Exposição “Aos Olhos de Caymmi” chega ao Rio com ilustrações assinadas pelo artista baiano

Depois de passar por Salvador e São Paulo, os cariocas vão receber uma faceta inusitada de Dorival Caymmi em mostra que reúne obras inspiradas em suas próprias canções

Os clássicos como “Marina”, “Milagre”, “O que é que a baiana tem?”, de Dorival Caymmi, encantam e embalam diversas gerações. Mas sua faceta pouco conhecida de ilustrador poderá ser conferida durante a mostra “Aos Olhos de Caymmi – Exposição de Canções Ilustradas”, que chega ao Rio no próximo dia 27 de junho, no Instituto Antônio Carlos Jobim. Danilo Caymmi, filho mais novo do artista, estará presente na abertura do evento, que acontecerá às 19h. A exposição já passou por Salvador, terra natal de Caymmi, e São Paulo.

A partir da interação e observação do seu universo particular, Dorival traduziu nas suas composições e, consequentemente, nas imagens, cenários tipicamente baianos: o coqueiral de Itapuã, a areia branca do Abaeté, as festas populares, uma puxada da rede ou um acarajé com vatapá. Em “Aos Olhos de Caymmi – Exposição de Canções Ilustradas” o público carioca vai conhecer dez ilustrações feitas a partir de canções de sua autoria, além de fotos do arquivo da família, áudios e vídeos que fazem um resgate histórico. Com visitação gratuita, a mostra permanece no local até 30 de agosto, de terça a domingo, das 11h às 17h.

Lançamento – Danilo Caymmi afirma que o evento vai “expor para o público os contos do pai de forma dinâmica e interativa, com o objetivo de perpetuar a história, promover a cultura e fortalecer a memória nacional”. A exposição é considerada pelo artista como a sua “menina dos olhos”. Ele ainda acrescenta que o público precisa conhecer os personagens da Bahia. “Por isso vejo que a iniciativa do patrocínio, realizado pelo Grupo LM, foi louvável. Estou lidando com profissionais dedicados que demonstraram interesse e respeito pela obra”, disse.

O projeto conta com a curadoria de Rose Lima, arquiteta e curadora, que possui mais de 18 anos de atuação reconhecida no cenário cultural baiano, tendo trabalhado com nomes como Caetano Dias, Bel Borba e Ayrson Heráclito. “Buscamos conectar o universo de inspiração de cada ilustração reunindo música, partitura, contexto, fonograma, intérpretes, admiradores e algumas curiosidades. Assim, apresentamos o pintor Dorival Caymmi, cujos olhos de artista traduziram palavras e sons em imagens”, acrescenta a curadora. A exposição tem produção assinada pela empresa Hasta La Luna Iniciativas Culturais.

Além da mostra para render homenagens pelo trabalho de Dorival Caymmi, o Grupo LM, patrocinador da exposição, distribuiu em 2014 uma reprodução de um caderno lançado no ano de 1984 com os desenhos que servem de base para a exposição. Neste material, encontram-se ilustrações que ele produziu sobre as músicas “Marina”, “Dora”, “Rosa Morena”, “João Valentão”, “Vou vê Juliana”, “Rainha do Mar”, “O que é que a baiana tem?”, “A Preta do Acarajé”, “Vatapá” e “Milagre. O caderno ainda vem com um autorretrato do cantor e um CD com canções interpretadas por Danilo.

Fomento à cultura – Com atuação em todo território nacional, o Grupo LM se destaca como incentivador da cultura, através do apoio ao projeto que preserva e promove um legado deixado por um dos mais importantes artistas brasileiros. Nesta exposição, o Grupo investiu aproximadamente R$ 300 mil, via Lei Rouanet. “Este projeto revela a obra de um homem que, como ninguém, levou aos quatro cantos as riquezas de nossa terra e de nosso saber”, cita Luiz Mendonça Filho, presidente do Grupo LM.

Nos últimos anos, o Grupo LM já investiu mais de R$ 2 milhões na cultura, patrocinando publicações, espetáculos e exposições. Um dos destaques é o investimento no memorial “A Casa do Rio Vermelho”, que pertenceu aos escritores Jorge Amado e Zélia Gattai, reaberto em novembro de 2014, tido como um dos principais pontos turísticos e espaço cultural da capital baiana. Além disso, investiu na publicação dos livros de fotografia “Cairu, Cidade do Sol” e “Encantos de Tinharé”, de Rui Rezende, no livro “Semiótica”, do artista plástico Bel Borba e a publicação do único conto literário assinado por Carybé, intitulado “Iaba”.

Declaração

“É tudo muito simples, natural. Eu parto de cenas reais, na maioria das vezes, corriqueiras até. […] No entanto, são necessários uns olhos especiais para se ver a música que é abstrata. Assim eu primeiro vejo a música. Depois a absorvo e logo após a transformo em canção. […] Aí entram a imaginação, como eu já lhe disse, e também a observação. […] Acontece que eu saía e via as coisas.”

Dorival Caymmi

SERVIÇO

Exposição “Aos Olhos de Caymmi”

Onde: Instituto Antonio Carlos Jobim, R. Jardim Botânico, 1008 – Jardim Botânico, Rio de Janeiro – RJ, CEP: 22460-000

Quando: abertura no sábado, 27 de junho, às 19h. Visitação de 28 de junho a 30 de agosto, de terça a domingo, das 11h às 17h.

Quanto: visitação gratuita

DEIXE UM COMENTÁRIO