Happening Colorindo o Rio

Intervenção urbana na Zona Portuária convida pedestres a pintar painéis com ícones da cidade

HAPENNING RIO - PROJETO CLAUDIA LYRIO

Quem passar pelo Largo de São Francisco da Prainha, no bairro da Saúde, Zona Portuária, no dia 24 de junho (sexta-feira), das 9h às 16h, será surpreendido por seis painéis gigantes de MDF com desenhos de ícones da Cidade Maravilhosa. As imagens, assinadas por artistas plásticos cariocas, porém, terão apenas os contornos. O motivo? O público será convidado a pintar as obras, tal qual os livros de colorir, porém, em “páginas” de 1,85m de altura por 2,75m de largura.

O Happening Colorindo o Rio tem como proposta a interação entre os artistas e os passantes em uma área pública – juntos, eles irão criar as obras plásticas previamente esboçadas. O idealizador do evento é o artista plástico e produtor cultural Gerardo Torres, de Córdoba, Argentina, que adotou a cidade há quatro anos. Os desenhos (contornos) são de autoria de Roberto Tavares, Paulo Jorge Gonçalves, Claudia Lyrio, Denize Torbes, Luiz Eugênio e Jean Araújo. Já as cores virão da intervenção dos pedestres.

Nos painéis, imagens do Sambódromo, do Pão de Açúcar, da Lapa, das praias de Copacabana e do Recreio dos Bandeirantes, além da Central do Brasil. O local e a data escolhidos combinam fatores como a retomada do Centro Antigo da cidade, que vem recuperando seu status cultural e histórico e, junto com ela, o resgate da carioquice. O evento conta com o patrocínio da Prefeitura da cidade e faz parte do Circuito Cultural Rio, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura, com intensa programação durante os períodos olímpico e paraolímpico. E quem tiver o Passaporte Cultural Rio 2016 já ganha um carimbo!

“Colorindo o Rio é uma oportunidade de convocar cariocas e turistas para, de uma forma espontânea, salpicar cores, alegria e camaradagem. O Projeto visa reforçar a manifestação cultural da carioquice, tanto pela origem regional dos artistas participantes como pelas suas visões étnicas e humanas”, explica Torres. O curador do evento já realizou a Bienal Sul-Americana de Gravura e Arte Impressa, um intercâmbio entre o Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro e o Museo Provincial de Bellas Artes Emilio Caraffa, de Córdoba (Argentina), em 2014.

O evento é inspirado na palavra inglesa que significa acontecimento, ocorrência. E que também sugere a relação provocação-participação-improvisação. “Um happening, como manifestação artística múltipla, busca a livre participação do público, sempre com a característica de evento efêmero. Portanto, ocorrem frequentemente em locais públicos, rompendo o aspecto do cotidiano”, explica Gerardo. O resultado final serão obras de arte únicas, das quais cada um vai se sentir como parte e criador: os artistas, trazendo a gênese do desenho, enquanto o público contribui liberando na tela suas emoções por meio da cor.

A intervenção contará com o apoio de monitores da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e é aberta a jovens, adultos, crianças (na companhia de adultos) e pessoas com deficiência. Alunos das escolas da rede municipal de ensino estão sendo convidados a participar.

Jean Araújo
Jean Araújo

Curadoria e idealização do projeto Colorindo o Rio

Gerardo Torres
O artista argentino estudou desenho e gravura no “Instituto Nacional de Cultura y Bellas Artes (INCIBA)”, Caracas, Venezuela, e na “Escuela Superior de Bellas Artes Figueroa Alcorta”, em Córdoba, Argentina. Torres tem pós-graduação em Gestão Cultural e organizou eventos culturais por encomenda da Secretaria de Cultura de sua terra natal, além de eventos nas áreas da literatura, artes visuais e de paisagismo urbano.

Nos quatro anos em que está no Rio, já promoveu diversos projetos de intercâmbio cultural entre o Brasil e a Argentina. Entre eles, a Mostra Internacional de Gravura no Consulado Argentino no Rio de Janeiro; a 1a Bienal Sul-Americana de Gravura e Arte Impressa, reunindo trabalho de mais de 90 artistas nacionais e estrangeiros no Museu Histórico Nacional; e a Mostra de Gravura de artistas dos dois países em Florianópolis, Santa Catarina. Os três projetos também foram levados para Córdoba.

Atualmente, prepara os projetos “RIO DE JANEIRO Um novo olhar” y “RASTROS NA AREIA”, em homenagem aos 450 anos da cidade, no Consulado Argentino no Rio de Janeiro.  Também está levando para Córdoba a mostra “SUDARIOS”, do grande artista brasileiro Carlos Vergara, inspirada nas Ruínas das Reduções Jesuíticas da Antiga Província Paracuaria dos séculos XVII e XVIII.

DEIXE UM COMENTÁRIO