Festival “Esse Monte de Mulher Palhaça” exibe sessão gratuita do documentário “Minha avó era palhaço”

Festival conta a história da primeira palhaça negra no Brasil; entrada franca.

Minha avó era palhaço
Minha avó era palhaço

Como parte da programação do “Esse Monte de Mulher Palhaça” – Festival Internacional de Comicidade Feminina, que acontece na Escola Nacional de Circo (Rua Elpídio Boamorte,4 – Praça da Bandeira), até quinta-feira, dia 18, haverá a exibição gratuita do documentário “Minha avó era palhaço” (2016), na terça-feira dia 16, às 15h, seguido de bate-papo com as diretoras, convidados e o grupo “As Marias da Graça”, responsável pelo Festival. O filme, de 52 minutos, dirigido por Ana Minehira e Mariana Gabriel, neta da artista-palhaço, conta a história de Maria Eliza Alves dos Reis, a primeira palhaça negra do país. O trabalho de dois anos de pesquisa é o resultado visual de entrevistas, encontros, leituras, consultas virtuais e organização de fotos antigas com curiosos trajes circenses dos séculos XIX e XX, além de registros da palhaça-homem, que animava festas da família até alguns anos antes de sua morte, em 2007, aos 98 anos.

No final da década de 40, um dos mais famosos circos daquele tempo, o Circo Guarany, trazia em sua programação um grande sucesso, o palhaço Xamego, que alegrava e seduzia a plateia com seus chistes, pilhérias, cachorros e gatos amestrados e musicais hilários. Mas o que muitos não sabiam era que “Xamego”, após a apresentação, já no camarim, tirava a maquiagem e voltava a ser Maria Eliza Alves dos Reis, a primeira palhaça negra do Brasil, que devido ao machismo da época vestia-se como homem para trabalhar no circo do pai, um homem negro, filho de uma ex-escrava, que possuía um dos cinco maiores circos do Brasil.

Nascida na primeira década do século 20, Maria Eliza foi mãe de nove filhos, enfrentando a perda de sete deles ainda quando pequenos. Por volta de 1929 ela e sua irmã Ifigênia tentaram carreira como cantoras no rádio, mas ela se consolidou literalmente como o famoso palhaço Xamego do Circo Guarany. Quando decidiu substituir o palhaço anterior encontrou a resistência do seu pai, mas ao começar a fazer graça para convencê-lo, conseguiu conquistar a sua confiança.

O filme, que teve sua estreia dia 21 de março – data de aniversário de Dona Maria Eliza – foi exibido em São Paulo, Campinas, Assis (interior de São Paulo), Salvador, Belo Horizonte, Goiânia e agora chega ao Rio de Janeiro, para 12ª exibição.

Serviço

Minha avó era palhaço
Local: Escola Nacional de Circo
Endereço: Rua Elpídio Boamorte,4 – Praça da Bandeira
Telefone: 2404-5182

15h – Exibição do filme:

16h Bate papo com: Mariana Gabriel (diretora), Caio Mancini (diretor de fotografia), Valentina Aires (diretora de arte), Yeda Dantas e As Marias da Graça.

Capacidade: 1000 lugares

Entrada: Franca

Programação completa do Festival.

www.essemontedemulherpalhaca.com.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui