II Mostra Anima Cinemão exibe filmes de animação

Mostra exibe curtas de forma gratuita em comunidades da Zona Oeste

Terra cuide dessa bola
Terra cuide dessa bola

O projeto Cinemão realiza a  “II Mostra Anima Cinemão”.  A mostra exibe filmes de animação produzidos no Brasil, de forma gratuita, durante os meses de julho a setembro. O evento iniciou sua jornada na Cidade das Crianças, em Santa Cruz, nos dias 12, 13 e 14 de julho. Depois, a Mostra Cinemão seguirá em itinerância, percorrendo doze (12) bairros da Zona Oeste (Bangu, Campo Grande, Curicica, Jacarepaguá, Jardim Sulacap, Padre Miguel, Pedra de Guaratiba, Realengo, Recreio dos Bandeirantes, Santa Cruz, Sepetiba, Vargem Grande) até setembro.

A próxima exibição acontecerá no domingo, dia 11, às 18h, na comunidade do Morro do Banco, em Jacarepaguá.

A idealização do projeto é do diretor, Cid César Augusto. A curadoria é do diretor de animação, Marão.

O projeto II Mostra Anima Cinemão  integra o Circuito Cultural Rio, idealizado pela Secretaria Municipal de Cultura e pela Prefeitura do Rio para a programação cultural dos períodos Olímpico e Paralímpico, que vai de maio a setembro de 2016.

Programação do mês de agosto:
Dia 11/8, quinta-feira, 18h: Morro do Banco – Jacarepaguá;
Dia 20/8, sábado, 18h: Comunidade do Caeté – Recreio dos Bandeirantes;
Dia 21/8, domingo, 18h: Sulacap;
Dia 25/8, quinta-feira, 18h: Curicica. 

O Cinemão
O Cinemão é uma rede exibidora popular. É uma sala de cinema móvel. Trata-se de uma carro aparelhado para exibição de filmes, equipado com projetor de alta performance, super telão inflável, sistema de som, cadeiras e pipoqueira. 

Este projeto está em atividade desde 2010 e já realizou mais de sessenta ações em comunidades e equipamentos culturais da cidade, se tornando o projeto que protagoniza o maior número de intervenções cinematográficas em espaços públicos no Rio de Janeiro. O Cinemão já exibiu, ao longo desse período, documentários, como “A Batalha do Passinho”, de Emílio Domingues, o longa “Nise – O Coração da Loucura”, de Roberto Berliner, entre outros.

O objetivo principal é ocupar espaços públicos e populares promovendo o cinema brasileiro de forma prática, gratuita e eficiente. O projeto exibe uma produção nacional (curtas e longas de todos os gêneros) de forma democrática e acessível, atendendo a toda e qualquer população. Também faz parte deste projeto a realização de oficinas de audiovisual para crianças e adolescentes.

A partir de acordos com distribuidores nacionais, o Cinemão funciona como uma importante janela para democratização do cinema brasileiro. 

Também realiza oficinas de audiovisual e usa tecnologia própria por meio do Aplicativo “Cinemão” para o estímulo de construção de narrativas populares. 

Com o intuito de difundir ainda mais as realizações propostas e atuar no processo de formação de plateias para o cinema nacional, tanto a exibição dos filmes e as oficinas possuem entrada franca em todas as suas atividades.

Para Cid César Augusto, idealizador e diretor do Cinemão, essa é a maior mostra itinerante de filmes de animação realizada no Rio de Janeiro: 

– É um evento inédito para a Cidade Maravilhosa e para Cinema Brasileiro. Também é uma excelente oportunidade para democratizar essa intensa e vibrante produção nacional. Os filmes de animação fazem maior sucesso com todas as faixas etárias. 

O projeto também possui uma extensa lista de simpatizantes, como o cineasta Walter Salles, o apresentador Danilo Gentili /ex-CQC, os atores Bruno Gagliasso e Matheus Nachtergaele, entre outros.

Cid César (idealizador do Cinemão)
Cid César Augusto é jornalista com especialização em Cinema Documentário e Produção Executiva, pela FGV. É documentarista, produtor executivo e Sócio da Maranduva Filmes, produtora especializada em documentários e projetos musicais. Dirigiu os documentários: “Hemp: eu não fumo eu faço cerimônia”, “Silêncio, “O prefeito tá chegando”, “Gringa”, “Reta João XXIII”. Participou em 2013 da equipe de Eduardo Coutinho em “Sobreviventes da Galiléia” e “Família de Elizabete Teixeira “, especial do filme ” Cabra Marcado para Morrer”.

É idealizador e diretor do projeto “Cinemão”, uma rede exibidora popular que exibe longas e curtas metragens de forma gratuita em diversas comunidades e equipamentos culturais da cidade.

A curadoria da II Mostra Anima Cinemão
Marão é formado na Escola de Belas Artes da UFRJ e diretor de animação. Já realizou treze curtas metragens e participou de mais de trezentas animações para publicidade, internet, TV e cinema.

Apoio: Epson, UNIC (Centro de Informação das Nações Unidas — ONU, Instituto Pereira Passos/IPP, Cidade das Crianças).

Produção: Maranduva Filmes (www.maranduvafilmes.com)

Programação: “II Mostra Anima Cinemão”

(Curtas)
-Até a China (15 min), de Marão;
-Atrox Tempus (5 min), de Carlos D.;
-Calango Lengo (10 min), de Fernando Miller;
-Estrela (2 min), de David Mussel;
-Fluxos (3 min), de Diego Akel;
-Fuga Animada (4 min), de Guto Bicalho Roque;
-Guida (12 min), de Rosana Urbes;
-Menina Chuva (7 min), de Rosaria;
-Rugas (6 min), de Ludmila Curi;
-Super Plunf (9 min), de Camila Kauling Rumpf;
-Viagem na Chuva (18 min), de Wesley Rodrigues;
-Virando Gente (10 min), de Analúcia Godoi.

Retrospectiva (curtas que foram exibidos na I Mostra Anima Cinemão e que serão exibidos também esse ano):

-A gota e o ralo;
Sinopse: A história de uma gota que não quer cair no ralo.

-A ilha;
Sinopse: Em tempos de aquecimento global, o que poderia acontecer a dois habitantes de uma ilha paradisíaca se, de repente,  o nível dos mares subisse?

– Awara Nane Putane;
Sinopse: Uma história do cipó é um curta-metragem em animação que conta o mito de origem do uso tradicional da ayahuasca, na versão da etnia yawanawa, que vive no coração da floresta amazônica, nas margens do Rio Gregório, no Estado do Acre. O curta é todo falado em idioma yawanawa, povo que pertence ao tronco linguístico Pano.

-Eu queria ser um monstro;
Sinopse: Cotidiano de uma criança com bronquite.

-Eram os Deuses Extraterrestres;
Sinopse: Um garoto de apenas 7 anos que vive na garagem de sua casa fazendo experimentos para dominar o mundo e resolve fazer uma nave espacial.

-Julieta de Bicicleta;
Sinopse: Julieta é uma menina certinha, que gosta de tudo no seu devido lugar, meticulosamente calculado. O único medo de Julieta é o inesperado. No dia de seu aniversário, Julieta ganha uma bicicleta e sai para passear pelo parque. Mas o inesperado está logo à frente virando a esquina. Baseado no livro homônimo de Liana Leão.

-O Anão que virou gigante;
Sinopse: A improvável, todavia autêntica, história do anão que virou gigante.

-O Cangaceiro;
Sinopse: O Cangaceiro, filme realizado pelos alunos de Design da UFPE, conta a história de Lampião, personagem histórico da Região Nordeste. Baseado em literatura de cordel, os versos narram seus infortúnios e seus amores, seu triunfo e seu declínio, e até seus acordos com o capeta. A animação mostra um pouco dos mitos e da fantasia que envolve o imaginário acerca do personagem.

-Ogro;

– O Macaco e o Rabo;
Sinopse: O macaco perde o rabo e parte em uma busca para recuperá-lo. A cada personagem em que ele encontra, sua situação se complica mais. Uma adaptação de um conto folclórico nordestino.

-O menino que sabia voar;
Sinopse: Um menino de apenas sete anos de idade está em coma. Apesar da tristeza de sua situação, a natureza de seu espírito infantil não é afetada e ele voa livre e vive  grandes aventuras!

-Rio(te)amam(se);
Sinopse: Um casal se ama no Rio de Janeiro e quando se amam eles amam o Rio (eles são o Rio).

-Terra, Cuide Dessa Bola
Sinopse: Os desenhos e pinturas rupestres foram as primeiras tentativas dos humanos preservarem e contarem suas histórias. Um pesquisador que encontra um trabalho desses encontra um tesouro. Mas, e se não foram feitos por humanos?

Serviço: II Mostra Anima Cinemão
Local: Morro do Banco, em Jacarepaguá.
Data: dia 11, quinta-feira, às 18h
Entrada gratuita.
Classificação livre.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui