Marcos Chaves abre a edição de 2016 do projeto Os Amigos da Gravura

Artista homenageia Santa Teresa, a partir de 14 de maio, no Museu Chácara do Céu

Marcos Chaves - Painél 5,4 metros - Santa Teresa
Marcos Chaves - Painél 5,4 metros - Santa Teresa

Às vésperas de deixar Santa Teresa, lugar onde nasceu e viveu por mais de cinco décadas, Marcos Chaves presta homenagem ao bairro em sua nova exposição. Convidado para ser o protagonista da primeira edição de 2016 do projeto Os Amigos da Gravura, iniciado em 1953 e retomado em 1992, no Museu Chácara do Céu, o artista se inspirou em cenas sutis do dia a dia local para a produção de seu mais novo trabalho. 

A obra “Amoroso”, feita com exclusividade para o projeto, poderá ser vista de 14 de maio a 12 de setembro. A gravura foi produzida a partir de uma fotografia de um bueiro, tirada em 2015, na Rua Laurinda Santos Lobo, durante uma caminhada do artista pelo bairro. “Era um bueiro normal, mas tinha gravado na tampa a palavra amoroso. Aquilo me chamou atenção e achei bacana torná-la parte de um trabalho tão especial”, explica o artista. 

A Sociedade dos Amigos da Gravura, criada por Raymundo de Castro Maya, nasceu com o objetivo de democratização e popularização da arte, sendo a gravura encarada como peça fundamental a serviço da comunicação pela imagem. “A cada ano, alguns artistas são convidados para participar com um trabalho inédito. A matriz e um exemplar são incorporados ao acervo do museu e a tiragem é limitada a 50 exemplares”, explica Vera de Alencar, diretora dos Museus Castro Maya.

Além da gravura, o artista apresentará um painel inédito de 5,4 metros, que será montado numa das paredes da Chácara do Céu, composto de 12 imagens justapostas. As fotografias, todas tiradas da varanda de sua casa num belo pôr do sol de 2015, formam uma grande panorâmica com a vista do bairro. “Dá para ver o próprio museu no trabalho. Tenho uma relação afetiva muito forte com este espaço. Morei na mesma rua por 12 anos, fiz até aulas de tai chi chuan nos seus jardins”, conta. 

O público poderá conferir ainda o vídeo Adeus é amor, em que o artista filma a amendoeira em frente à varanda de sua casa com única uma folha que voa com o vento, mas que permanece pendurada à árvore. “Parece que ela vai cair, mas como está presa por um fio quase invisível, fica sempre no mesmo lugar se movendo com a brisa”, explica. É mais uma obra cheia de significados para o momento de despedida.

Sobre o artista – Marcos Chaves nasceu no Rio de Janeiro, em 1961, onde vive e trabalha. Iniciou sua atividade artística na segunda metade dos anos 1980. Sua obra se caracteriza pela utilização de diversas mídias, transitando livremente entre a produção de objetos, fotografias, vídeos, desenhos, palavras e sons. Participou da Manifesta7 – The European Biennial of Contemporary Art, na Itália, da 25ª Bienal Internacional de São Paulo, da 1ª e 5ª Bienais do Mercosul, em Porto Alegre, da 17ª Bienal de Havana, em Cuba, e da 3ª Bienal de Lulea, na Suécia. 

O artista realizou exposições individuais e coletivas em importantes instituições no Brasil e no exterior, em países como Japão, Alemanha, Finlândia, Inglaterra, Estados Unidos e Tailândia. 

Sobre o museu – A Chácara do Céu, junto com o Museu do Açude, foram residências de Castro Maya e por ele doadas à Fundação que levou seu nome, criada em 1963 e extinta em 1983, quando ambos foram incorporados ao IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus), do Ministério da Cultura. Os prédios, acervos e parques dos museus foram tombados pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), em 1974.

O Museu Chácara do Céu exibe coleções de arte de diversos períodos e de diferentes origens. Os livros raros, mobiliário e artes decorativas estão distribuídos pela casa de três pavimentos, em Santa Teresa. 

Serviço 

Os Amigos da Gravura
Abertura: 14 de maio (sábado), das 14h às 17h
Visitação: 15 de maio a 12 de setembro de 2016
Local: Museu Chácara do Céu – Rua Murtinho Nobre, 93, Santa Teresa. Tel: (21) 3970-1093
Horário: Diariamente, das 12h às 17h. Exceto às terças-feiras
Ingressos: R$ 2,00 – gratuito às quartas-feiras
Classificação indicativa: Livre

DEIXE UM COMENTÁRIO