Jacqueline Sato em cartaz na Performance Teatral “Osho – Cracks Of Soul”

A atriz Jacqueline Sato, que estará na série Na Mira do Crime (coprodução entre a Record e a Fox), está em cartaz na performance teatral “Osho – Cracks Of Soul”, ao lado dos atores Gustavo Merighi, Jorge Mesquita e todo o elenco da Confraria dos Ritos, no Espaço Confraria. 
 
Com direção de Janssen Hugo Lage “Osho – Cracks of Soul”, é um mergulho no misterioso universo do vazio existencial do homem contemporâneo. Um ensaio sobre o abandono, o retorno, a iluminação e a jornada, livremente inspirado na herança literária e espiritual deixada por Rajneesh (Osho).

Sobre a Confraria dos Ritos
Confraria dos Ritos nasceu em 2008 em Porto Alegre – RS. Criação do dramaturgo e encenador Janssen Hugo Lage (49), diretor da Mega Produção “OTELO” de W. Shakespeare, com atuação e produção do ator Norton Nascimento (em memória), no Teatro Municipal de São Paulo, em comemoração ao Dia da Consciência Negra, em 20/11/99; foi visto por mais de100.000 pessoas durante seis meses em cartaz.  Em agosto de 2010, de volta a Sao Paulo, no Teatro João Caetano, Janssen emplaca outro sucesso, com mais de 50.000 espetadores no fenômeno “Labirinto Kafka” inspirado nas obras de Franz Kafka. Agora em 2015, com 30 anos de carreira, inaugura novo Espaço Cultural na Bela Vista: o Teatro Espaço Confraria – Local onde será realizado, após 2 anos de ensaios, o seu mais novo trabalho:

Osho – Cracks of Soul
É uma Performance Teatral, um mergulho no misterioso universo do vazio existencial do homem contemporâneo. Uma profunda reflexão sobre crenças, ações, sentimentos, delírios, enganos, erros, acertos, dúvidas, certezas e incertezas que nos levam aos confins da alma. Um ensaio sobre o abandono, o retorno, a iluminação e a jornada, livremente inspirado na herança literária e espiritual deixada por Rajneesh (Osho) – seus pensamentos descritos em textos, ensaios, discursos e palestras. Durante a narrativa, Janssen nos oferece, em seus ritos de linguagem, o controle do tempo de todas as coisas, de situações que são inerentes aos desejos e anseios, jogados à sorte na existência de soluções efêmeras, abominavelmente dependentes e trágicas, ausência de espiritualidade que, de certa forma, atinge grande parte da população mundial. Então, segundo Rajneesh: “A felicidade só existe quando pode ser compartilhada. Se por alguma razão não conseguimos compartilhar, entre amigos, familiares, chegados ou estranhos, estamos mergulhados em Maya, ilusão”.

No jogo voraz da cena, os atores são colocados à prova em uma dramaturgia que nasce no instante da criação, feito mágica diante dos olhos da plateia; sem movimentações marcadas ou textos decorados, são guiados pelo labirinto da escuridão às ilusões da tão falada e prometida terra, abarcados por sombras, luxúrias, avarezas e pela incontrolável ira, rebeldes sem causa, em busca de uma vida plena, de uma vida projetada, idealizada, uma espécie de fake, um lugar onde as pessoas se transformam e vivem em um mundo cercado de ilusão, onde a realidade não existe e existe, onde coisas possíveis e impossíveis acontecem…Onde o ser humano real transforma-se em um Sharpe, em uma simples imagem. Onde o ser humano esconde-se para viver em seu pequeno mundo de fantasia. Uma forma falsa do viver ou uma forma não falsa do viver? O que será que se tornou hoje o ser humano? Um corpo virtual de estrutura física materializada no mundo real? Será que somos seres ON – os que usam a máscara que tudo esconde, os personagens? Ou somos OFF – as pessoas que vivem apenas do real… Não influenciadas pela ilusão?

Osho - Cracks of Soul 2

Segundo Rajneesh:
“Há momentos, alguns momentos, bem raros, em que o ego desaparece porque você está em uma total embriaguez. No amor, às vezes acontece; no orgasmo, às vezes acontece. No orgasmo profundo, sua história desaparece, seu passado recua, segue recuando e desaparece. No orgasmo, você não tem história, não tem passado, não tem mente, não tem autobiografia. Você está completamente no aqui e agora. Você não sabe quem é você e não tem qualquer identidade. Naquele momento, o ego não está funcionando, daí o deleite do orgasmo, a sua qualidade restauradora, rejuvenescedora. É por isso que ele o deixa tão silencioso, tão quieto, tão relaxado, tão preenchido. Mas, novamente, o ego e o passado entram e usurpam o presente. Novamente, a história, ele não é uma realidade. E este é o seu inimigo, o ego é o inimigo. Toda pessoa chega a esse ponto muitas vezes na vida, porque a vida se move em um círculo. Repetidamente você chega ao mesmo ponto, mas, devido ao medo, você escapa dele. O ego é uma falsidade. Na verdade, deixá-lo morrer deveria ser a coisa mais fácil e mantê-lo vivo deveria ser a mais difícil, mas, contra a corrente da vida, o mantemos vivo e achamos que isso é o mais fácil. ” Osho.

Elenco:
 
Jorge Mesquita, Marjorie Gerardi, Gustavo Merighi, Lucas Scalco, Arthur Alavarse, Jacqueline Sato, Leandro Borges, Michele Mitsue, Maurício Belfante e Gabriel Muglia

Ficha Técnica:
Dramaturgia, Concepção Estética Visual, Iluminação e Encenação: Janssen Hugo Lage
Cenário Virtual: San Mascarenhas
Fotografia: Ricardo Sakai
Produção Executiva: Luciano Mattos e Tuca Capozzi
Direção de Produção: Jorge Mesquita
Uma Produção Confraria dos Ritos

Serviço:

Performance Teatral: “Osho – Cracks Of Soul”
Até 02 de Agosto
Sextas e Sábados: 21h – Domingo: 20h
Ingressos Populares: R$ 20,00 (Inteira) R$ 10,00 (Meia)
Capacidade: 60 Lugares
Ingressos à venda no site www.compreingressos.com ou na Bilheteria 1 hora antes do inicio da Performance
Local: Teatro Espaço Confraria – Rua 14 de Julho, 74 – Bela Vista – SP
Fones: (11) 4116-3665 – 9 5218-8664
Espetáculo Adulto – Classificação –  16 anos

DEIXE UM COMENTÁRIO