Mostra de filmes apresenta a política através do cinema

Haverá exibição de longas, médias e curtas-metragens de diversos países e bate-papos com cineastas e acadêmicos

Dersu Uzala
Dersu Uzala

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 14 de junho a 3 de julho (terça-feira a domingo), a mostra Cinema Político: O poder da imagem, que exibirá 42 filmes produzidos em diversas épocas, de temas e gêneros variados e que abordam questões relevantes e históricas da sociedade contemporânea. Na noite de abertura, serão apresentados filmes mudos de dois diretores essenciais da cinematografia mundial – 1968, de Glauber Rocha, e Tempos Modernos, de Charles Chaplin – com acompanhamento de música ao vivo (músicos Negro Leo e Tata Ogan). A mostra tem patrocínio da CAIXA e Governo Federal, e curadoria de Alessandra Castañeda.

Serão duas sessões diárias, sempre com a exibição de um curta antes de um média ou longa-metragem, cumprindo a Lei do Curta, em um total de 21 curtas e 21 médias e longas-metragens. No momento atual, em que a política é um assunto muito discutido por todos, a sala de cinema da CAIXA Cultural Rio de Janeiro será um lugar privilegiado para instigar o público a refletir e conversar sobre temas como a luta de classes, o contraste social, o papel da mídia, segurança pública, o racismo, revoluções e manifestações populares. Entre os títulos, a mostra apresenta dez títulos em película, buscando contribuir para a preservação da película em meio à revolução digital.

A mostra terá destaques como os longas-metragens brasileiros premiados Eles não usam black tie (1981), de Leon Hirszman, Serras da desordem (2006), de Andrea Tonacci, e O som ao redor (2012), de Kleber Mendonça. Haverá, ainda, a exibição de obras de diretores internacionais como Faça a coisa certa (1989), do afro-americano Spyke Lee, Panteras negras, de Agnes Varda, e Um filme como os outros, de Jean-Luc Godard, realizados na França no efervescente ano de 1968. A seleção de curtas abre espaço para filmes que utilizam a internet como plataforma de divulgação, incluindo obras marcantes como Ilha das Flores(1989), de Jorge Furtado, e Arraial do Cabo (1959), de Paulo Cezar Saraceni.

“Falar sobre temas políticos é de extrema importância para a nossa construção social. E a arte tem um papel relevante na história da humanidade, se comunicando de forma direta ou lúdica com as mais diferentes pessoas de todas as classes sociais. Em Cinema Político: o poder da imagem vamos dialogar com assuntos contemporâneos, resgatar clássicos, descobrir raridades, debater sobre fazer cinema de resistência, sobre a relação do Estado com a arte e o poder da mídia. A ideia é que a mostra seja um espaço de convivência e de reflexão”, comenta a curadora e produtora da mostra Alessandra Castañeda.

Tempos modernos
Tempos modernos

Bate-papos e catálogo:
Serão realizados três bate-papos aos sábados, às 15 horas, com entrada franca, e com participação de acadêmicos, formadores de opinião e cineastas. No dia 18 de junho (sábado), o tema será Realização e resistência, com participação da cineasta Elizabeth Formaggini, de Julia Mariano, diretora do curta Ameaçados, e de Ludmila Curi, cineasta e co-diretora do curta Proibidão. No sábado seguinte, dia 25, os cineastas Douglas Duarte e Silvio Da-Rin e Frederico Cardoso, da Academia Cinema Brasileiro, debatem O Estado e a arte. E no dia 2 de julho, o assunto em questão será O Poder na Mídia, com a cineasta Anna Azevedo, o documentarista Thiago Dezan e Josinaldo Medeiros, do coletivo Maré Vive.

Um catálogo com todas as informações técnicas dos filmes, fotos, além de textos inéditos e material de arquivo será produzido e estará disponível nos sites www.mostracinemapolitico.com.br e www.caixacultural.gov.br, servindo assim como uma rica fonte de pesquisa aos interessados pelo tema e cumprindo seu papel de democratização da informação.

Programação

14 de junho (terça-feira) – Cinema 1

16h – Liberdade de imprensa (1967), de João Batista de Andrade, Brasil, 16mm, 25 min, livre.

Um filme como os outros (1968), de Jean-Luc Godard, França, 16mm, 120 min, livre.

19h – sessão especial de abertura com acompanhamento musical ao vivo (músicos Negro Leo e Tata Ogan).

1968 (1968), de Glauber Rocha, Brasil, 35mm, 20 min, Livre

Tempos Modernos (1936), de Charlie Chaplin, EUA, 16mm, 87 min, livre.


 

15 de junho (quarta-feira) – Cinema 1

16h30 – Ritmos de Resistência (2013), de Jason O’Hara, Canadá/Brasil, Digital, 29 min, 14 anos.

Panteras Negras (1968), de Agnes Varda, França, Digital, 28 min, livre

18h – A Revolução dos Idiotas (1992), de Nelson Hoineff, Brasil, Digital, 28 min, livre.

Faça a coisa certa (1989), de Spike Lee, EUA, Digital, 120 min, 14 anos.

 

16 de junho (quinta-feira) – Cinema 1

16h – Ilha das Flores (1989), de Jorge Furtado, Brasil, Digital, 10 min, livre.

A Guerra que você não vê (2010), de Alan Lowery e John Pilger, Reino Unido, Digital, 97 min, 12 anos

18h30 – Rio Cidade Olímpica (2015), de Cláudio Felício, Brasil, Digital, 8 min, 12 anos.

11 de Setembro (2002), de Y. Chahine, A. Gitai, A. Iñárritu, S. Imamura, C. Lelouch, K. Loach, S. Makhmalbaf, M. Nair, I. Ouedraogo, S. Penn e D. Tanovic, Reino Unido/França/Egito/Japão/México/Estados Unidos/Irã, 35mm, 134 min, 14 anos.

 

17 de junho (sexta-feira) – Cinema 1

16h – Megalopolis (1973), de Leon Hirszman, Brasil, Digital, 12 min, livre.

Eles não usam black tie (1981), de Leon Hirszman, Brasil, Digital,  120 min, 12 anos.

18h30 – Manhã cinzenta (1968), de Olney São Paulo, Brasil, 22 min, 35mm, 10 anos.

Um homem com uma câmera (1929), de Dziga Vertov, URSS, Digital, 68 min, livre.

 

18 de junho (sábado)

Cinema 1

15h – Debate Realização e resistência com Elizabeth Formaggini (Cineasta), Julia Mariano (Diretora do curta Ameaçados) e Ludmila Curi (Diretora do curta Proibidão)

Cinema 2

17h – Ameaçados (2014), de Julia Mariano, Brasil, Digital,  22 min, 14 anos.

Lei e Ordem (1969), de Frederick Wiseman, EUA, Digital, 81 min, 16 anos.

Cinema 1

19h – Proibidão (2015), de Ludmila Curi e Guilherme Arruda, Brasil, Digital,  13 min, 14 anos.

Erva 1999 (1999), de Ron Mann, Canadá, Digital, 80 min, 18 anos.

 

19 de junho (domingo)

Cinema 2

17h – Levante a sua voz (2013), de Pedro Ekman, Brasil, Digital, 17 min, livre.

Muito Além do Cidadão Kane (1993), de Simon Hartog, Reino Unido, Digital, 93 min, livre.

Cinema 1

19h – Maranhão 66 (1966), de Glauber Rocha, Brasil, 35mm, 10 min, 12 anos.

A Revolução não será televisionada (2013), de Donnacha O’Brian e Kim Bartley, Irlanda, Digital, 74 min, 14 anos.

 

21 de junho (terça-feira)

Cinema 1

17h – 79 Primaveras (1969), de Santiago Alvarez, Cuba, Digital, 25 min, Livre

Noite e Neblina (1955), de Alain Resnais, França, 35mm, 32 min, 18 anos.

Cinema 2

19h – Megalopolis (1973), de Leon Hirszman, Brasil, Digital, 12 min, livre.

As Escravas do Sexo (2005), de Ric Esther Bienstock e Franca Cerretti, Canadá, Digital, 56 min, 18 anos.

 

22 de junho (quarta-feira)

Cinema 1

17h – Arraial do Cabo (1959), de Mario Carneiro e Paulo Cezar Saraceni, Brasil, 35mm,17 min, 14 anos.

Soy Cuba (1964), de Mikhail Kalatozov, URSS, Digital, 108 min, 18 anos. – sessão gratuita

Cinema 2

18h30 – 7 de setembro 2013 (2013), de 12pm Photographic, Brasil, Digital,   5 min,  12 anos

Terra e Liberdade (1995), de Ken Loach, Reino Unido/Espanha/Itália/ Alemanha, Digital, 109min, 16 anos.

 

23 de junho (quinta-feira)

Cinema 2

17h – O Prefeito Tá Chegando (2013), de Cid César Augusto, Brasil, Digital, 16 min, livre.

Domínio Público (2013), de Fausto Mota, Henrique Ligeiro e Raoni Vidal, Brasil, Digital,  98 min, 16 anos.

Cinema 1

18h – A ditadura da especulação (2012), de Coletivo Zé Furtado, Brasil, 13 min, Digital, 14 anos.

O som ao redor (2012), de Kleber Mendonça, Brasil, 35mm, 131 min, 16 anos.

 

24 de junho (sexta-feira)

Cinema 2

16h30h – A Revolução dos Idiotas (1992), de Nelson Hoineff, Brasil, Digital, 28 min, livre.

Vocação do poder (2005), de Eduardo Escorel e José Joffily, Brasil, Digital,  110 min, 12 anos

19h – 7 de setembro 2013 (2013), de 12pm Photographic, Brasil, Digital,      5 min,12 anos

Levante! (2015), de Susanna Lira e Barney Lankester-Owen, Brasil, Digital, 52 min, 12 anos.

 

25 de junho (sábado)

Cinema 2

15h – Debate O Estado e a arte com Frederico Cardoso (Academia Cinema Brasileiro), Douglas Duarte (Cineasta) e Silvio Da-Rin (Cineasta).

Cinema 1

15h30 – Nuke kuî barreira (2014), de Mauro Môxha, Brasil, Digital, 52 min, livre.

Serras da Desordem (2006), de Andrea Tonacci, Brasil, 35mm, 135 min, 10 anos.

18h15 – Carioca era um Rio (2012), de Simplício Neto, Brasil, Digital, 15 min

Dersu Uzala (1975), de Akira Kurosawa, Japão/URSS, 35mm, 144 min, 1975, 14 anos. – sessão gratuita

 

26 de junho (domingo)

Cinema 1

16h30 – Manhã cinzenta (1968), de Olney São Paulo, Brasil, 35mm, 22 min, 10 anos.

Um homem com uma câmera (1929), de Dziga Vertov, URSS, Digital, 68 min, livre.

18h30 – Rio Cidade Olímpica (2015), de Cláudio Felício, Brasil, Digital,         8 min, 12 anos.

Eles não usam black tie (1981), de Leon Hirszman, Brasil, Digital, 120 min, 12 anos.

 

28 de junho (terça-feira)

Cinema 1

17h – A ditadura da especulação (2012), de Coletivo Zé Furtado, Brasil, Digital, 13 min, 14 anos.

O som ao redor (2012), de Kleber Mendonça, Brasil, 35mm, 131 min, 16 anos.

Cinema 2

19h – O Prefeito Tá Chegando (2013), de Cid César Augusto, Brasil, Digital,  16 min, livre.

Domínio Público (2013), de Fausto Mota, Henrique Ligeiro e Raoni Vidal, Brasil, Digital, 98 min, 16 anos.

 

29 de junho (quarta-feira) – Cinema 2

17h – Proibidão (2015), de Ludmila Curi e Guilherme Arruda, Brasil, Digital, 13 min, 14 anos.

Erva 1999 (1999), de Ron Mann, Canadá, Digital, 80 min, 18 anos.

19h – Ameaçados (2014), de Julia Mariano, Brasil, Digital, 22 min, 14 anos.

Lei e Ordem (1969), de Frederick Wiseman, EUA, Digital,  81 min, 16 anos.

 

 

30 de junho (quinta-feira) – Cinema 1

16h – A Revolução dos Idiotas (1992), de Nelson Hoineff, Brasil, Digital,  28 min, livre.

Faça a coisa certa (1989), de Spike Lee, EUA, Digital, 120 min, 14 anos.

19h – Ritmos de Resistência (2013), de Jason O’Hara, Canadá/Brasil, Digital, 29 min, 14 anos.

Panteras Negras (1968), de Agnes Varda, França, Digital, 28 min, livre.

 

1º de julho (sexta-feira)

Cinema 2

17h – Ilha das Flores (1989), de Jorge Furtado, Brasil, Digital, 10 min, livre.

Que horas ela volta? (2015), de Anna Muylaert, Brasil, Digital, 112 min, 14 anos.

Cinema 1

18h – Arraial do Cabo (1959), de Mario Carneiro e Paulo Cezar Saraceni, Brasil, 35mm, 17 min, 14 anos.

Serras da Desordem (2006), de Andrea Tonacci, Brasil, 35mm, 135 min, 10 anos.

 

2 de julho (sábado) – Cinema 1

15h – Debate Poder da mídia, com a Anna Azevedo (Cineasta e Jornalista), Josinaldo Medeiros (Coletivo Maré Vive) e Thiago Dezan (Documentarista)

17h – Levante a sua voz (2013), de Pedro Ekman, Brasil, Digital, 17 min, livre.

Muito Além do Cidadão Kane (1993), de Simon Hartog, Reino Unido, Digital, 93 min, livre

19h30 – Maranhão 66 (1966), de Glauber Rocha, Brasil, 35mm, 10 min, 12 anos.

A Revolução não será televisionada (2013), de Donnacha O’Brian e Kim Bartley, Irlanda, Digital, 74 min, 14 anos

 

3 de julho (domingo) – Cinema 1

16h – Liberdade de imprensa (1967), de João Batista de Andrade, Brasil, 25 min, 16mm, livre.

Um filme como os outros (1968), de Jean-Luc Godard, França, 16mm, 120 min, livre.

19h – 1968 (1968), de Glauber Rocha, Brasil, 35mm, 20 min, livre

Tempos Modernos (1936), de Charlie Chaplin, EUA, 16mm, 87 min, livre.


Serviço:

Mostra Cinema Político: O poder da imagem

Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinemas 1 e 2
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Data: 14 de junho a 3 de julho de 2016 (terça-feira a domingo)
Horário: Consultar programação
Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia.
Lotação: Cinema 1 – 78 lugares (mais 3 para cadeirantes) / Cinema 2 – 80 lugares (mais dois para cadeirantes)
Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 10h às 20h
Classificação Indicativa: Consultar programação
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui