“Mostra acessível Rio das Olimpíadas” ocupa o Teatro Cacilda Becker

Com base em Recife, o Janeiro de Grandes Espetáculos – FIAC/PE traz ao Rio de Janeiro, de 23 a 28 de agosto (terça a domingo), no Teatro Cacilda Becker, a Mostra Acessível Rio das Olimpíadas com uma programação nacional abrangente e diversificada, uma vez que inclui companhias provenientes do Ceará, Rio Grande do Norte, São Paulo, além do Rio de Janeiro, interpretados por artistas com diferentes tipos de deficiências (cadeirantes, anões, cego, usuário de muletas, lesão cerebral, membros atrofiados) junto a artistas sem deficiências, unindo os universos das artes cênicas e da acessibilidade.

Do Rio Grande do Norte, a Cia Gira Dança traz dois trabalhos: “Sem conservantes” de Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira; e “Proibido para elefantes” de Clébio Oliveira, coreógrafo de Natal que ganhou o mundo. De São Paulo, o ator-palhaço Nando Bolognesi traz “Se fosse fácil, não teria graça”, uma tragicomédia que pode ser considerada a primeira sitdowntragedy, pois faz rir e chorar e convida o público a repensar o modo de estar no mundo e a enxergar a vida. Este trabalho, que contará com recurso de tradução em libras, é baseado na história de vida de Nando, que ao descobrir ser portador de esclerose múltipla, decidiu superar as dificuldades da doença degenerativa e incurável, usando sua experiência como clown para contar, de maneira emocionante e divertida, como tem enfrentado as situações mais corriqueiras. Do Ceará, o Grupo Ninho de Teatro traz “Avental todo sujo de ovo”, com audiodescrição e com uma visita tátil, ou seja, o momento anterior a apresentação acessível, quando o público formado por pessoas cegas ou de baixa visão, visita o cenário, antes da apresentação, e assim, terá uma vivência espacial a ser incorporada antes que este público se sente para ouvir os diálogos, os sons e a audiodescrição. Do Rio de Janeiro, a Pulsar Cia de Dança apresenta “Indefinidamente indivisível”, peça coreográfica que abre caminhos para uma entrada poética e plástica no pensamento bergsoniano. O espetáculo da Pulsar conta com voz em off de Angel Vianna.

– Queremos com a Mostra Acessível Rio das Olimpíadas promover artistas com deficiência, que realizam trabalhos dentro dos parâmetros profissionais de máxima qualidade artística, e promover também a reflexão: sobre a criação estética que envolve os recursos de acessibilidade; a acessibilidade dos espaços culturais; e sobre como aproximar artistas com e sem deficiência para que trabalhem juntos e explorem novos formatos e novas visões de mundo, partindo de suas diferenças –, comenta Paula de Renor, coordenadora de produção da Mostra.

Durante a programação também acontecerá: o workshop “Dança contemporânea e consciência através do movimento” com Teresa Taquechel (Pulsar Cia de Dança), no dia 26 das 10h às 13h e no dia  28 das 12h às 15h; a mesa redonda “Curadoria Inclusiva: como identificar, programar e produzir o trabalho do artista com deficiência”, com tradução em libras e audiodescrição, no dia 28, às 16h; e uma conversa com o público depois do espetáculo “Avental todo Sujo de Ovo”, no dia 27.

O Janeiro de Grandes Espetáculos – Festival Internacional de Artes Cênicas de Pernambuco (FIAC/PE), acontece ininterruptamente há 23 anos, sendo considerado o maior festival de artes cênicas de Pernambuco, movimentando durante todo mês de janeiro a cidade de Recife e mais outras 3 cidades do interior do estado, com programção local, nacional e internacional.

23 de agosto, terça-feira, às 20h
Espetáculo: SE FOSSE FÁCIL, NÃO TERIA GRAÇA
Nando  Bolognesi / SP

Autor, diretor e intérprete: Nando Bolognesi
SINOPSE: Baseado na autobiografia “Um palhaço na boca do vulcão” (Editora Grua), do ator-palhaço Nando Bolognesi, que ao descobrir ser portador de esclerose múltipla, Nando Bolognesi decidiu superar as dificuldades da doença degenerativa e incurável, usando sua experiência como clown para contar, de maneira emocionante e divertida, como tem enfrentado as situações mais corriqueiras. O espetáculo é uma tragicomédia que pode ser considerada a primeira sitdowntragedy, pois faz rir e chorar e convida o público a repensar o modo de estar no mundo e a enxergar a vida. https://www.youtube.com/watch?v=L0f7uDHgAto 
Duração: 80 minutos
Censura: 14 anos
*Recurso de tradução em libras

24 de agosto, quarta-feira, às 20h
Espetáculo: SEM CONSERVANTES
Cia Gira Dança / RN

Direção artística, coreografia e pesquisa de linguagem: Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira
Direção geral e artística: Anderson Leão
Elenco: Álvaro Dantas, Jânia Santos, Marconi Araújo, Rozeane Oliveira e Wilson Macário
SINOPSE: Trabalhar com o desapego e o abandono faz parte de uma obra intitulada de “Sem Conservantes”. Perguntas como: Onde? Porque? Para que? e Como?, foram norteando as escolhas desta metamorfose que transforma a ideia, muitas vezes, bastante diferenciada de dois coreógrafos que dividem a criação. As negociações se transformam em dramaturgias. Os conflitos se baseiam em seus percursos e criam suas intenções. Trata-se de fragmentos da memória presente em fotografias tiradas dos vídeos de processos anteriores de Ângelo e Ana Catarina: “Somtir” (2003), “Outras Formas”(2004) e “Clandestino” (2006). Fotos em posições especificas e escolhidas para se tornarem marcas da linguagem da dupla. Essas fotografias geram os materiais a partir dos corpos que também possuem uma memória e nesta mistura de “memórias” geram-se os resultados coreográficos. https://www.youtube.com/watch?v=rGNL26b4TkU 
Classificação: LIVRE
Duração: 60 minutos

25 de agosto, quinta-feira, às 20h
Espetáculo: PROIBIDO ELEFANTES
Cia Gira Dança / RN

Concepção, coreografia e direção: Clébio Oliveira
Bailarinos: Álvaro Dantas, Jania Santos, Joselma Soares, Marconi Araújo, Rodrigo Minotti e Rozeane Oliveira
SINOPSE: O espetáculo trata do olhar como via de acesso, porta de entrada e saída de significados. O modo como percebemos a “realidade” é resultante do diálogo que estabelecemos com esta: nosso olhar é constituído pela realidade assim como a realidade é constituída pelo nosso olhar – a construção do sentido transita em via de mão-dupla. O olhar enquanto apreensão subjetiva do mundo é, neste trabalho, apontado como elemento potencializador do sujeito diante dele mesmo. Proibir elefantes é restringir o acesso, impedir o livre trânsito do animal que serve como meio de transporte na Índia, mas que causaria enormes transtornos em outras localidades. Proibir elefantes, neste espetáculo, é proibir o olhar que ressalta as limitações, os impedimentos; que duvida da capacidade do sujeito frente à adversidade. Proibir elefantes, aqui, é apostar no olhar do sujeito sobre si e sobre o mundo em que vive como elemento ressignificador e instaurador de realidade. https://www.youtube.com/watch?v=vQEmO92zLG8 
Classificação: 12 anos
Duração: 55 minutos

26 de agosto, sexta-feira, às 20h
Espetáculo: INDEFINIDAMENTE INDIVISÍVEL
Pulsar Cia de Dança / RJ

Criação e direção: Teresa Taquechel
Intérpretes: Andrea Chiesorin,  Beth Caetano, Bruno Alsiv, Laura Canabrava, Marianne Panazio, Moira Braga, Raphael Arah e Rogério Andreolli 
Voz em Off: Angel Vianna
SINOPSE: O espetáculo traça um roteiro de possibilidades e variantes. O risco permanece, pois o erro é a parte viva do acerto: abre para o que pode vir a ser. O uso das bolas infláveis neste processo investigativo permite que os corpos vivenciem de forma intensa a transformação e a imprevisibilidade do movimento. Abre caminhos para uma entrada poética e plástica no pensamento do filósofo Henri Bergson. A mudança é indivisível, o tempo – duração – é indefinidamente indivisível.
Classificação etária: LIVRE
Duração: 55 minutos

27 de agosto, sábado, às 20h
Espetáculo: AVENTAL TODO SUJO DE OVO
Grupo Ninho de Teatro / CE
Texto: Marcos Barbosa
Direção: Jânio Tavares
Elenco: Edceu Barboza, Joaquina Carlos, Rita Cidade e Zizi Telécio
SINOPSE: Trata da relação familiar, com seus sentimentos, limitações e suas in/verdades. O espetáculo convida os espectadores a visitarem a casa de Alzira e Antero, o casal que há dezenove anos, junto à comadre Noélia vive a angustiante espera do filho Moacir. Este cotidiano só se modificará apartir da inesperada visita de Indienne Du Bois. Na trama um jovem interpreta sem risco de esteriótipos alguém muito mais velho que o ator, uma mulher uma transsexual e um deficiente físico um papel que não dá ênfase para esta deficiência. https://www.youtube.com/watch?v=ooIYO7JTqMo 
Classificação: 14 anos
Duração: 70 minutos
*Recurso de Audiodescrição

Ficha Técnica da Mostra

Realização: Janeiro de Grandes Espetáculos – FIAC/PE
Produção e coordenação geral: Remo Produções Artísticas
Coordenação de produção: Paula de Renor
Produção executiva: Mônica Biel
Curadoria e mediação da mesa redonda: Paula Lopez
Audiodescrição: Nara Medeiros
Tradução em Libras: Milonga Digital Web Mídia
Workshop: Teresa Taquechel (Pulsar Cia de Dança)
Educativo e sensibilização de plateia: Carla Strachmann
Coordenação técnica: Marcos Siqueira
Assessoria de imprensa: Ney Motta | contemporânea comunicação
Assistência de assessoria de imprensa: Ana Andréa

Serviço
 
Mostra Acessível Rio das Olimpíadas
Local: Teatro Cacilda Becker. Rua do Catete, 338, Catete, Rio de Janeiro. Tel. 21 2265-9933 (próximo a Estação Largo do Machado do Metrô)
Dias: 23 a 28 de agosto, terça a sábado às 20h e domingo às 16h
Capacidade de público: 186 pessoas, com acesso facilitado para deficientes físicos
Programação completa no site www.janeirodegrandesespetaculos.com 
Classificação indicativa: vide programação
Ingressos GRÁTIS
Distribuição dos ingressos 1h antes de cada espetáculo

DEIXE UM COMENTÁRIO