Exposição Bailes do Brasil evidencia as relações entre moda, música e dança

Acervo de fotografias, músicas e vídeos serão disponibilizados para visitação pública no Solar Marquesa de Santos

Exposição Bailes do Brasil - foto: Ali Karakas
Exposição Bailes do Brasil - foto: Ali Karakas

Para os apaixonados por moda, música e dança, o Solar Marquesa de Santos (próximo ao Pateo do Collegio) em São Paulo, apresenta a exposição Bailes do Brasil, que reúne um acervo de imagem, som e vídeo que retrata diversos momentos de celebração coletiva do Brasil com uma original abordagem de nossa cultura por meio de um grande baile ao longo do tempo. A exposição mapeia por uma cronologia fluida, desde a primeira República no final do século 19 até os dias atuais, levando em consideração as relações entre as três manifestações artísticas.

O genuíno espírito da Moda de cada época pode ser percebido no registro do cotidiano, com suas forças atuantes representadas a partir de imagens selecionadas de fotógrafos: estrangeiros e brasileiros, renomados e jovens, regionais e urbanos. Moda, Música e Dança se unem para capturar e embalar a cadência desses muitos encontros e períodos.

A curadoria da exposição reflete sobre influências e relevâncias, divididas em três atos. O Regionalismo Pulsante destaca a produção cultural de raiz e além das cidades, a partir dos sincretismos culturais regionais. A Metrópole Vibrante evidencia a forte influência europeia em nossas tradições e costumes, a clara distinção entre o erudito e o popular. A sala Globalização Eletrizante destaca o diálogo que passa a existir entre a afirmação de nossa brasilidade, suas confluências, com as afirmações de distintas identidades mundiais.

Os curadores Ricardo Feldman e Jum Nakao selecionaram mais de 200 fotos de profissionais nacionais e internacionais, a partir do acervo de instituições públicas e privadas, como Thomaz Farkas, Vania Toledo, Luiz Carlos Barreto, Otto Stupakoff, Maureen Bisilliat e Pierre Verger. A seleção musical produzida a partir de pesquisa sobre aspectos rítmicos brasileiros contribui para a imersão sinestésica dos visitantes. A mostra oferece também, três videoinstalações com figurinos escolhidos exclusivamente por Jum Nakao para esses ambientes.

Em parceria com o Museu da Cidade de São Paulo, a exposição Bailes do Brasil é patrocinada pela C&A, maior rede de varejo de moda do País, por meio da lei de incentivo estadual de cultura – PROAC.

Serviço
Exposição Bailes do Brasil com curadoria de Ricardo Feldman e Jum Nakao
Local: Solar Marquesa de Santos
Endereço: Rua Roberto Simonsen, 136 – Sé, SP (próximo ao Pateo do Collegio)
Data: de 28 de junho a 25 de outubro de 2015.
Horário de visitação: de terça-feira a domingo, das 9 h às 17 h.
Acompanhamento Educativo no local / Entrada franca
Telefone: 11 3241-1081
http://www.museudacidade.sp.gov.br/solardamarquesadesantos.php

Ficha técnica da exposição
Curadoria: Ricardo Feldman e Jum Nakao
Assistente de Curadoria e Pesquisa de Imagens: Carolina Vendramini
Produção Executiva: Patrícia K. Godoy
Concepção Museográfica: Jum Nakao
Concepção Museográfica / Direção Executiva: Suzana Memlak
Projeto de Iluminação: Guinter Parschalk

Sobre os curadores
Ricardo Feldman é sócio fundador da Livre, editora e produtora de conteúdo e cultura. Dirigiu diversos projetos culturais, entre eles a exposição Flávio de Carvalho Desveste a Moda da Cabeça aos Pés realizada no MUBE – SP e MAM- RJ; os livros Sapato de Mulher, um Passeio pelo Imaginário das Brasileiras; 30 anos de Moda no Brasil; Auditório Ibirapuera, o Projeto Esquecido de Oscar Niemeyer, entre outros. É publisher da Revista s/n e conselheiro do Theatro São Pedro, Orquestra Jazz Sinfônica e Banda Sinfônica de São Paulo.

Jum Nakao é mundialmente reconhecido por seus impactantes trabalhos nas mais diversas áreas. Seu desfile, A Costura do Invisível, é considerado um dos maiores desfiles do Século pelo Museu de Moda de Paris. A apresentação do Brasil no encerramento das Olimpíadas de Londres 2012, leva sua assinatura. É referência nas mais importantes publicações sobre Moda e Design do Mundo e sua obra integra acervos Internacionais de Museus de Arte e Moda.

Sobre o Museu da Cidade
O Solar da Marquesa de Santos é um raro exemplar de residência urbana do século 18 e foi o lar da Marquesa de Santos, Domitila de Castro Canto e Melo, entre 1834 e 1867, período em que a Rua do Carmo (atual Rua Roberto Simonsen) concentrava as residências elegantes de São Paulo. Foi também residência episcopal e sede da Companhia paulista de Gás, responsável pela adaptação do espaço interno e construção do prédio anexo. O primeiro grande restauro da edificação histórica teve início em 1991 e, para destacar os elementos arquitetônicos, o partido adotado foi deixar aparentes trechos das paredes de modo a informar sobre as antigas e as novas técnicas construtivas. O Solar da Marquesa de Santos abriga atividades museológicas e é a sede do Museu da Cidade de São Paulo.

Sobre a C&A
Líder do mercado de varejo de moda brasileiro, no qual está presente desde 1976, a C&A é uma multinacional de origem holandesa fundada em 1841 pelos irmãos Clemens e August, cujas iniciais deram origem ao nome da empresa. Atualmente a rede possui 290 lojas no País, em 25 Estados e no Distrito Federal. De maneira inovadora, a C&A atua para oferecer produtos e informação de moda a preços acessíveis. Com a plataforma C&A Collection, traz coleções exclusivas em parceria com estilistas e grifes nacionais e internacionais.

A empresa é pioneira em ações de sustentabilidade no setor: desde 2006, audita a cadeia produtiva, monitorando padrões de negócios socialmente responsáveis; em 2009, inaugurou uma Loja Eco, certificada com o selo Leed, do Conselho de Construção Sustentável dos EUA (USGBC); e, em 2010, foi a primeira empresa do setor a assinar o Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo. Em 2015, está consolidando seus compromissos em uma plataforma global de sustentabilidade.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui