Marcos Lessa Lessa se apresenta no Beco das Garrafas

DivulgaçãoMarcos Lessa tornou-se conhecido quando foi semifinalista do The Voice Brasil 2013. Com seu sorriso de menino e voz potente – que impressionou Roberto Menescal -, ele sobe no palco do Beco das Garrafas (Copacabana), no dia 24 de setembro (sábado). O artista esteve no mesmo palco em agosto quando emocionou a plateia com  tributo a Emilio Santiago. Após o bis, Marcos teve dois minutos seguidos de aplausos.

Desta vez, o cearense Marcos Lessa apresenta também músicas de Emílio, agora acompanhadas de clássicos da Bossa Nova e algumas canções de seu primeiro álbum ‘Entre o mar e o sertão’, que será lançado ainda em setembro.

Em ‘Entre o Mar e o Sertão’ David Duarte presenteou Lessa com a faixa de trabalho “O que eu queria”. Com leveza e beleza é uma declaração de amor, onde a simplicidade do cotidiano ganha riqueza: “(…) a gente sabe quando vem e é paixão, a gente sabe se é tesão ou brincadeira, a gente sente quando vem e é amor, o que eu queria, eu queria era de qualquer maneira… Ah! Era de qualquer maneira (…)”.

Já a faixa que dá nome ao disco é uma composição de Paulo Cesar Pinheiro e Evaldo Gouveia, feita especialmente para Marcos, que o define em versos “(…) mas eu parti levando só meu violão, fui por aí deixando atrás muita canção, cantei nas catedrais, cantei nos cafundós, virei a voz do povo e o povo a minha voz. Onde eu vou, vai o mar, vai o sertão, que eu guardei, dentro do meu coração (…)”.

 “O álbum também traz músicas do cantor, como “Poesia flor” e ‘Tua casa sou eu”. Já “Contrassenso” é um dueto com Fagner no qual sobressai a beleza e casamento dos timbres, tão diferentes e tão complementares.

As releituras de clássicos no álbum trazem como destaque “O Morro não tem vez” de Tom Jobim e Vinícius de Moraes; “Último trem” de Fausto Nilo, “O Último pau de arara”, de Venancio, Crumbá e J Guimarães e “Eu quero é botar meu Bloco na rua” de Sergio Sampaio.

A influência de artistas como Fagner, Belchior, Ednardo, Manassés de Souza, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Gonzaguinha direcionou a carreira de Marcos. “Essa minha formação musical, desde a infância, pauta o rumo que dou ao meu trabalho; é por aí que quero seguir adiante: levantando a bandeira da MPB pautada em letras e melodias belas, procurando unir isso ao gosto do grande público”, revela. Mas foi Elis Regina quem teve papel fundamental na opção por seguir a carreira profissional, ela fez pulsar em Marcos, mais forte, o sonho de ser cantor profissional.

Musicos
– Fernando Merlino (Piano)
– Rafael Barata (Bateria)
– Humberto Mirabelli (Violão)
– Rodrigo Villa (Baixo)

Dia 24/09 (sábado)

Local: – Beco das Garrafas: Rua Duvivier, 37 – Copacabana 

.Valor- R$40,00

.Horario- 22h

Classificação etária: 16 anos

Ana Paula Romeiro

Assessoria de Imprensa

tel.: (21) 99601.3908 / 3283.8258