Jô Bilac escreve “Infância, Tiros e Plumas” em processo colaborativo com a Cia OmondÉ e direção de Inez Viana

Infância, Tiros e Plumas

O ponto de partida para o espetáculo “Infância, Tiros e Plumas”, quarto espetáculo da Cia OmondÉ, foi um laboratório de 10 meses de treinamento e pesquisa, onde foram gerados jogos, estudos e composições. Um projeto distinto quanto ao seu formato e percurso de pesquisa da Cia, pois a partir da colaboração dos atores para a escaleta e sinopse de Jô Bilac, vai se formando o texto final, culminando na encenação de Inez Viana.

Neste espetáculo, o elenco da Cia OmondÉ (Débora Lamm, Leonardo Brício,  Carolina Pismel, Júnior Dantas, Juliane Bodini, Zé Wendell, Luís Antônio Fortes, Jefferson Schroeder e Iano Salomão – Stand-in Karina Ramil ) interpreta seus personagens em três histórias, separadas por tempos distintos, mas encenadas simultaneamente. Essas histórias se passam em três vôos diferentes de um mesmo avião, gerando uma série de incidentes tragicômicos envolvendo crianças.

Sobre a OmondÉ
A Cia OmondÉ surgiu, em 2009, da vontade da diretora e atriz Inez Viana em formar um grupo com atores vindo de várias partes do Brasil, para o aprofundamento de uma pesquisa cênica, onde a diversidade, brasilidade e o diálogo com a cena mundial contemporânea (tendo como grande mentor o diretor inglês Peter Brook), fossem concomitantemente estudados. Seu repertório compõe-se das peças: “As Conchambranças de Quaderna” (2009) de Ariano Suassuna, Prêmio Contigo pela direção; “Os Mamutes” (2011) de Jô Bilac, Prêmio FITA de melhor direção; e “Nem Mesmo Todo o Oceano” (2013) de Alcione Araújo. Atualmente, a Cia OmondÉ é formada por dois mineiros, um potiguar, um paraibano, um paranaense e cinco cariocas.

Além da Cia OmondÉ, Inez Viana dirigiu “Amor Confesso” (2011) de Arthur Azevedo, “Maravilhoso” (2013) de Diogo Liberano, “Cock – Briga de Galo” (2014) de Mike Bartlett, “Meu Passado me Condena” (2014) de Tati Bernardi, “Não vamos pagar!” (2014) de Dario Fo e “O que você vai ver” (2014), livremente inspirado em ‘All That Fall’ de Samuel Beckett, entre outros. Em abril de 2015, Inez Viana atua ao lado de Renata Sorrah na peça “Krum”, texto do israelense Hanokh Levin, com direção de Márcio Abreu. Em 2012 lançou, pelo selo Fina Flor, o CD “Samba no Teatro”, que incluiu 12 sambas criados entre os anos de 1914 e 2005. Em 2013 realizou uma temporada do show “Samba no Teatro”, no Espaço SESC, no Rio de Janeiro.

Sobre Jô Bilac
O dramaturgo Jô Bilac iniciou a carreira como ator, capacitando-se, em 2006, pela Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Penna. Antes, em 2001, cursou Artes Plásticas na Escola de Belas Artes em 2001. Mas foi como autor que ele se consagrou com as peças: “Beije minha Lápide”, “Conselho de Classe”, “Fluxorama”, “Os Mamutes”, “Petit Monstre”, “Caixa de Areia”, “Cucaracha”, “Você Precisa Saber de Mim”, “O Gato Branco”, “Matador de Santas”, “Savana Glacial”, “Rebu”, “Limpe todo sangue antes que manche o carpete”, “2 p/ viagem”, “Cachorro!”, “Desesperadas”. Recebendo prêmios como autor pelas peças: “Conselho de Classe” (Prêmio APTR e Prêmio Cesgranrio), “Savana Glacial” (Prêmio SHELL), “O matador de santas” (Prêmio Contigo) e “Limpe todo sangue antes que manche o carpete” (Prêmio FESTIKAOS/SP). Sendo indicado pelo jornal O Globo como Personalidade de Teatro do Ano, em 2011 e 2013. Atualmente concorre ao Prêmio APTR 2015 por “Beije minha Lápide”.

Produzido pela Fábrica de Eventos, o espetáculo “Infância, Tiros e Plumas” é uma idealização da Cia OmondÉ com patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro através do Edital Programa de Fomento à Cultura Carioca e realização do SESC Rio.

FICHA TÉCNICA

Texto: Jô Bilac
Direção: Inez Viana
Direção de Produção: Cláudia Marques – Fábrica de Eventos

Elenco Cia  OmondÉ: Débora  Lamm, Leonardo Bricio,  Iano Salomão, Jefferson Schroeder, Juliane Bodini, Júnior Dantas, Carolina Pismel, Luís Antônio Fortes e Zé Wendell.  Stand-in: Karina Ramil

Iluminação: Ana Luzia de Simoni e Renato Machado
Cenário: Mina Quental
Figurino: Flavio Souza
Direção Musical: Marcelo Alonso Neves
Direção de Movimento: Dani Amorim
Programação Visual: Felipe Braga
Produção Executiva: Rafael Faustini e Jéssica Santiago
Realização: Fábrica de Eventos e Cia OmondÉ

SERVIÇO 

DULCINA EM FOCO

Infância, Tiros e Plumas
Data: 30 e 31 de julho/ 01 e 02 de agosto
Horário: 19h
Direção: Inez Viana

Elenco: Débora Lamm, Leonardo Brício, Carolina Pismel, Júnior Dantas, Juliane Bodini, Zé Wendell, Luís Antônio Fortes, Jefferson Schroeder e Iano Salomão – Stand-in Karina Ramil 

Ingresso: R$20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Classificação: 14 anos 

TEATRO DULCINA
Rua Alcindo Guanabara, 17 – Cinelândia
Funcionamento da Bilheteria – de quarta a domingo, das 14h às 19h
Telefone: 21. 2240-4879
(metrô – estação Cinelândia)

Confira abaixo a programação completa:

JULHO – repertório Cia OMONDÉ
De 16 a 18 – As Conchambranças de Quaderna, 19h
De 22 a 24 – Os Mamutes, 19h (Mostra de Teatro Panorama Petrobras Distribuidora de Cultura)
Dias 25 e 26 – Nem Mesmo Todo o Oceano, 19h
Dias 30 a 02/08 – Infância, Tiros e Plumas, 19h

AGOSTO
De 06 a 16 – Clementina, Cadê Você, 19h (musical)
De 20 a 30 – Peh Quo Deux, 19h (dança – Cia PeQuod, Teatro de Animação)
Dias 22, 23, 29 e 30 – O Velho da Horta, 16h (infanto-juvenil – Cia PeQuod, Teatro de Animação)

DEIXE UM COMENTÁRIO