História de um homem chamado “Lady Christiny” reestreia no Teatro Municipal Café Pequeno

Monólogo de Daniel Porto, interpretado por Alexandre Lino e dirigido por Maria Maya cumpre temporada de sexta a domingo, até 30 de outubro, 20h.

Foto: Janderson Pires
Foto: Janderson Pires

Interpretado por Alexandre Lino, com texto de Daniel Porto e direção de Maria Maya, o monólogo Lady Christiny  reestreia dia 30 de setembro no Teatro Municipal Café Pequeno, Leblon. 

A montagem é baseada no documentário homônimo dirigido por Lino sobre Chris – como ele mesmo a chamava – lançado em 2005 e com passagens por 42 festivais, inclusive em países como Itália, Portugal e Uruguai.

Nesse projeto da Documental Cia. os diálogos entre Lino e Celso Marques (Lady Christiny), assumem a ampliação do pacto com o real numa criação metalinguística potencializada pelo olhar íntimo e confessional de duas realidades e uma ficção. Lino conta a trajetória de um homem que se travestiu, porém manteve o conservadorismo, o respeito e uma postura atípica junto à família de Lady Christiny. Com sessões às 20h de sexta a domingo, o espetáculo cumpre temporada até dia 30 de outubro.

A peça mistura realidade, ficção e cinema. No que o autor e diretora partem do princípio do teatro do pertencimento. Local onde realidade e ficção se misturam e se confrontam em cena, rompendo a dramaturgia convencional e propondo ao espectador a provocação pelo discurso. Onde o público será convidado e estimulado a fazer perguntas ao personagem (ator). Um encontro com o Teatro do Pertencimento.

“O modo controverso com que “Lady Christiny” mistura homenagem com crítica deixa unicamente nas mãos do espectador a responsabilidade pela compreensão da peça. Isso faz com que, no público, aconteça um outro espetáculo.” Rodrigo Monteiro – Crítico Teatral e Jurado do Prêmio APTR

“Estive muito próximo a Lady Christiny em 1992 (pela TV) depois em 1995 (primeiro encontro) e em 2005 quando dirigi nosso documentário. E em todos os momentos em que estivemos juntos, percebi um lugar de pertencimento naquela realidade, que não era a minha, mas me transportava para lugares muito mais profundos. Evocá-la no palco é a conclusão desse encontro infinito e que só a arte documental poderia proporcionar por seu pacto com a verdade” –  Diz Alexandre Lino.

“Impecável! Acho que só esse adjetivo bastaria, para qualificar sua atuação, o que deve ter sido, para o ator um grande desafio, não só pela responsabilidade de não transformar o espetáculo em algo piegas (aí também entra o papel da diretora) nem levantar bandeiras, a favor da diversidade sexual, mas também por seu envolvimento emocional com o personagem retratado. Alexandre Lino não desfralda aquela bandeira, mas chama a atenção para a necessidade de que sejam respeitadas todas as diversidades.” Gilberto Bartholo – Crítico Teatral

Sinopse: Monólogo retrata a vida de Lady Christiny, travesti, porém, com uma postura atípica dentro deste universo: conservadora e ligada à família.

FICHA TÉCNICA

Texto: Daniel Porto
Direção: Maria Maya
Elenco: Alexandre Lino
Iluminação: Renato Machado
Direção de Arte: Tatiana Brescia
Programação Visual: Guilherme Lopes Moura
Fotografia: Janderson Pires
Webdesign: Mariana Martins
Videografismo e Assessoria geral: Renato Krueger
Produção Executiva: Equipe Cineteatro Produções
Preparação Vocal: Gina Martins
Idealização e Direção de Produção: Alexandre Lino
Um projeto da Documental Cia.

SERVIÇO

Lady Christiny

Reestreia: 30 de setembro
Local: Teatro Municipal Café Pequeno
Endereço: Rua Ataulfo de Paiva, 269 – Leblon – Telefone – 2294-4480
Horário de funcionamento: De terça a domingo, das 14h às 22h.
Capacidade: 120 Lugares
Preço: R$ 40,00 (Inteira) – R$ 20,00 (Meia)
Temporada: Até 30 de outubro
Horários: De sexta a domingo – 20h
Classificação: 16 anos
Duração: 60 minutos
Gênero: Monólogo Dramático

DEIXE UM COMENTÁRIO