peça em espaço aberto, “Omkring”, na Noruega. Em 1996, realizou para a Avenida Beira-Mar o monumento “Escultura para o Rio”, que foi removido recentemente para dar passagem ao VLT, no Centro, mas que está sendo reconstruído para ficar bem próximo ao local original.

A história do paulista José Resende com o Açude é antiga. Autor de uma escultura que foi devastada por uma tempestade em 2010, o artista foi convidado a criar uma nova instalação, que ficará junto à sede do museu. “Propus uma peça que tem a ver com a poética do trabalho anterior. Uma linha reta, solta no espaço, que aparece inesperadamente, feita com tubo de aço e placas de granito cinza claro”, explica o artista.

José Resende estudou desenho com Wesley Duke Lee. Foi professor de Artes da Universidade Mackenzie e do Departamento de Escultura da Faculdade de Artes Plásticas da Faap. Fez mestrado em História na USP e escreveu textos fundamentais na revista Malasartes, em que foi co-editor. Apesar de viver em São Paulo, muitas de suas esculturas estão fincadas no Rio, como Passante, no Largo da Carioca.

Consagrado em mostras internacionais _ Bienal de São Paulo (87) e Bienal de Veneza (93), Angelo Venosa apresentará um objeto feito em madeira, com técnica usada em construção de barcos. A obra, de forma arredondada, mede aproximadamente 2,4 metros nas três dimensões, com peso estimado de 300kg. Filho de marceneiro, Venosa surgiu na cena artística brasileira na década de 1980. É um dos poucos artistas egressos da chamada “Geração 80” dedicados à escultura e não à pintura. É autor de várias obras públicas no país, entre elas a famosa escultura Baleia, no calçadão do Leme. Sobre o fato de estar participando de um projeto ao lado de Zé Resende e Waltercio, comenta: “Não poderia estar em melhor companhia, são dois artistas que admiro bastante”.

Os trabalhos de Waltercio Caldas e Angelo Venosa para o Museu do Açude contam com o patrocínio do Grupo Bradesco Seguros, integrando a programação dos Jogos Rio 2016. Já a obra de José Resende, uma antiga dívida do museu com o artista, está sendo feita com recursos do IBRAM/ Ministério da Cultura.

Sobre o Museu do Açude
A história do Museu do Açude inicia-se bem antes de sua criação, em 1964. Está intimamente associada aos episódios que no passado marcaram a residência de Raymundo Ottoni de Castro Maya, situada no Alto da Boa Vista. Cenário de festas, almoços e visitas de personalidades internacionais, pelas salas do local os visitantes encontram azulejaria portuguesa do século XVIII, peças oriundas de igrejas e a rica coleção de arte oriental. Pelas trilhas que cortam os 151.132 m2, é possível ter contato com a fauna e a flora típicas da Mata Atlântica. 

Serviço

Circuito de Arte Contemporânea do Museu do Açude
Local: Museu do Açude, Estrada do Açude, 764, Alto da Boa Vista
Telefone: (21) 3433-4990
Abertura: 31 de Julho, às 12h
Horário de visitação: diariamente, exceto terças-feiras, das 11 às 17h
Ingressos: R$ 2,00 – gratuito às quintas-feiras

DEIXE UM COMENTÁRIO