Flambée Cozinha Francesa – entenda por que ela é a melhor do mundo

Flambée - História da culinária francesa
Flambée - História da culinária francesa

A cozinha francesa é sinônimo de sofisticação, elegância e também de muito sabor. Além disso, hoje os famosos pratos franceses influenciaram e continuam a influenciar diversos países e chefs, famosos e anônimos. E para quem planeja visitar a cidade luz, com certeza, a culinária será um dos pontos altos da viagem. Mas você sabe como a França e seus alimentos ficaram tão famosas? Conversamos com a renomada chef Maria Marta, responsável pela cozinha do Flambée, restaurante francês na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, para entender mais esta história.

“A cozinha francesa não virou referência da noite para o dia, mas ela merece o lugar que ocupa por sempre se preocupar em diversificar os sabores, ingredientes e por também ter sido inovadora na forma de servir e apresentar os pratos”, afirma a chef Maria Marta. A cozinha é tão marcante, que, em 2011, a UNESCO declarou a comida francesa como “Patrimônio Cultural Imaterial do Mundo”.

Mas vamos voltar um pouco no tempo e conhecer melhor como foi o processo de amadurecimento da cozinha francesa. A população da idade Média usava bem alimentos como pães, grãos e vinhos e tinha abandonado alguns outros temperados e abusava de especiarias como noz moscada e o Cravo-da-Índia.

Na contramão, a cozinha francesa se mantinha farta e diversificava seus ingredientes. Usava peixes temperados, lagostins, ovos, queijos e vinho. E por falar em queijo, atualmente, na França, são produzimos mais de 365 tipos diferentes de queijo. Você vai precisar de um ano para provar tantos sabores, se comer um por dia!

Flambée - História da culinária francesa
Flambée – História da culinária francesa

Nos anos de 1486, foi impresso o primeiro livro de culinária na França, intitulado “Le Viandier”, que continha com 230 receitas. Uma cozinha que já lançava tendência. As grandes navegações trouxeram novos alimentos para a culinária europeia como tomate, batata, feijão, milho e muitas novas especiarias. Os cozinheiros franceses foi o que mais abriram suas cozinhas e ousaram com tantos sabores novos.

No século XVII uma nova geração de nobres muda radicalmente a forma de consumir e servir da corte francesa. Começam a surgir as porções individuais e mais adiante, no século XVIII, uma ordem para que os pratos fossem servidos. Isto porque se exigia que os ingredientes estivessem os mais frescos possíveis, então tudo começou a ser servido próximo da hora de ser consumido. A divisão acontece: entrada, prato principal e a sobremesa.

Ainda no séc. XVIII, antes da revolução Francesa, abre em Paris o primeiro restaurante. E, após a revolução, a procura só aumentou. As pessoas queriam se alimentar de forma prática e ainda sim, com muito sabor. Napoleão leva toda a sofisticação da cozinha francesa por meio de seus soldados.

Além de toda a história, geograficamente a França é um país que possui diversos tipos de clima o que possibilita plantações de vegetais, frutas e legumes diversificados. Outra curiosidade é sobre o respeito com que os chefs são tratados. Um status conquistado através dos séculos, e vamos combinar… É uma merecida homenagem!

DEIXE UM COMENTÁRIO