LabCriativo apresenta em maio, no Rio, obras de artistas e acadêmicos britânicos e Brasileios

Resultado de uma residência artística imersiva, projeto internacional tem a cidade olímpica como inspiração

Com curadoria de Batman Zavareze e Paul Heritage, o projeto LabCriativo apresenta, em maio, sete obras colaborativas de 20 artistas e acadêmicos Britânicos e brasileiros inspiradas na cidade olímpica e concebidas durante uma residência artística realizada no Rio, em novembro de 2015, que teve como base o Parque Lage. As instalações, performances, intervenções e videoinstalações serão exibidas com entrada franca, entre 14 e 19 maio de 2016, no Oi Futuro Flamengo e em diversos pontos do Eixo de Arte e Cultura da Maré.

Produzido pelo Festival Multiplicidade e People’s Palace Projects (Queen Mary University of London), em parceria com Creativeworks London, o programa teve orçamento de £ 220 mil (duzentos e vinte mil libras esterlinas), incentivadas pelo fundo de pesquisa Britânico Arts & Humanities Research Council e Newton Fund. Parte do programa britânico Social Change Through Creativity and Culture, o LabCriativo teve sua última edição realizada em 2015 na Índia, chegando agora ao Brasil como um projeto inédito, com o objetivo de reunir acadêmicos, artistas e profissionais dos setores criativos do Brasil e do Reino Unido.

“Além daquilo que cada uma dessas obras venha revelar, o projeto reafirma a importância que a criatividade tem na mudança e na transformação social. O LabCriativo é um lembrete da urgência de se encontrar os espaços e os diálogos entre artistas, acadêmicos e o domínio público”, diz Paul Heritage.

Os dez artistas e acadêmicos residentes no Reino Unido, selecionados por um processo aberto conduzido pelo Conselho de Pesquisa em Artes e Humanidades (Arts and Humanities Research Council), vieram ao Rio de Janeiro em novembro de 2015 como parte do Festival Multiplicidade. E então encontraram-se com os dez artistas e acadêmicos residentes no Rio de Janeiro, que haviam sido selecionados pelos curadores depois de uma convocatória pública. “Nosso objetivo foi reunir as diversidades que representam a complexa cidade do Rio de Janeiro. Todos os gêneros, a acessibilidade, a inclusão racial e a territorialização foram questões que nos sensibilizaram e foram incluídas no ponto de partida desta convocação. Assim, realizamos uma residência artística prazerosa e reverberadora, provocativa e afetuosa”, diz Batman.

O inovador laboratório imersivo promoveu, durante dez dias, o encontro entre os participantes brasileiros e britânicos, com diálogos e colaborações artísticas interdisciplinares em variados pontos da cidade. “A ideia foi provocar a reflexão sobre o contexto social brasileiro e as rotinas diárias da cidade do Rio de Janeiro”, explica Batman Zavareze.

Ao final dessa intensa experiência de trocas entre diferentes continentes e com a própria cidade do Rio de Janeiro, todos os projetos foram submetidos à análise de uma banca formada por Batman Zavareze (curador do Festival Multiplicidade), Paola Barreto (cineasta, pesquisadora e artista visual), Eliana Souza (Redes da Maré), Marina Veira (Tangolomango) e Evangelina Seiler (curadora independente). Desde novembro, a execução de cada projeto foi acompanhada pelos curadores, com reuniões semanais via videoconferência com os britânicos e brasileiros. 

Confira os projetos:

Affective Map, Gambiarra Lab, Museum of Life Exchange, Rio Visível, Outros Registros, Trem Transcultural e Utopias.

 
Artistas selecionados:
 
Alessandra Vannucci (Brasil): Acadêmica / Diretora de Teatro
Bambo Soyinka (Reino Unido): Produtora criativa / artista multiplataforma / escrita criativa
Cecilia Dinardi (Reino Unido): Pesquisadora / cultural sociology
Charles Feitosa (Brasil): Filósofo
Clelio de Paula (Brasil): Engenheiro eletrônico e da computação
Cristina Amazonas Cabral (Brasil): Pesquisadora / pixel art / ciência da computação
Julian Brigstocke (Reino Unido): Professor de geografia humana da Universidade de Cardiff
Kazz Morohashi (Reino Unido): Artista gráfica / social engagement designer
Kate Stewart (Reino Unido): Empreendedora do setor criativo / espaços urbanos comunitários
Lucinda Jarrett (Reino Unido): Performance arts in healthcare / The Knowing Body Network
Luiz >> SlowDaBf (Brasil): MC / poeta / grafiteiro
Marc Boothe (Reino Unido): Creative producer / media arts network B3 Media
Nicolas Espinoza (Brasil): Engenheiro eletrônico / inteligência computacional
Paul Sermon (Reino Unido): Professor de comunicação visual / arte interativa
Rafael Puetter Mattos >> Rafucko (Brasil): Ativista / comunicólogo / performer
Renato Rezende (Brasil): Poeta / videomaker
Samuel Van Ransbeeck (Reino Unido): Compositor / pesquisador / computer music
Tiago Cosmo (Brasil): Violinista / ativista / agitador cultural
Tori Holmes (Reino Unido): Pesquisadora e professora / Brazilian studies
Viviane Macedo (Brasil): Dançarina
 
SERVIÇO:

14 de Maio – Redes da Maré
Biblioteca Lima Barreto, Centro de Artes da Maré, Lona Cultural Herbert Vianna e Galpão Bela Maré

16 de maio – Coquetel de Abertura (Somente convidados)
Rua Dois de Dezembro, 63
19h as 22h

17 e 18 de maio – Oi Futuro Flamengo
Rua Dois de Dezembro, 63
19h as 22h

19 de maio – Seminário Utopias
Rua Bitencourt Sampaio – Centro de Artes da Maré e Galpão Bela Maré
10h30 as 19h

Entrada Franca
Classificação etária: Livre
Espaços sujeitos a lotação.

Site: 

Evento FB: 
Vídeo da edição anterior, realizada em parceria com o Festival UnBox, na Índia:
https://vimeo.com/94965198

Diário Residência artística realizada entre 25 de outubro a 04 de novembro de 2015:
http://multiplicidade.com/blog/category/labcriativo_braxuk/

Convocatória realizada em setembro de 2015:
http://multiplicidade.com/labcriativo/
https://www.facebook.com/events/357683494401917/