“Lugar de mulher… Uma Sátira ao Machismo” no Teatro Vanucci

A comédia “LUGAR DE MULHER … Uma Sátira ao Machismo” com texto, direção e atuação de Claudio Ramos, estreia no dia 08 de março/2016, com apresentações sempre as 3ªf 20h, no Teatro Vanucci, no Shopping da Gávea.

O espetáculo que estreou há 18 anos no Teatro Princesa Isabel (em Copacabana) e já percorreu várias cidades pelo país, além de ter dado ao ator Claudio Ramos vários prêmios em Festivais pelo Brasil, tem sido aplaudido, ao longo de todos esses anos, por espectadores de todas as idades, desde crianças até pessoas da terceira idade.

Segundo o ator-autor-diretor Cláudio Ramos, cada um se identifica a sua maneira, ou vivenciou ou presenciou alguma das situações.

– As Marias que personifico são suas mães, filhas, tias, avós, primas, madrinhas, mulheres do universo de cada um… O público ri, se identifica com elas e no final se depara com o ator, o ser humano, de cara limpa, cheio de carinho e emoção, transmitindo a felicidade de estar no palco.

HUMOR SUTIL
Uma comédia inteligente, sem grosserias ou apelações. Assim é Lugar de Mulher… Uma Sátira ao Machismo. Com texto, direção e interpretação de Cláudio Ramos, o monólogo reúne em cena donas-de-casa às voltas com o machismo de seus maridos. Tudo de forma sensível e sutil em 1h40min de espetáculo. Alternando vários tipos de comédia, Lugar de Mulher… Uma Sátira ao Machismo se divide em quatro quadros:

Em Sua Batata Está Assando, Cláudio vive a Maria submissa, que questiona seu relacionamento com o marido, depois de se apaixonar platonicamente por um feirante. Ela resiste ao possível envolvimento em nome da estrutura familiar.

Odeio Praia traz a “candidata” a socialite emergente Maria Lucrécia malhando numa academia de ginástica, disposta a conhecer a amante do marido. Entre um exercício e outro, ela lembra da infância hilariante e das muitas aventuras na Praia.

Rodízio de Chuchu mostra outra Maria muito bem humorada. É a típica interiorana, casada com um português, sem vida sexual, mas totalmente dedicada à família. Enquanto passa roupa, ela conversa com o locutor de seu programa radiofônico preferido: No Cantinho do Fogão.

Todas as Marias do Mundo homenageia a mulher com um poema que enaltece a figura feminina, encerrando o espetáculo com carinho e respeito.

DEZOITO ANOS DE SUCESSO
Lugar de Mulher… Uma Sátira ao Machismo estreou em 27 de fevereiro de 1998 no Teatro Princesa Isabel (Rio), onde fez três meses de temporada. Depois foi para Niterói (quatro temporadas no Teatro Abel e duas no Teatro Municipal) e interior fluminense (Campos, Friburgo, Macaé, Petrópolis, Santa Maria Madalena, Santo Antônio de Pádua e Teresópolis). Percorreu inúmeras cidades do Estado de Minas Gerais, incluindo quatro temporadas em Belo Horizonte.

Em outubro de 1999, Lugar de Mulher… Uma Sátira ao Machismo ganhou o Prêmio Cidade de Vitória de Melhor Espetáculo do II Festival Nacional de Monólogos, realizado na capital capixaba. A comédia foi selecionada entre 42 espetáculos de todo o Brasil.

Em 2000 o espetáculo foi encenado em cidades mineiras e em 2001 fez temporadas de muito sucesso em Niterói (teatros Municipal e Abel). Em 2002, Lugar de Mulher… Uma Sátira ao Machismo fez seis meses de temporada em São Paulo (teatros Itália e União Cultural Brasil-Estados Unidos). Além de novas turnês por Minas, a comédia tem sido apresentada em incontáveis palcos fluminenses e paulistas, sempre com sessões lotadas.

Lugar de Mulher… Uma Sátira ao Machismo vem integrando o calendário de comemorações oficiais do Dia Internacional da Mulher, Dia das Mães e Dia dos Namorados no Rio de Janeiro, em Niterói, Belo Horizonte, Juiz de Fora, Itaúna, Arcos, Divinópolis e São Paulo, além de virar tema de debate em colégios e universidades.

Em março de 1998, durante sessão no Teatro Princesa Isabel, o ator contou com a aprovação das atrizes Eva Todor, Thaís Araújo, Samara Fillippo e Duda Little ao homenagear a figura feminina em sua data mundial. Dona Zica e Eva Toodor até deixaram depoimento gravado para a TV sobre o tema. Em 2003 foi a vez das atrizes Juliana Paes, Gisele Policarpo e Lívia Rossi serem homenageadas no palco do Teatro Abel.

Lugar de Mulher… também ganhou os prêmios de Melhor Ator e Melhor Produção, conferidos pela APAC (Associação de Produtores de Artes Cênicas de Juiz de Fora) em 2008.

– Optei por uma linha interpretativa menos caricata para privilegiar a interação com o público feminino. Fiz um intenso trabalho de composição e hoje tenho certeza de que transmito suavidade e delicadeza com minhas Marias. Cada plateia reage de forma diferente, mas todas se identificam com o bom humor do espetáculo. O surpreendente é que em pleno século 21 a mulher ainda conviva com tanto machismo – atesta Cláudio Ramos.

SERVIÇO

LUGAR DE MULHER … Uma Sátira ao Machismo
Texto, direção e interpretação: Cláudio Ramos
Assessoria de Imprensa e Marketing: João Luiz Azevedo
Duração: 100 minutos
Classificação Etária: Livre 

Teatro Vanucci
Informações pelo tel. 2274-7246
Temporada: Terças-feiras
Horário: 20 horas
Preço dos Ingressos: R$ 60,00 ( inteira ) – R$ 30,00 ( meia )

ESTREIA DIA 08 DE MARÇO DE 2016

ATOR, AUTOR E DIRETOR
Cláudio Ramos nasceu em Belo Horizonte (MG), morou em Niterói durante 25 anos e atualmente reside em Juiz de Fora, MG. Estudou teatro na Universidade Federal de Minas Gerais, no Curso Jaime Barcellos, no Tablado e no Liceu de Artes e Ofícios. Concluiu o Curso Profissionalizante de Teatro na CAL (Casa de Artes de Laranjeiras) e fez a Oficina de Reciclagem Para Atores Profissionais com Cécil Thiré na Casa de Cultura Laura Alvim.

Como ator, ainda em Belo Horizonte, Cláudio fez o principal papel masculino da tragédia grega Medéa. No Rio, filiou-se ao grupo da CEF, com o qual apresentou as comédias O Genro Que Era Nora, A Venerável Madame Goneau e Nos Dias de Hoje. Com o grupo do Liceu de Artes e Ofícios trabalhou em A Incelença.

Escreveu, produziu, dirigiu e atuou nos espetáculos infantis Deu Zebra no Plano da Bruxa, Criança Tem Cada Uma! e Sopa de Letrinhas. Inaugurou o Projeto Seis e Meia do Teatro Nelson Rodrigues com a peça Afrouxem os Cintos Que a Cortina Abriu.

Coordenou por oito anos a vitoriosa Campanha de Popularização do Teatro em Divinópolis (MG), onde encenou os espetáculos Auto da Compadecida, Cinderelas do K-7, Mentira Tem Perna Curta, Minha Sogra é Um Pitbull, Na Batida do Seu Coração, O Dia em Que Alfredo Virou a Mão, Quem Vai Pagar o Pato?, Sorria, Você Está Sendo Filmado, Toda Donzela Tem Um Pai Que é Uma Fera, Velório à Brasileira, além dos infantis Aladdin, Criança Tem Cada Uma!, Deu Zebra no Plano da Bruxa, Pluft, o Fantasminha e Sopa de Letrinhas.

Tem ministrado cursos e oficinas de teatro, além de preparar atores iniciantes para importantes escolas de teatro Brasil afora. Há 10 anos encena a comédia Lugar de Mulher… Uma Sátira ao Machismo, com enorme sucesso, em palcos cariocas, paulistas e mineiros. Cláudio Ramos comemorou 20 anos de carreira profissional em 2007.

Com Lugar de Mulher… Uma Sátira ao Machismo, Cláudio ganhou o Prêmio Cidade de Vitória de Melhor Espetáculo do II Festival Nacional de Monólogos, realizado na capital capixaba em 1999; e os prêmios de Melhor Ator e Melhor Produção, conferidos pela APAC (Associação de Produtores de Artes Cênicas de Juiz de Fora) em 2008, que também laureou sua peça infantil Criança Tem Cada Uma! com os prêmios de Melhor Espetáculo, Melhor Diretor, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Cenário e Melhor Iluminação.

Desde 2013 encena a comédia o “Filho da Mãe”, texto de Regiana Antonini, interpretando o papel da mãe, a publicitária Valentina.

Desde 2013, também, coordena e participa do Festival de Gargalhadas, festival de comédias, em Juiz de Fora, MG, que reúne espetáculos recordes de público nas campanhas de Popularização do Teatro de Belo Horizonte e Juiz de Fora.

DEIXE UM COMENTÁRIO