Galeria de arte contemporânea “Cavalo” será inaugurada em Botafogo

Espaço dos sócios Ana Elisa Cohen e Felipe Pena abre dia 23 de janeiro, com mostra coletiva dos artistas Adriano Motta, Alvaro Seixas, Felipe Cohen, Marina Weffort, Pedro Caetano, Vijai Patchineelam e Wagner Malta Tavares

Álvaro Seixas - Pintura Sem Tíulo (Por Bem ou por Mal) - 2015 - Óleo spray e esmalte s tela - 200x200cm
Álvaro Seixas - Pintura Sem Tíulo (Por Bem ou por Mal) - 2015 - Óleo spray e esmalte s tela - 200x200cm

Centro da efervescência cultural carioca, com seus teatros, cinemas, livrarias e pólo gastronômico, Botafogo será brindado com mais uma novidade. A partir de 23 de janeiro, os sócios Ana Elisa Cohen e Felipe Pena inauguram a Cavalo, galeria de arte contemporânea localizada num belo casarão de 130 metros quadrados com duas salas expositivas, na Rua Sorocaba.

A dupla há muito dedica-se à arte. Ana Elisa e Felipe se conheceram quando trabalharam juntos na Anita Schwartz Galeria de Arte – ela em Design e Produção, e ele em Relações Internacionais – e, desde então, alimentavam o sonho de um espaço próprio. “A ideia de fundarmos nossa própria galeria se construiu aos poucos, a partir das descobertas de muitas afinidades e ótima dinâmica de trabalho. Durante esse convívio, costumávamos brincar que determinados artistas e trabalhos que gostávamos por ousadia e humor deveriam fazer parte da nossa galeria imaginária, que nomeamos Cavalo. Quando começamos a nos movimentar para concretizar esse sonho, foi natural chamá-la assim”, conta Felipe.

A Cavalo abre suas portas com a coletiva “Exposição Inaugural”, de 23 de janeiro a 19 de março. A mostra reúne 25 obras, entre fotografias, pinturas, esculturas, instalações, objetos e vídeos de sete artistas: Adriano Motta, Alvaro Seixas, Felipe Cohen, Marina Weffort, Pedro Caetano, Vijai Patchineelam e Wagner Malta Tavares, todos representados pela galeria.

Adriano Motta apresenta três pinturas a óleo sobre tela e Alvaro Seixas a inédita “Pintura Sem Título (Por Bem ou Por Mal…)”, feita com óleo, spray e esmalte. Marina Weffort mostra sua atual série “Tecidos”, em que desfia a trama para explorar ao máximo a luz e a cinética do material. Já Felipe Cohen usa mármore, saco plástico, paralelepípedo de granito e confete em duas esculturas. 

Wagner Malta Tavares estabelece, em seus vídeos e sua escultura, relações entre o imaginário pop, literatura clássica e construtivismo. Já Vijai Patchineelam mostra duas fotografias de objetos cotidianos fora de seus habituais espaços.

“Ao longo do ano pretendemos apresentar individuais, tanto dos artistas representados como trabalhos de nomes emergentes ou que nunca expuseram antes no Rio.”, explica Ana Elisa Cohen, que pretende promover debates públicos, encontros com artistas e curadores, performances, projeções de vídeo, e lançaremos publicações artísticas próprias. “Estamos assumindo um compromisso com a cena cultural da cidade”, garantem os sócios.

Sobre os artistas

Adriano Motta – É formado em Design pela PUC- RJ. Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Em 2013 publicou o livro “Mickey Speed”, pela A Bolha Editora. Participou em 2011 da performance “Projeto Cavalo”, com a Orquestra Equestre de Libertação. Realizou a exposição individual “Trabalhos Recentes”, em 2011, na Galeria Mercedes Viegas. Participou da nona edição do XXX Fluorifestival, na cidade de Pesaro, na Itália. Foi indicado ao Prêmio Pipa na edição de 2013.

Alvaro Seixas – Doutor em Linguagens Visuais pela Escola de belas Artes da UFRJ, foi professor da instituição. Participou da 10ª Bienal do Mercosul “Mensagens de Uma Nova América”, em Porto Alegre, e do 5º Prêmio CNI-SESI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas, no MAC-USP, São Paulo. 

Felipe Cohen – Artista plástico formado pela Faap, realizou mostras individuais e coletivas em importantes espaços como Centro Cultural São Paulo, Pinacoteca do Estado de São Paulo e Instituto Cultural Itaú. Entre suas principais exposições estão a 8ª e a 11ª Bienal do Mercosul, “Economy of means”, no Scottsdale Museum of Contemporary Art, nos Estados Unidos, e “Imagine Brazil – Artists Books”, que passou por diversas cidades da Europa. Possui trabalhos em importantes coleções, como o Pinacoteca do Estado de São Paulo, Museu de Arte Moderna de São Paulo, Museu de Arte do Rio e Scottsdale Museum of Contemporary.

Marina Weffort – Graduada em desenho e escultura pela Faap, em São Paulo. Em 2009 foi selecionada para o Programa de Exposições do Centro Cultural de São Paulo, sua primeira individual, onde ganhou o prêmio aquisição. Em 2010, realizou sua segunda individual “Still Life” e, em 2014, “Lugar das Coisas”, ambas na Galeria Marilia Razuk. Em 2014 foi indicada para o prêmio PIPA.

Pedro Caetano – Vive e trabalha em São Paulo. É formado em cinema. Apresentou seus trabalhos nas exposições individuais “Tudo Bem”, no programa de exposições do Centro Cultural São Paulo (2015); “Machina Zero”, na Alvaro Razuk Arquitetura (2012) e “Os Grandes Sucessos de Pedro Caetano”, na galeria polinesia (2010). Participou de diversas coletivas, entre elas, “First Emarald, than Sapphire, Than Black”, Akademie der bildenden Künste (2014), em Viena, e “Salon” (2014), em Hamburgo;  Foi fundador e diretor da galeria polinésia. 

Vijai Patchineelam – Vive e trabalha entre a Antuérpia, na Bélgica, e Niterói, no Rio de Janeiro. Inicia em 2016 sua pesquisa de doutorado The Artist Job Description, que busca empregar artistas, na função de artista, dentro das instituições de artes. Em janeiro de 2015 realizou a exposição “Resistir o passado, ignorar o futuro e a incapacidade de conter o presente”, no MAM do Rio de Janeiro.

Wagner Malta Tavares – Participou de exposições individuais em galerias comerciais do Rio e de São Paulo, esteve em coletivas no Brasil e no exterior.  Realizou intervenções urbanas em cidades como São Paulo, Veneza, Chicago e, mais recentemente, no Rio de Janeiro. Ganhou diversos prêmios, entre eles,  Prêmio Interferêncais Urbanas no Rio, Prêmio de Escultura Pública em Guaíra, Projéteis de Arte da Funarte, e foi finalista do Prêmio Marcantonio Villaça. Tem obras em Instituições como Pinacoteca do Estado de São Paulo, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Museu de Arte do Rio e Museu Bispo do Rosário.

Sobre os sócios

Ana Elisa Cohen – Formada em Desenho Industrial com especialização em Arte e Filosofia na PUC-Rio. Após a graduação, trabalhou na galeria Arte 21, dos sócios Alessandra Monteiro de Carvalho, Valéria Braga e Afonso Costa, durante dois anos com design e produção. Após o encerramento do espaço, juntou-se ao time da galeria Anita Schwartz, onde trabalhou por 7 anos como produtora e designer.

Felipe Pena – Cursou a graduação em Artes Visuais na UFRJ, bacharelado em Pintura na mesma Universidade, assim como Comunicação Social na PUC e Produção Fonográfica na Estácio. Trabalhou na galeria Anita Schwartz e organizou exposições no espaço independente Meio, na Praça Tiradentes.

Galeria Cavalo - Felipe Pena e Ana Elisa Cohen (foto: Lucas Landau)
Galeria Cavalo – Felipe Pena e Ana Elisa Cohen (foto: Lucas Landau)

Serviço 

Exposição Inaugural
Abertura – 23 de janeiro, às 18h
Período – 23 de janeiro a 19 de março
Horário de visitação – Terça a sexta, das 12h às 20h. Sábados, das 13h às 17h
Local – Cavalo – Rua Sorocaba, 51, Botafogo. Tel: (21) 2267-7654
Entrada gratuita
www.galeriacavalo.com

DEIXE UM COMENTÁRIO