Mônica Salmaso traz o show de seu novo CD Corpo de Baile ao Teatro Tom Jobim

Comemorando 20 anos de carreira discográfica, Mônica Salmaso está indicada a quatro prêmios no 26º Prêmio da Música Brasileira deste ano

Concebido em torno de 14 canções compostas em parceria por Guinga e Paulo César Pinheiro – várias inéditas e muitas delas guardadas há 40 anos – o CD Corpo de Baile reúne uma gama variada de músicos e arranjadores. E é este repertório que Mônica Salmaso vai mostrar em dois shows, dias 27 e 28 de junho, sábado e domingo, no Teatro Tom Jobim.

Corpo de Baile, além de ganhar elogios rasgados da mídia, deu à Mônica o maior número de indicações por artista do 26º Prêmio da Música Brasileira que será realizado no dia 10 de junho no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. A cantora paulistana concorre em quatro citações: melhor cantora, melhor CD, melhor canção (Sedutora) e melhor arranjador (Lucas Reale em Corpo de Baile).

A parceria de Guinga e Paulo Cesar Pinheiro – uma das mais criativas da MPB contemporânea – é, para Mônica, um tesouro raro e um desafio para qualquer intérprete. “Esse repertório é um presente para qualquer cantor que goste de melodia, de letra, de harmonia. Por isso é um disco importantíssimo pra mim. É como se eu estivesse me preparando estes anos todos para gravá-lo, mesmo sem saber”, conta Mônica. 

“Para oferecer 14 canções (muitas inéditas) essa densidade, achei que precisava colorir o repertório com diferentes arranjadores, para que uma música não pesasse sobre a outra”, explica a cantora. “A gente fez uma gama de cores, convidando Dori Caymmi, Tiago Costa, Nailor Proveta, Teco Cardoso, Luca Raele, Nelson Ayres e Paulo Aragão para assinarem os arranjos. Curiosamente, em um momento em que é de se esperar discos novos com formações pequenas, eu fiz o disco mais recheado da minha carreira”, conclui a cantora paulistana.

Dentre as escolhidas, Bolero de Satã, gravada por Elis Regina no disco Essa Mulher, é a mais conhecida dentre as que já tinham sido gravadas. “Achei que era o caso de regravar oBolero de Satã para situar a parceria dentro do que as pessoas já ouviram”, pontua Mônica, que nos conta ainda que as canções que não são inéditas foram registradas em discos de pequenas tiragens, vinis ou edições especiais.

Entre as canções da dupla, Mônica passeia pelo nordeste em Porto de Araujo e celebra a natureza em Quadrão; lança a marcha Rancho das Sete Cores; vai da moda telúrica (Violada) às valsas francesa (Nonsense) e brasileira (Corpo de Baile), passando por um inusitado fado, Navegante – o velho formato invadido pelas invenções harmônicas de Guinga. Abrange da cultura indígena de Curimã à católica de Procissão da Padroeira e recria o que a dupla faz melhor, canções densas como Fonte Abandonada e Noturna, e ainda lança a modinha Sedutora.

O CD Corpo de Baile tem direção musical de Mônica com Teco Cardoso (que assina a produção). Foram arregimentados músicos especialíssimos em instrumentos como violão, viola caipira, piano, cordas, clarinetes, banda de sopros incluindo trombone, trumpete, trompa e tuba, baixo acústico e percussão. O grupo Sujeito a Guincho (quinteto de clarinetes) e o Quarteto de cordas Carlos Gomes também participam do disco, que foi gravado ao vivo no estúdio. “A gente tocou o mais junto possível, o que é uma outra característica desse disco. As pessoas se encontravam no estúdio, todo mundo junto, feito antigamente, comemorando fazer música junto”, relembra Mônica.

Para o show de lançamento deste CD Mônica convidou o cineasta e fotógrafo Walter Carvalho para fazer um vídeo cenário, onde uma projeção em um tule transparente entre a plateia e a cantora com os músicos, que interage com a música. Uma criação autoral de Walter Carvalho, que repete a parceria com Mônica após a direção dele para o DVD Alma Lírica Brasileira, o trabalho anterior da cantora.

Estarão no palco com Mônica nove músicos: Teco Cardoso nos sopros e direção musical, Nailor Proveta (clarineta e saxofones), Paulo Aragão (violão), Nelson Ayres (piano e acordeon), Neymar Dias (contrabaixo e viola caipira) e Quarteto Carlos Gomes: Cláudio Cruz (violino), Adonhiran Reis (violino), Gabriel Marin (viola) e Alceu Reis (cello).

O projeto aprovado na Lei de Incentivo a Cultura do Ministério da Cultura  conta com o patrocínio do Bradesco e chega ao Rio de Janeiro depois de estrear em São Paulo. Vai passar ainda por Curitiba, Porto Alegre, Brasília e Belo Horizonte, entre outras cidades.

SERVIÇO

Show: “Corpo de Baile” – Mônica Salmaso

Local: Teatro Tom Jobim (Rua Jardim Botânico, 1008 – Tel: (21) 2274-7012 – Jardim Botânico – RJ)

http://jbrj.gov.br/visitacao/espacotomjobim

Datas: 27 e 28 de junho de 2015 – sábado e domingo

HorárioDia 27, sábado, às 21hs, e dia 28, domingo, às 20hs

Duração: 80 min. aproximadamente

Ingresso: R$ 40,00 e R$ 20,00 (meia entrada para menores de 21 anos e acima de 60 anos, classe artística, estudantes, professores da rede pública, portadores de necessidades físicas, sócios e funcionários do JBRJ e e funcionários da Embrapa)

Venda também pela  Ingresso.com ou pelo telefone 4003 2330 e também na bilheteria do local

Censura: livre

Capacidade:  378 lugares

Estacionamento:  400 vagas disponibilizadas nos dois estacionamentos do Jockey Club (um na Rua Jardim Botânico, 1.003 e outro em frente à Praça Santos Dumont) – desconto especial ao apresentar o ingresso. Para maior comodidade, verifique os preços cobrados pelo telefone (21) 2103- 4076.

– Vagas exclusivas na Rua Jardim Botânico, 1.008 para pessoas com deficiência que venham em carros adaptados e adesivados.

Acessibilidade: Sim

Ar condicionado

DEIXE UM COMENTÁRIO