Livro critica as inquietações do mundo moderno

O livro de poemas “Máquina Mundi”, do escritor e professor de Literatura Marcelo Mourão, vai ser lançado no dia 6 de outubro, na Casa do Bacalhau, no Méier, zona norte do Rio de Janeiro. Publicado pela Oficina Editores, a obra pretende mostrar que o mundo moderno é cheio de inquietações, angústias e dilemas, onde se pensa muito e se sente pouco. 

Inspirado na reflexão do pensador polonês Zygmunt Bauman, de que nada é feito para durar, o autor diz que seus poemas falam da máquina do mundo e do mundo da máquina. “Cito também outras máquinas que também têm seus problemas na atualidade: a máquina do sentimento, a do eu (ego freudiano), a máquina das interrogações (filosofia) e, claro, a máquina da poesia”.

Segundo Mourão seus versos abordam os limites da pós-modernidade e da virtualidade, onde a velocidade do deletar é mais rápida do que da compreensão. O intuito é fazer com que as pessoas pensem mais sobre a realidade contemporânea. “Desejo ‘provocar’ no leitor perplexidade, estranhamento, espantos, encantamento, doçura e também bom-humor”.

Sobre o autor:
Pós-graduado em Literaturas de língua portuguesa, Marcelo Mourão é poeta, escritor, crítico literário e produtor cultural. Militante ativo no movimento artístico e poético carioca, foi um dos idealizadores e apresentadores do sarau POLEM (Poesia no Leme), de 2008 até 2011. Publicou ainda dois livros, “O diário do camaleão” e “Temas em literaturas de língua portuguesa: os diferentes olhares”, esse último marcando sua estreia como crítico literário.

Serviço:
Lançamento do livro “Máquina Mundi”
Data: 06 de outubro
Local: Casa do Bacalhau – Rua Dias da Cruz, 426, Méier
Horário: das 19 às 23 horas
Livre