Exposição com gravuras de Carybé para livro de Jorge Amado chega ao Sesc Madureira

Obras do artista nascido na Argentina e radicado na Bahia  ilustram “O Compadre de Ogum”

Carybé (foto: Clarissa Pivetta)
Carybé (foto: Clarissa Pivetta)

Depois de Ramos e Tijuca, na capital, e Campos, no norte do estado, chegou a vez da unidade do Sesc Madureira receber a exposição itinerante “Carybé Ilustrador – O Compadre de Ogum”, compilação de gravuras originais criadas pelo artista que ilustram o livro “O compadre de Ogum”, de Jorge Amado. A mostra, que será aberta ao público no dia 19/3, estende-se até 8/5 com entrada franca.

A multiplicidade de linguagens criativas é um dos traços definidores da arte de Carybé (1911-1997), nome artístico de Hector Julio Paride Bernabó, pintor de origem argentina naturalizado brasileiro. Radicado na Bahia, tinha na ilustração uma de suas facetas mais marcantes. Criou capas e gravuras para mais de 50 livros de autores de projeção mundial. Além de Jorge Amado, figuram na lista Rubem Braga, João Cabral de Melo Neto, Gabriel García Márquez, Mario Vargas Llosa e Carlos Drummond de Andrade.

Talentoso muralista, Carybé realizou trabalhos para o escritório da Petrobras em Nova York, para o Banco da Bahia, para o Aeroporto John F. Kennedy, em Nova York e para a Embaixada Brasileira em Lagos, na Nigéria. Em 1963, recebeu o título de Cidadão da Cidade de Salvador, honraria que se somaria a várias outras, como a de Cavaleiro da Ordem do Mérito da Bahia, o Prêmio Melhor Artista Plástico, de 1967, o título de Doutor Honoris Causa, concedido pela Universidade Federal da Bahia, e a diplomação com a Honra ao Mérito Espiritual Culto Afro-Brasileiro.

Carybé (foto: Clarissa Pivetta)
Carybé (foto: Clarissa Pivetta)

Exibiu seus trabalhos em mostras coletivas e individuais desde 1940. Entre elas, destacam-se as realizadas no Museu Municipal de Buenos Aires e nas galerias Nordiska, Amalta e Viau, na Argentina; na Galeria Oxumaré, em Salvador; no Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio; e na I Bienal Nacional de Artes Plásticas da Bahia.

Além de artista, foi jornalista e músico, acompanhando como pandeirista o conjunto Bando da Lua, que atuava com Carmem Miranda. Realizou cenários e figurinos para teatro e, no filme “O cangaceiro”, de Lima Barreto (1980), atuou como diretor artístico, além de realizar cerca de 1.600 desenhos para as cenas.

SERVIÇO
Exposição “Carybé Ilustrador – O Compadre de Ogum”
Sesc Madureira: R. Ewbanck da Câmara, 90.
Tel.: (21) 3350-7744
Visitação: 19/3 a 8/5/2016
De terças a sextas-feiras: das 9h às 21h
Sábados, domingos, segundas-feiras e feriados: das 9h às 17h30
Grátis
Classificação: livre

DEIXE UM COMENTÁRIO