Mimo Festival volta a Paraty

Artistas como Elza Soares, Dakhabrakha, Mario Lucio Sousa, Emicida e Wilson das Neves, entre outros grandes nomes nacionais e internacionais, se apresentarão em tradicionais igrejas históricas e na Praça da Matriz. A programação gratuita é vasta e inclui ainda filmes, workshops e até chuva de poesia

Consagrado como o maior festival gratuito de música do país, que reúne atrações dos mais variados continentes, concertos, filmes, palestras, poesia, workshops, tendo sempre a musicalidade como a atração principal, e cidades históricas, com as suas praças e igrejas como pontos de referência, o MIMO Festival chega à sua 13ª edição anual.  Em 2016, leva parte do evento para as históricas cidades de Tiradentes e Ouro Preto, em Minas Gerais, entre os dias 7 e 9 de outubro – e volta à Paraty entre os dias 14 e 16 de outubro. Já no mês de novembro será a vez das cidades do Rio de Janeiro (11 a 13 de novembro) e Olinda (18 a 20 de novembro).

Entre os destaques da programação de Paraty, cujo centro histórico é considerado pela UNESCO como “o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso do Brasil”, e também patrimônio nacional tombado pelo IPHAN, além de ser candidata a Patrimônio da Humanidade, estará a reunião de diferentes estilos da música instrumental.

O quarteto ucraniano Dakhabrakha, maior expoente da nova música do Leste Europeu, que renova a tradição ucraniana de folk music, com pinceladas de melodias e ritmos de toda parte do mundo é uma das atrações. Estarão presentes ainda no festival, nomes como Ana Oliveira Quarteto, Emicida com Wilson das Neves e o premiado escritor, compositor e ex-ministro da Cultura Caboverdiano, Mário Lúcio Sousa.

Ricardo Herz e Samuca do Acordeon prometem uma apresentação memorável na Igreja da Matriz dos Remédios. Elza Soares vai brindar a todos com o show de seu novo e aclamado trabalho “A mulher do fim do mundo” (2015), o primeiro CD de inéditas de sua trajetória, com músicas assinadas pela vanguarda musical paulistana. Diretamente do Senegal, Cheick Lô vai tocar na cidade e nomes como CCOMA e Messias Britto Trio, um dos vencedores do Prêmio Mimo Instrumental. Para encerrar a programação musical, o público vai poder bailar à vontade na Praça da Matriz, com Hamilton de Holanda e o Baile do Almeidinha.

A etapa educativa mais uma vez contará com a participação dos músicos, que se apresentam no Mimo, ministrando workshops para quem se inscreveu no site do festival. O Fórum de Ideias vai acontecer na Casa da Cultura de Paraty (Emicida está confirmado), que também vai abrigar o Festival Mimo de Cinema, onde serão exibidos nesse mesmo período (14 a 16 de outubro), cerca de 16 filmes, que têm em comum o fato de abordarem a música em seus roteiros, todos inéditos, segundo a curadora Rejane Zilles.

Serão exibidos, por exemplo, “Chico Science – Caranguejo Elétrico” e “Essa barra que é gostar de você”. No último dia do evento, mais uma vez quem estiver por lá poderá conferir a chuva de poesias na Igreja do Rosário, que contará com obras dos poetas portugueses Teixeira de Pascoaes, Mário de Sá-Carneiro, Mário Cesariny e António Maria Lisboa.

Sobre o MIMO

Realizado anualmente desde 2004, o MIMO Festival sempre esteve intrinsecamente associado a patrimônio, cultura e educação. Todas as suas atividades são oferecidas gratuitamente ao público e acontecem em cidades com forte valor histórico e reconhecidas mundialmente pela preservação de seus patrimônios culturais. Todas as atividades do MIMO são oferecidas gratuitamente ao público. Sua extensa programação, dedicada à música instrumental, erudita e popular, reúne concertos de nomes consagrados e novas tendências do Brasil e exterior.

O MIMO ocupa, com excelência, espaços representativos dos locais onde se realiza, como igrejas, museus e parques. As atividades promovem a reflexão sobre a diversidade da produção artística local e dos diferentes panoramas mundiais e atendem a vários públicos durante a sua realização.

Em 2016, o MIMO concretizou o seu processo de expansão internacional, chegando a Europa. Portugal foi o país escolhido pelas afinidades como Brasil e o perfil do festival. Amarante, uma bela cidade da Região Norte do país, com construções que respiram história e berço de ilustres nomes da cultura portuguesa, recebeu a primeira edição internacional do festival, que reuniu 24 mil espectadores e apresentou atrações de luxo como Pat Metheny e Ron Carter, Tom Zé e Vieux Farka Touré. 

Idealizado em 2004 por Lu Araújo, também diretora artística e dona da Lu Araújo Produções, em 2013 o MIMO passou a ter como sócio o empresário Luiz Calainho. A partir de 2015, mais uma empresa se associa ao evento, a Musickeria, de Calainho, Flávio Pinheiro e Afonso Carvalho. O festival é um dos mais importantes eventos de brand experience do Brasil.

A edição 2016 do MIMO Festival conta com o patrocínio do Bradesco, Cielo e BNDES, e apoio da Estácio.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA MIMO PARATY

ANA OLIVEIRA QUARTETO (Brasil)

14 OUT (SEX)

Paraty · 20H

Igreja da Matriz dos Remédios

O quarteto liderado pela experiente violinista foi criado este ano e reúne músicos que têm por afinidade a prática da música de câmara e interesse pelo repertório dos sec. XX e XXI da música brasileira e latino-americana. Esta formação instrumental clássica, composta por dois violinos, uma viola e um violoncelo, é considerada uma das mais importantes na música de câmara, com peças escritas por compositores de todo o mundo. No Brasil, Villa-Lobos escreveu uma obra monumental de 17 quartetos de cordas. O grupo é integrado por Ana de Oliveira e Dhyan Toffolo (violinos), Rúbia Siqueira (viola) e Marcus Ribeiro (violoncelo), todos músicos de grandes orquestras. No repertório do quarteto, que participa da Etapa Educativa do MIMO, estão obras dos mestres Radamés Gnatalli, Guerra-Peixe, Edino Kriger e José Siqueira, além de Villa-Lobos.

DAKHABRAKHA (Ucrânia)

14 OUT (SEX)

Paraty · 22H

Palco Praça da Matriz

Maior expoente da nova música do Leste Europeu, o quarteto criado por alunos do vanguardista Teatro de Arte Contemporânea de Kiev renova a tradição ucraniana, com pinceladas de melodias e ritmos de toda parte do mundo. A mistura vigorosa causa grande impacto mais pelas atuações, que soam como inteira novidade, do que pelo significado do que cantam. O próprio nome do grupo representa o “dar e receber” da explosiva energia trocada entre eles e o público e também à moderna roupagem com que revestem a folk music de seus antepassados. Depois de 12 anos de experimentação e em plena turnê internacional, Iryna, Nina, Olena e Marko apresentam, com exclusividade no MIMO Festival, o showque vem arrebatando plateias nos EUA, Canadá, Rússia, França, Inglaterra, Suécia, Alemanha, Áustria e Nova Zelândia.

EMICIDA convida WILSON DAS NEVES (Brasil)

14 OUT (SEX)

Paraty· 00H

Palco Praça da Matriz

Um dos mais bem-sucedidos rappers brasileiros, Emicida apresentará no MIMO Paraty o segundo álbum de estúdio, “Sobre crianças, quadris, pesadelos e lições de casa”. Resultado de uma viagem de 20 dias por Angola e Cabo Verde, foi gravado em parte com artistas locais. “Sobre Crianças…” trata de racismo, mas prefere reforçar a beleza negra e a ancestralidade. “É um disco de exaltação, é mais sobre gostar da gente do que odiar o outro lado”, explica o paulistano, que se destacou nas batalhas de freestyle e se popularizou ao vender a primeira mixtape a R$2,00 em 2009. Com o álbum “O glorioso retorno de quem nunca esteve aqui” (2013), foi para o topo das listas de melhores discos do ano e consolidou  sua carreira, levando-o a grandes festivais, como o Rock In Rio, e a turnês pelos EUA e Europa. No MIMO Paraty, terá como convidado especial o lendário sambista Wilson das Neves, que em 2016 completa 62 de carreira e 80 de idade.

MARIO LUCIO SOUSA (Cabo Verde)

15 OUT (SAB)

Paraty· 19H

Igreja de Santa Rita

O premiado escritor, compositor e ex-ministro da Cultura Caboverdiano, Mário Lúcio Sousa, apresenta no MIMO Paraty um concerto dedicado ao melhor da música de seu país. Condecorado com a Ordem do Vulcão, ao lado de Cesária Évora, foi o artista mais jovem a receber tal distinção. Fundou o grupo musical Simentera, que marcou o regresso decisivo da música cabo-verdiana às suas raízes acústicas e reivindicou a cultura continental africana como elemento da identidade cultural cabo-verdiana. Multi-instrumentista, já gravou com nomes como Manu Dibango, Paulinho da Viola, Maria João e Mário Laginha, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Pablo Milanés e Teresa Salgueiro. 

RICARDO HERZ E SAMUCA DO ACORDEON (Brasil) 

15 OUT (SÁB)

Paraty · 20H

Igreja da Matriz dos Remédios

Ricardo Herz reinventou o violino brasileiro. Sua técnica leva ao instrumento o resfolego da sanfona, o ronco da rabeca e as belas melodias do choro tradicional e moderno. Samuca do Acordeon é um dos mais notórios músicos da nova geração de instrumentistas do Rio Grande do Sul. Tendo o seu instrumento como protagonista, desde a escolha por usá-lo em seu nome até a forma como aparece em suas músicas, Samuca estabelece uma íntima e empática relação com seu acordeon.  Apresentando o recém lançado álbum “Novos Rumos”, o duo traz um repertório repleto de músicas autorais, inspiradas em ritmos como o choro, frevo, tango e chamamé, além de parcerias dos dois e improvisações. Desde o primeiro encontro, Samuca e Herz perceberam que tinham grande afinidade tanto pessoal quanto musical e garantem uma parceria memorável na música instrumental brasileira.

ELZA SOARES (Brasil)

15 OUT (SÁB)

Paraty · 22H

Palco Praça da Matriz

Com a sua voz rouca e rascante e um inconfundível estilo de interpretação, a cantora carioca chega inovando aos 79 anos de idade, 60 deles dedicado à carreira, e sendo celebrada pela crítica e o público mais jovem. Atração da cerimônia de abertura da Olimpíada do Rio e considerada a melhor cantora do milênio pela rede BBC, Elza Soares apresentará no MIMO Festival seu novo e aclamado trabalho “A mulher do fim do mundo” (2015), o primeiro CD de inéditas de sua trajetória, com músicas assinadas pela vanguarda musical paulistana. Eleito o “álbum do ano” pela APCA e a revista “Rolling Stone”, ganhou o Prêmio da Música Brasileira de 2016, na categoria pop/rock/reggae/hip-hop/funk. Lançado em maio no mercado internacional, o disco vem arrancando entusiasmados comentários da critica estrangeira.

CHEICK LÔ (Senegal)

15 OUT (SÁB)

Paraty · 00H

Palco Praça da Matriz

Uma voz festiva e, ao mesmo tempo, elegante, atraente e espiritual classificam a identidade sonora de Cheikh Lô. Considerado um dos maiores nomes da África Ocidental na atualidade, o artista senegalês se apresentará pela primeira vez no Brasil, no palco do MIMO Festival. Ao completar 40 anos de carreira,em 2015, Cheikh Lô lança no mercado internacional o CD comemorativo “Balbalou”. O álbum brinda os fãs com arranjos criativos, reforçando o seu nome como um dos principais da inventiva música africana e confirmando sua presença nos principais festivais do circuito Europeu. Em 2015, foi homenageado no Womex recebendo o Artist Award, importante premiação por sua contribuição e reconhecimento como artista, além do conjunto da obra. O show terá o melhor dos ritmos senegaleses com destaque para o “mbalax”.

MESSIAS BRITTO TRIO (SP) – PRÊMIO MIMO INSTRUMENTAL (Brasil)

16 OUT (DOM)

Paraty · 11H

Igreja do Rosário

Foi no sertão da Bahia, onde nasceu, que o cavaquinista ouviu pela primeira vez o mestre Waldir Azevedo. Encantou-se com o choro e, aos 14, formou o grupo “Os Chorões do Cumbe”. Mais tarde, a convite do Clube do Choro da Bahia, mudou-se para Salvador. Integrante do Grupo Mandaia e do Quarteto Aeromosca, foi morar em São Paulo aos 19. Unindo com criatividade o tradicional ao moderno, promove o diálogo do cavaquinho com o piano, pandeiro e do violão 7 cordas, em arranjos originais, reunidos no CD “Baianato”, que mostrará no MIMO. 

CCOMA (Brasil)

16 OUT (DOM)

Paraty · 17H30

Palco Praça da Matriz

O duo de jazz étnico e eletrônico de Caxias do Sul, formado há 11 anos pelo baterista e produtor Luciano Balen e o trompetista Roberto Scopel, volta ao MIMO Festival para apresentar o quarto álbum de carreira, “Subtropical temperado”, recém-lançado pelo selo Natura Musical. Atração do MIMO Olinda em 2012 e vencedora do Prêmio da Música Brasileira de 2013, na categoria “melhor álbum eletrônico”, por “Peregrino”, a dupla turbina a sua sonoridade ao adicionar a voz de Etiene Nadine e o baixo de Rafael de Boni no CD que revisita os timbres do final dos anos 1970 e início dos 1980. “Aprendendo a jogar”, música de Guilherme Arantes e sucesso de Elis Regina, ganha nova roupagem no disco que traz o bugio dos Irmãos Bertussi, “O casamento de Doralícia”, cúmbia, bolero, funk carioca e afrobeat.

HAMILTON DE HOLANDA E BAILE DO ALMEIDINHA (Brasil)

16 OUT (DOM)

Paraty · 21H30

Palco Praça da Matriz

Realizado há quatro anos para um público superior a 60 mil pessoas, a ideia da festa surgiu do desejo de reviver as inesquecíveis Domingueiras Voadoras, que o Circo Voador, na Lapa, promovia aos domingos com enorme sucesso, ao som de Paulo Moura e a Orquestra Tabajara. Entusiasmado, o ás do bandolim de 10 cordas Hamilton de Holanda chamou amigos músicos para participar da nova versão do evento, que acontece uma vez por mês e conta com a participação de grandes artistas. A cada edição, o público dança e canta em coro com Hamilton e a banda Magnífica. No repertório, estão sucessos de Chico Buarque, Pixinguinha, Paulinho da Viola e do próprio Hamilton.

ETAPA EDUCATIVA

MIMO PARA INICIANTES – CONCERTO DIDÁTICO

Ministrante: ANA DE OLIVEIRA QUARTETO (Brasil)

14 OUT (SEX)

Paraty · 10H ÀS 11H

Local: Igreja da Matriz dos Remédios

O quarteto de cordas é uma formação instrumental clássica, composta por dois violinos, uma viola e um violoncelo. Considerada uma das formas mais importantes na música de câmara, a partir do século XVII, tem peças criadas pela maioria dos compositores de todo o mundo. No Brasil, Heitor Villa-Lobos escreveu uma obra monumental de 17 quartetos de cordas. Com o intuito de proporcionar às crianças e aos jovens o primeiro contato com a música de concerto, os instrumentos de cordas friccionadas e a música de câmara, o Ana de Oliveira Quarteto, liderado pela experiente violinista brasileira, apresentará uma aula/espetáculo com obras de grandes autores do país, como Villa-Lobos e Guerra-Peixe. O grupo também falará sobre as obras e os compositores escolhidos, estimulando o entendimento e a aproximação com o público. 

Workshop: MBALAX, A MÚSICA DO SENEGAL

Ministrante: CHEIKH LÔ (Senegal)

14 OUT (SEX)

Paraty · 14H ÀS 16H

Local: Casa da Música

O fabuloso músico senegalês, percussionista, cantor, guitarrista e especialista na dança popular em seu país, Mbalax, ministra workshop acompanhado por seu percussionista Samba, que utiliza como principais instrumentos de percussão a Tama (talking drum) e o Sabar (instrumento tradicional do Senegal). Juntos, os dois ensinarão ritmos senegaleses populares, através de exemplos musicais e exercícios rítmicos, entremeados por estórias recentes da música em seu país. Este workshop é direcionadoa percussionistas, mas aberto ao público em geral. Os selecionados devem levar seus instrumentos de percussão.

Workshop: MÚSICA VOCAL E PERFORMANCE

Ministrante: DAKHABRAKHA (Ucrânia)

15 OUT (SÁB)

Paraty · 10H ÀS 12H

Casa da Cultura de Paraty

O original grupo de Kiev cuja obra se fundamenta na música tradicional da Ucrânia e no Teatro, ministra Workshop sobre a música vocal de seu país, o canto tradicional e os instrumentos utilizados, as canções e suas estórias, levando o público a acompanhar seus processos criativos, sua verve dramática e sua abordagem contemporânea que gera esta expressão artística tão singular.

Workshop: MÚSICA POPULAR DE CÂMARA

Ministrante: RICARDO HERZ E SAMUCA DO ACORDEON (Brasil)

15 OUT (SÁB)

Paraty · 14H ÀS 16H

Casa da Música

Ricardo Herz (violino) e Samuca do Acordeon  apresentarão juntos  a faceta camerística do trabalho em duo, sobre diversos estilos de música popular brasileira,  destacando a maneira singular de utilização de cada um de seus instrumentos nos arranjos, em que se alternam ora como solista, ora como acompanhante.  Serão ainda apresentados exercícios de harmonia, técnica de improvisação e de agilidade neste workshop dirigido a estudantes e profissionais de todos os instrumentos musicais e o público em geral.

Workshop: TUDO É MÚSICA

Ministrante: GUILHERME KASTRUP (Brasil)

16 OUT (DOM)

Paraty  · 10H ÀS 12H

Local: Casa da Música

Diretor artístico do premiado “A mulher do fim do mundo”, o arrojado álbum novo de Elza Soares, o produtor musical, baterista e percussionista Guilherme Kastrup mostrará como os sons, quando organizados, se transformam em música. Ele utilizará objetos do cotidiano, como panelas, conduítes, galões e brinquedos neste workshop, além de apresentar exercícios lúdicos de percussão corporal. A atividade é dirigida a percussionistas, jovens estudantes de música e de arte, educadores e público em geral.

Workshop: INCUBADORA DA MÚSICA

Ministrante: LUCIANO BALEN (Brasil)

16 OUT (DOM)

Paraty · 10H ÀS 12H

Casa da Cultura

Projeto permanente na Serra Gaúcha, com quatro anos de existência e mais de 70 encontros realizados, tem o objetivo de apresentar a músicos e produtores as ferramentas de marketing voltadas para o “Negócio da Música”. A principal ideia é apresentar os desafios contemporâneos da gestão de carreira, apresentar o case da cidade de Caxias do Sul, que vem despontando como um polo de música no Extremo Sul do Brasil, e incentivar os apaixonados pela música bem elaborada “a irem para o front”.

FÓRUM DE IDEIAS

O Fórum de Ideias promove o debate, a reflexão e a troca de conhecimento entre as inúmeras possibilidades de se fazer e pensar a arte através das diferentes expressões culturais. Atividade paralela da programação do MIMO Festival, o Fórum será uma das atrações gratuitas do MIMO Paraty.

TEMA DO FÓRUM DE IDEIAS MIMO 2016: LUGARES DA MEMÓRIA

Curadoria e Mediação: MÁRIO LÚCIO SOUSA

14 OUT (SEX)

15 OUT (SÁB)

Paraty · 15H30

Casa da Cultura de Paraty

FESTIVAL MIMO DE CINEMA

MOSTRA PANORAMA BRASIL

14 OUT (SEX)

Paraty ·18H

Casa da Cultura de Paraty

Filmes

DE QUANDO EM VEZ (16min), deJáder Barreto Lima e Rafaella Pereira de Lima

CAMINHOS DO COCO(91min), de Joice Temple

 

14 OUT (SEX)

Paraty · 20H

Casa da Cultura de Paraty

Filmes

NÃO TEM SÓ MANDACARU (20min), de Tauana Uchôa

ESSA BARRA QUE É GOSTAR DE VOCÊ (19min), de Madiano Marcheti

SICÍLIA JASS(Itália, 74min), de Michele Cinque – Filme internacional convidado

 

15 OUT (SÁB)

Paraty ·18H

Casa da Cultura de Paraty

Filmes

VINILIS FRUTIFERIS (15min), de Victorhugo Passabon Amorim

CACASO NA CORDA BAMBA (88min),de José Joaquim Salles e PH Souza

 

15 OUT (SÁB)

Paraty ·20H

Casa da Cultura de Paraty

Filmes

ORQUESTRA INVISÍVEL LET’S DANCE (20min), de Alice Riff

ANTENA META FISICA (11min), de Idosoidos (Vidasouvidas) e Beth Brandao

WAITING FOR B. (71min), de Paulo Cesar Toledo e Abigail Spindel

 

16 OUT (DOM)

Paraty ·17H30

Casa da Cultura de Paraty

Filmes

SERRA DO CAXAMBU (16min), de Márcio Brito Neto

VIVI (15 min),de Catarina Doolan Fernandes

HISTÓRIAS DE MARABAIXO (72min),de Bel Bechara e Sandro Serpa

 

16 OUT (DOM)

Paraty ·19H30

Casa da Cultura de Paraty

Filmes

FUGA (3min), de Eduardo Roscoe

FAZ QUE VAI (12min), de Barbara Wagner

CHICO SCIENCE, CARANGUEJO ELÉTRICO (86min), de José Eduardo Miglioli

CHUVA DE POESIA

Chuva de Poesia

16 OUT (DOM)

Paraty ·12H

Igreja do Rosário

Criada pelo poeta, tipógrafo e artista plástico Guilherme Mansur, a Chuva de Poesia acontece há mais de 20 anos em Minas Gerais. A mágica desta iniciativa é fazer chover poesia no céu das cidades. Do alto de locais selecionados, milhares de folhas soltas coloridas, com tipografias especiais, são lançadas ao vento para o público que, invariavelmente, lota os locais para receber as pancadas esparsas dos poemas. A cidade de Paraty será presenteada com obras de dos poetas portugueses Teixeira de Pascoaes, Mário de Sá-Carneiro, Mário Cesariny e António Maria Lisboa.

Visite o site: http://mimofestival.com