Marré de Si é o novo espaço gastronômico cultural do Catete

Localizadas na Rua Pedro Américo, em frente ao Casarão Ameno Resedá, duas casas do final do século XIX, uma ao lado da outra, foram revitalizadas e hoje dão vida ao Marré de Si. Idealizado por Pedro e Carlos Lessa, o espaço gastronômico e multicultural vai abrigar a partir de 1 de outubro, uma fábrica de alimentos, loja, área para refeições rápidas, ambientes para exposições, palestras e reuniões. Os sobrados são interligados e, juntos, ao fundo, possuem um surpreendente jardim aberto ao público em meio ao urbano bairro do Catete.

A fábrica é voltada especialmente para a produção de alimentos, numa junção entre cuidados artesanais a equipamentos de alta tecnologia. Nela, massas, assados, molhos, pães e antepastos serão preparados diariamente e vendidos na loja, além de sanduíches feitos na hora, saladas e vinhos. Os alimentos poderão ser consumidos no local, em algum dos espaços de convivência da casa, ou comprados pré-preparados, para finalizar em casa. O Marré de Si ainda fará entregas no Centro e Zona Sul.

Carlos Lessa (foto: O Globo)
Carlos Lessa (foto: O Globo)

Cardápio
Assinado pela chef Tereza Guerra da Officina 3, o cardápio traz uma ampla variedade e preza por alimentos frescos. Antepastos, saladas, sanduíches, pães de fermentação lenta, massa e molhos, e carnes assadas e guarnições são preparados diariamente. Às quartas e sábados, e quintas e domingos, o Marré também vai oferecer aos comensais pratos especiais do dia em cada seção.

Entre as massas, Linguini, Parpadelle e Talharini, e pratos como o Ravióli de abobrinha e tomates secos e o Panzotti de quatro queijos. A lasanha, servida diariamente, será preparada com carne de vitela, linguiça toscana, bacon, vinho tinto, cenoura, aipo e tomate. Antepastos produzidos diariamente, como a Abobrinha Grelhada com infusão de chá verde, e o Ratatouille do Marré, feito com berinjela, tomate, cebola, alho, pimentões vermelhos e verdes ao azeite de oliva e especiarias.

Os assados são outro forte do cardápio, com o exclusivo Poulet do Marré, frango inteiro assado em marinadas especiais, com variações entre vinho branco, suco de laranja, cebola, mel, pimenta do reino branca e limão siciliano; ou com sementes de funcho, suco de uva verde, azeite, sal grosso, aipo e alho. Outras carnes, como a Costelinha de Barbecue e o Lombo recheado também serão oferecidos. Nos sanduíches, delícias como o Lombo de porco recheado com amêndoas, damasco e ameixa, e servido na baguette com tomate caqui e alface; e ainda o Poulet do Marré, com bacon, tomate e ovo cozido.

Massas frescas, recheadas e saborizadas (foto: Alexander Landau)
Massas frescas, recheadas e saborizadas (foto: Alexander Landau)

Arquitetura
Com projeto assinado pelas arquitetas Claudia Vargas e Michelle Costa, os sobrados possuem quase dois mil metros quadrados, sendo 830m² formados por um terreno verde com um verdadeiro jardim tropical. Plantas como ervas aromáticas, uma pequena horta e árvores frutíferas, como uma jabuticabeira, começam a dar seus primeiros frutos. O espaço foi idealizado como área de contemplação e degustação, com vinte mesas, e poderá receber feiras, eventos e exposições com a cara do Marré de Si. Todo espaço é acessível para cadeirantes.

Fachada pós reforma
Fachada pós reforma

“Somos uma fábrica de sabores num ambiente de prazeres e sentidos. Para aqueles que preferem a vida com diversidade. Comer num espaço de eventos e encontros interessantes. Levar para casa ou pedir em casa, certo que o Marré de Si entregará qualidade”, completa Pedro Lessa.

Atividades culturais
Cada cantinho do Marré serve para homenagear uma importante figura para o bairro e o Rio de Janeiro. O escritor brasileiro e fundador da ABL Machado de Assis, que morou no número 206 da Rua do Catete; Bento Lisboa, responsável pelo casamento de D. Pedro II com Teresa Cristina de Bourbon-Duas Sicílias; Pedro Américo, pintor de obras importantes brasileiras do século XIX e homenageado na rua onde estão os casarões; e o economista e professor Carlos Lessa. As áreas externas terão os nomes do arquiteto e paisagista Burle Marx, que transformou jardins e parques da Cidade no século passado; e também da botânica inglesa Margareth Mee, que se especializou em plantas brasileiras e escolheu a vizinha Santa Teresa como morada.

Para a abertura do Marré de Si, duas exposições poderão ser encontradas no centro cultural: “Cerâmica eterna, uma exposição em três tempos” no Espaço Machado de Assis; e “Menina de Ouro” com colagens da poeta Claudia Roquette Pinto, no Espaço Mário de Andrade.

Por que Marré de Si?
A canção francesa “Je suis pauvre pauvre pauvre du Marais” transformou-se também numa popular cantiga de roda brasileira – “eu sou pobre, pobre, pobre de marré, marré, marre/ e sou rico, rico, rico de marré de si” – e foi a escolha dos sócios como nome do novo espaço gastronômico e cultural do Catete, único com esta proposta para a cidade.

Marré de Si remete a França dos pães, vinhos, temperos e queijos, mas também ao lúdico da infância, da cantiga de roda, e também àquele tempo delicioso de nossas vidas que guardamos memórias inclusive pelo paladar”, explica Pedro Lessa.

O Marré de Si nasce como um espaço único, para contemplar a arte, a gastronomia em um mesmo espaço na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Serviço:

Marré de Si – Rua Pedro Américo 270 e 276, Catete. De terça à sexta-feira, das 9h às 20h, e sábados e domingos, das 9h às 17h. Tel.: 3177-0700. www.marredesi.com.br

1 comentário
  1. maria angela oliveira Diz

    não está aberto, uma pena! fomos até lá pelo anuncio e não está em funcionamento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.