Museu da Cidade de Salto recebe exposição sobre cultura afro-saltense

Exposição é fruto da Bolsa Funarte para artistas e produtores negros de 2014

foto: Leonil Junior
foto: Leonil Junior

Conhecer o jeito de ser e viver das famílias negras moradoras da cidade de Salto  a partir de seu cotidiano, é a proposta central da exposição Casa da Memória Negra de Salto que acontece a partir deste sábado (27), às 19h, no Museu da Cidade de Salto “Ettore Liberalesso”. Com entrada gratuita, a exposição é um convite aos apreciadores de cultura negra e promete encantar a todos com trabalhos itinerantes e um mergulho na história da população na região.

Ganhador da Bolsa Funarte para Artistas e Produtores Negros de 2014, a ideia da exposição é colocar os visitantes num ambiente imersivo e interativo, que o leve para uma viagem no tempo e nos temas mais importantes da cultura afro-saltense. A origem bantu da maioria dos africanos escravizados na região sudeste do Brasil, e a inserção do negro na sociedade de classes, são apenas algumas das temáticas que estarão inseridas no contexto e nas obras expostas.

Um dos destaques deste trabalho é a casa de pau a pique. Construída exclusivamente para a exposição, a casa que é uma réplica das moradias do inicio do século, juntamente com as atrações multimídias, traz uma leitura do universo moderno com a riqueza e simplicidade dos tempos antigos. Já para as crianças, haverá um espaço com brincadeiras de infância e livros com lendas, contos e histórias, onde todos os protagonistas são crianças negras. A proposta é fazer uma leitura sobre a constituição de um espaço cultural específico da população negra em Salto, a partir das narrativas e do patrimônio material e imaterial produzidos por ela.

foto: Leonil Junior
foto: Leonil Junior

Interatividade no Museu – O ambiente que está sendo montado no Museu da Cidade de Salto “Ettore Liberalesso” consiste basicamente numa casa caipira. Ao adentrar no museu, o visitante verá uma videoinstalação que representa a árvore genealógica das famílias negras de Salto – imagens de africanos escravizados retratados por Rugendas, mescladas com fotos de ontem e de hoje. Um grande mapa indicará a rota da vinda da maioria dos africanos escravizados no sudeste brasileiro, e sua origem predominantemente bantu. Ainda no exterior da casa, o visitante obterá informações sobre a população negra da cidade em meados do século XIX.

No interior da casa, fé, festas e comidas, revelam um cotidiano sacralizado. Teremos a presença dos antepassados, através de projeções, retratos, vídeos, objetos recolhidos entre as famílias, que retratam o modo de ser e viver no século XX. Tudo nesse ambiente imersivo foi pensado para colocar o visitante no seio da cultura negra saltense.

Ao sair, o visitante terá acesso a um vídeo sobre a inserção do negro na vida operária dessa cidade tão precocemente fabril. Também teremos um espaço dedicado exclusivamente às crianças, para leitura e contação de histórias, com uma primorosa seleção de livros com personagens negros.

História – As experiências vivenciadas no Continente africano, ressignificadas aqui no Brasil com o processo de escravização, tornaram-se bases constituintes dessa identidade negra, que se refletiu na resistência à escravidão, na formação de quilombos, nas fugas e na constituição de solidariedade coletiva.

No pós-abolição, a chegada da indústria e a organização de territórios negros no município constituíram condições importantes para o pertencimento da comunidade negra, com a organização de clubes, associações esportivas e culturais, espaços religiosos, manutenção e recriação de algumas tradições.

Serviço

Exposição: Casa da Memória Negra de Salto – GRÁTIS
Data: Abertura neste sábado (27)- Demais dias –  terça à domingo
Horário: Abertura às 19h. Demais dias – 9h às 17h
Local: Museu da Cidade de Salto “Ettore Liberalesso”
Endereço: Rua José Galvão, 104, Salto – São Paulo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui