Exposição de Flávio Colker tem fotografias feitas no México e no Rio

Pés descalços / Foto: Daniela Vidal

Ainda dá tempo de conferir a bela exposição de  Flávio Colker, que traz uma série  de fotografias realizadas no México e no Rio de Janeiro, com retratos de sua pupila e hoje artista, a mexicana  Daniela Vidal, em performances que remetem ao erotismo, êxodo, solidão e reencontro com a natureza. Flávio chamou a mostra de Cântico, prá que as fotos “ toquem os seus olhos com a intensidade e a clareza da canção. Que este cântico, feito de retratos de uma mulher, torne em sublime o banal das experiências que me sucederam”.

Com uma estética pré-rafaelita, inspirada num livro que Daniela folheou por acaso num sebo, as fotos retratam cenas do cotidiano em que a modelo é retratada tanto no cenário caseiro como na paisagem rural e solar mexicana, num trabalho que resulta de um consistente apuro técnico com a força  poética das cenas representadas. Cântico já havia sido apresentada em 2014 no Midrash, numa instalação que reunia  vídeo, fotos e performance de Daniela, num resumo de sua trajetória como artista. 

Fim de feira / Foto: Daniela Vidal
Fim de feira / Foto: Daniela Vidal

Flávio Colker
Artista de extensa atuação em nosso cenário cultural, com trabalhos que fazem parte do acervo permanente do MAM/SP,  o fotógrafo é autor de  retratos de capas de discos emblemáticas como de Caetano Veloso, Cássia Eller, Cazuza e Kid Abelha, entre outros artistas da MPB. Responsável pelo  registro fotográfico de diversas montagens de sua irmã,  a coreógrafa Deborah Colker, dirigiu clipes musicais de Marina e Legião Urbana, mas à partir da instalação “Cântico”, apresentada em 2014 no Midrash, que  reunia fotos, imagem em movimento e performance de Daniela, Flávio começou uma nova busca no campo da fotografia, sempre relacionada à música e à dança. Em antigas entrevistas, ele conta que se tornou fotógrafo naturalmente, como uma forma de se inserir nas situações, já que era um menino bastante introspectivo, e a fotografia foi o meio  que possibilitou a ele observar e participar da realidade da qual fazia parte.

A exposição “Cânticos” segue até domingo no Paço Imperial, dividindo o espaço denominado “Terreiro” com duas outras exposições de fotografia: “Colisões”, de Cezar Bartholomeu, que apresenta uma seleção de imagens que tem como questão o encontro com o  Rio de Janeiro, além da mostra de Daniel Feingold , com fotografias que apresentam uma compreensão do real através de elementos geométricos, num processo de trabalho pré-concebido e não de uma captura espontânea.

Serviço
Exposição: “Cânticos” – Flávio Colker
Dias: terça à domingo
Horário: 12h às 19h
Paço Imperial – Praça XV de Novembro, 48 – Centro  / Tel.: (21) 22155231
Entrada Franca
Classificação: Livre

 

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO