Fios Encantados e Pequeno Sertão Veredas na Arena Jovelina Pérola Negra

Pequeno Sertão (foto: Claudio Medeiros)
Pequeno Sertão (foto: Claudio Medeiros)
Pequeno Sertão: Veredas :15 de julho – sexta-feira – 10h e 14h
A proposta de transpor parte do universo sugerido por Guimarães Rosa através de sua particular literatura para um tapete tridimensional de histórias que se proponha a representar um sertão veredas em miniatura para crianças e jovens – formado por uma geografia de panos, retalhos, cores e texturas – caminha em direção ao casear do brincar com o compromisso, do refino ao vasto conteúdo de sabedoria popular apreendido por um cuidadoso e atento mestre das palavras e histórias.
 
Fios encantados ( foto: Claudio Medeiros)
Fios encantados ( foto: Claudio Medeiros)
Fios Encantados –  14 de julho – quinta-feira – 15h 
Onde começa uma história? Qual som é capaz de despertar uma narrativa adormecida…
Dando início a partitura cênica que convida o público a uma viagem através do tempo e espaço, três mulheres, talvez bruxas, talvez fadas, como as antigas Moiras e fiandeiras, brincam de contar e cantar narrativas antigas:Rumpelstiltskin,O Ouro das Estrelase Baba Yaga.
 
Os contos de fadas ou contos maravilhosos são fonte de sabedoria universal que enriquecem significativamente o imaginário infantil. 
 
 
 
Equipe de criação:
Direção e Dramaturgia: Daniela Fossaluza
Elenco: Daniela Fossaluza e Denise Goneve.
Músicos: Cezar Pereira e Felipe Chaves.
Criação do Tapete de Histórias: Daniela Fossaluza e Denise Goneve.
Fotos: Claudio Medeiros
Realização: Costurando Histórias
 
SERVIÇO –  Grupo Costurando Histórias
ARENA JOVELINA PÉROLA NEGRA – Endereço: Praça Ênio, s/nº – Pavuna  
14 de julho – quinta-feira – 15h – Fios Encantados
15 de julho – sexta-feira – 10h e 14h – Pequeno Sertão Veredas 
Entrada franca
Classificação livre e indicativa para todas as idades
 
A Cia – Comemoração dos 15 anos da Cia
Através de espetáculos híbridos que alinhavam artes plásticas, literatura, teatro e música, a Cia. Costurando Histórias visita espaços culturais, feiras literárias e instituições de ensino, sempre fomentando arte e cultura por onde passa. A iniciativa de transformar livros infanto-juvenis em tapetes interativos teve origem na França e chegou ao país através do projeto Raconte-Tapis, difundido com êxito também pela diretora do grupo, a atriz, pesquisadora e artesã Daniela Fossaluza.  Desde 2001, a atriz e sua parceria artística Denise Goneve criam tapetes-cenários utilizando retalhos e a partir de obras literárias e contos populares. Entre os autores já “tapeteados” estão: Guimarães Rosa, Ruth Rocha, Ana Maria Machado, Leonardo Boff, Clarice Lispector, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Silvia Ortof e Vinicius de Moraes. 
 
De um modo lúdico, interativo e próximo, as apresentações acontecem objetivando o encantamento e também a participação ativa das crianças. Após os encontros de narração, os ouvinte podem manipular os cenários, livros e instrumentos musicais utilizados nas sessões de histórias, dando um caráter especial ao evento, comprovando que vale à pena dar a oportunidade de voz e ação às crianças. Revivendo os enredos através da livre brincadeira, os pequenos e grandes espectadores podem recriar e rememorar os conteúdos que acabaram de receber. O livro é uma fonte de inspiração aparente no trabalho do grupo. 
 
Entre castelos, florestas, cemitérios e brejos, os personagens ganham vida sendo manipulados pelos atores-narradores e embalados pelas trilhas sonoras e sonoplastias elaboradas pelos músicos. A junção de elementos cênicos e expressivos compõe os resultados finais. Performance e literatura embasando os encontros. 
 
“Quem conta um  conto aumenta um ponto. Quem costura um livro semeia vínculos e dá gosto à imaginação”. Costurando Histórias: Uma maneira diferente de estimular leitura, cultura, conhecimento e interação.

DEIXE UM COMENTÁRIO