Grupo Esparrama estreia novo espetáculo no Teatro Alfa

Sissy Eiko

Após cativar a todos com o teatro na janela, Grupo Esparrama retorna aos palcos com o espetáculo FIM? De forma divertida, o grupo leva o público para uma passagem pelo fim do mundo e convida as crianças para um novo recomeço.

ESPARRAMA PROPÕE REFLEXÕES SOBRE O COMPORTAMENTO DOS HUMANOS EM ‘FIM?’

No dia 01 de outubro, o Grupo Esparrama formado por Iarlei Rangel, Kleber Brianez, Ligia Campos, Luciana Gandelini e Rani Guerra, estreia sua mais nova montagem no Teatro Alfa e convida o público para uma passagem pelo fim do mundo, onde só sobraram duas baratas e dois palhaços. Com o sugestivo nome “FIM?” o grupo propõe importantes reflexões sobre os comportamentos da sociedade contemporânea e questiona: afinal, para onde e de que forma nós, os humanos, estamos caminhando?

Em um cenário de destruição, duas baratas festejam o fim do mundo, pois agora o mundo é só delas. Mas de repente, se deparam com dois seres atrapalhados e esquisitos que acreditam que poderão plantar a semente do novo recomeço: dois palhaços. Irritadas com a presença destes seres, elas passam a executar planos mirabolantes e colocar divertidas armadilhas para que assim eles entendam que não tem mais jeito, que o mundo agora é das baratas. De forma leve e divertida, estes palhaços irão percorrer cenários de guerras, desastres, catástrofes provocadas pelos seres humanos e convidarão as crianças para encontrar uma forma de reavivar tudo o que foi perdido.

FIM? é um espetáculo que trata das diversas perspectivas sobre o fim do mundo. Por um viés ecológico, trata da necessidade de recuperar a natureza, da necessidade de pensarmos formas de consumo consciente e sustentável. E trata também do fim do mundo decorrente da falta do encontro do ser humano com o seu outro. Do fim do mundo que acontece pela falta de diálogo, pela ausência de afetos, pela falta de empatia com a dor do outro. Assim como no espetáculo, onde os dois palhaços buscam um local para plantar essa semente do recomeço, o Grupo Esparrama entende que as crianças e o seu território infantil, são um terreno fértil para também plantar sua semente. Com a interação das baratas, com estes dois palhaços, o grupo pretende instigar e provocar o público, propondo que as pessoas se percebam e tentem imaginar-se no lugar do outro, estimulando uma reflexão sobre o momento em que estamos vivendo, como tratamos o nosso planeta, buscando uma convivência mais afetuosa e humana, como cidadãos do mundo.

“Escolhemos falar com as crianças por que sabemos que elas ainda se deixam afetar, ainda se espantam diante das novidades (sejam boas ou ruins). Queremos continuar falando para as crianças, pois temos esperança de que elas possam emprestar seu olhar inquieto para os adultos. Queremos que elas repitam perguntas que pareçam ingênuas, de tão óbvias que são. Queremos que estas questões sejam repetidas por elas, na esperança que um dia os adultos as ouçam de verdade.”, comenta o diretor do espetáculo Iarlei Rangel.

O Grupo Esparrama ganhou notoriedade por trazer arte para o Minhocão e é um dos grandes responsáveis por dar cara nova a esta região do centro de São Paulo. Esparramando cores, arte e muito bom humor, o grupo cativou a população local e atraiu os olhares de pessoas de diversos lugares, que passaram a incrementar seus domingos de lazer, participando as atividades propostas pelo Esparrama.  Após a explosão do teatro na janela, forma como carinhosamente a população apelidou o projeto onde o grupo apresenta um espetáculo de teatro a partir da janela de um apartamento, localizado em frente ao Minhocão, o Grupo Esparrama volta para falar do fim do mundo, mas mantém sua pesquisa com elementos e importantes reflexões sobre a cidade.

Criado em 2012, o Grupo Esparrama, tem como base de sua pesquisa o estudo do palhaço e das estruturas cômicas em suas variadas expressões nas artes cênicas (rua, palco convencional, intervenções, etc.). Com o projeto de teatro na janela, que surgiu em 2013, atraiu os olhares da crítica especializada, da imprensa nacional, internacional e ganhou notoriedade. Com o projeto ainda sendo realizado de forma independente, foi contemplado com importantes prêmios do teatro: Prêmio FEMSA de Teatro Infantil e Jovem (Categoria Revelação – pela direção – e Prêmio Crystal Eco de Sustentabilidade) e o Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro, na categoria Melhor Ocupação de Espaço.

Em 2014 o grupo foi contemplado com o programa Rumos Itaú Cultural e em janeiro de 2015 deu início ao projeto Janelas do Minhocão, que contou com importantes ações de ocupação, como uma temporada com artistas convidados (Esparrama Amigos pela Janela), uma temporada do primeiro espetáculo (Esparrama pela Janela), ciclos de debates no Minhocão sobre arte e cidade e culminou com a criação de seu segundo espetáculo “Minhoca na Cabeça”, chegando a reunir 1200 pessoas em uma única apresentação. Para esse espetáculo o grupo contou com os atores convidados Gabi Zanola, Renato Ribeiro e Vinicius Ramos, integrantes da Trupe DuNavô. Ainda em 2015, na segunda edição do Prêmio Zé Renato, foi contemplado e realizou temporadas de seus dois espetáculos feitos especialmente para o Minhocão: Esparrama pela Janela e Minhoca na Cabeça.

Com um publico participativo desde o seu surgimento, o grupo tem em suas redes sociais um ambiente de troca e conversa com seus seguidores, aproximando as pessoas e proporcionando uma vivência para além dos limites de sua janela física. Por isso, em 2016, o grupo resolveu experimentar outra forma de comunicação, através de um canal oficial no youtube. Em parceria com a produtora Bruta Flor Filmes, o Grupo Esparrama lançou o videoclipe “Bem-te-vi”, gravado com um dos personagens mais carismáticos da janela: A Pomba Cantora.  Além de uma gama de pessoas muito diferentes, o grupo contou com um time de convidados de peso! Entre eles, a cartunista Laerte, o ator Ailton Graça, a atriz Bete Dorgam, os palhaços Raul Figueiredo e Ronaldo Aguiar, Gazi Zanola, Renato Ribeiro, Gis Pereira e Vinicius Ramos, da Trupe Dunavô, entre muitos outros membros de coletivos e grupos parceiros. A Pomba Cantora é um boneco produzido pelo cenógrafo e diretor de arte Jaime Pinheiro, que tem uma história de longa data com o Grupo Esparrama, já que foi o grande responsável pela confecção do principal marco do projeto do Minhocão: a janela azul. Além de ter produzido o boneco Jardineiro, personagem do espetáculo Esparrama pela Janela.

Recentemente o grupo foi contemplado pelo mais importante programa de apoio ao teatro da cidade, o Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, para dar continuidade à pesquisa de intervenção urbana a partir de sua janela. Agora o Grupo Esparrama se prepara para estrear seu novo espetáculo e questiona o público: Será o FIM?

Ótima oportunidade de conhecer o trabalho deste grupo que já faz parte do cotidiano da cidade. Mais informações e a programação completa, você encontra na página: facebook.com/esparrama

FICHA TÉCNICA

Direção: Iarlei Rangel. Assistente de Direção: Lígia Campos. Elenco: Kleber Bianez e Rani Guerra. Cenógrafa, Figurinista e Aderecista: Marcela Donato. Iluminação: Tulio Pezoni. Dramaturgia e Trilha Sonora: Grupo Esparrama. Músicas Originais: Rani Guerra. Assessora de Imprensa e Comunicação: Luciana Gandelini. Preparação Corporal: Ronaldo Aguiar. Designer Gráfico e Cenário da Guerra: Amanda Vieira. Confecção de Casacos das Baratas: Ana Griz. Ilustrações do Programa: Marina Faria. Fotógrafa: Sissy Eiko. Produção: Lígia Campos e Iarlei Rangel.

GRUPO ESPARRAMA

FIM?

O mundo acabou. Tudo está destruído e só sobraram lixões, campos de guerra, estranhos muros, restos lamacentos de um rio doce e… Duas baratas: Beatriti e Margueriti que, juntas, comemoram este fim.

Elas acreditam que agora o mundo será apenas das baratas. Mas o que elas não sabem é que outros dois seres esquisitos e muito atrapalhados também sobreviveram: os palhaços Batatinha e Nerdolino, que agora perambulam pelo mundo com um mapa, uma semente e muita esperança.

Empenhados em encontrar um novo começo para a humanidade, eles não desconfiam que estão sendo observados pelas baratas, que criarão divertidas armadilhas para “ajudá-los” a entender que o mundo delas é bem melhor sem eles… Será o Fim?

Estreia dia 1º de outubro, sábado, às 17h30, na Sala B do Teatro Alfa

Temporada:  01 de outubro a 27 de novembro – sábados e domingos – Horários: 17h30

Endereço: R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo – SP, 04757-000 – www.teatroalfa.com.br  – Telefone: (11) 5693-4000

Ingressos: R$ 30,00 (inteir) e R$15,00 (meia para crianças, estudantes e maiores de 60 anos). Grupo Alfa: 50% de desconto funcionários devidamente identificados. Banco Alfa: 20% de desconto clientes devidamente identificados. Assinantes do teatro Alfa: 10% de desconto. Venda efetuada com cartões de crédito (Amex, Visa, Credicard e MasterCard), de segunda a sábado das 11h às 19h; e domingos das 11h às 17h. Os ingressos poderão ser retirados no próprio teatro no dia do espetáculo. Taxa de serviço de R$ 5,00 por ingresso adquirido para Sala A e R$ 2,00 para Sala B. Call Center Ingresso Rápido: (11) 4003-1212.

Como comprar: Pela internet: A compra via internet está sujeita a cobrança de taxa de conveniência e taxa de entrega. Por Telefone: Bilheteria do Teatro Alfa: 11 5693.4000 e 0300 789-3377. Venda efetuada com cartões de crédito (Amex, Visa, Credicard e MasterCard), de segunda a sábado das 11h às 19h e domingos das 11h às 17h. Importante: Taxa de serviço de R$ 5,00 por ingresso adquirido para Sala A e R$ 2,00 para Sala B. Call Center Ingresso Rápido: 11 4003-1212. Atendimento de segunda a sábado das 9h às 22h e domingos e feriados das 12h às 20h. Pessoalmente (sem taxa de serviço): Bilheteria do Teatro Alfa: Venda efetuada com cartões de crédito (Amex, Visa, Credicard e MasterCard), cartões de débito (Visa Electron e Redeshop) ou dinheiro, de segunda a sábado das 11h às 19h e domingos das 11h às 17h.

Capacidade: 204 lugares – Duração: 50 minutos – Classificação: Livre.

DEIXE UM COMENTÁRIO