Espaço Furnas Cultural inaugura Museu do Surf Rico

Exposição reúne raridades do esporte no mês que a cidade recebe 1ª divisão do surfe mundial

Rico Sunset - Abr 1982
Rico Sunset - Abr 1982

O Espaço Furnas Cultural recebe relíquias do Museu do Surf Rico, de 13 de maio a 12 de junho, quando tesouros do esporte nacional e internacional serão expostos de graça ao público. História viva do surfe brasileiro, Rico de Souza reúne pranchas e fotos que coleciona desde a década de 60, entre elas madeirites, com as quais iniciou sua carreira no Leblon, além de modelos usados por nomes como Pepê Lopes e o bicampeão mundial Tom Carroll. 

Rico se tornou uma referência para o surfe no Brasil e sua história se confunde com a própria evolução do esporte no País. Ainda assim, o hoje empresário deixa claro que a exposição não é apenas biográfica e pretende apresentar um pouco da tribo do surfe ao longo dos tempos.

“As fotos mostram como cabelos grandes e parafinados faziam parte do visual despojado daquelas pessoas. Na época, elas chamavam atenção por serem diferentes e fazerem um esporte mais diferente ainda. Na verdade, o surfe era considerado muito mais um estilo de vida do que um esporte. Hoje em dia, o esporte cresceu, mas o estilo de vida ligado ao surfe, sem dúvida cresceu mais ainda”, afirma Rico.

Rico e Horacio Seixas - Oficina 1969/1970
Rico e Horacio Seixas – Oficina 1969/1970

Furnas e a força das águas
O esporte cresceu tanto que, atualmente, os brasileiros dominam a elite do surfe mundial. Muitos deles fazem parte da Equipe Furnas, que apoia um grupo de esportistas, ex-atletas e treinadores cujas trajetórias servem como inspiração para as novas gerações. Furnas tem por princípio privilegiar esportes relacionados à água e ao vento, as duas principais fontes de geração de energia limpa e renovável desenvolvidas hoje pela companhia. No entanto, também contempla casos de oportunidade, em que o apoio seja determinante para o momento de vida dos esportistas.

“Os atletas da Equipe Furnas participam de várias de ações sociais apoiadas pela empresa, tanto dirigidas ao público interno quanto externo. É um projeto onde todos ganham. Os atletas conhecem um pouco da complexidade da setor elétrico. Já nossos colaboradores e as comunidades no entorno dos empreendimentos têm a chance de escutar sobre superação e amor ao esporte”, comenta Leandro Coelho, gerente de comunicação de Furnas.

A Equipe Furnas apoia os surfistas Lucas Silveira, Pedro Scooby, Pedro Calado, Chloé Calmon, Silvana Lima, Davi Teixeira (o Davizinho) e Lena Guimarães. Também fazem parte da Equipe: Arthur Zanetti, Diego e Daniele Hypólito, Jade Barbosa, Pétrix Barbosa, Caio Souza e Sérgio Sasaki (Ginástica Artística), Bruno Schmidt, Pedro Solberg, Maria Clara e Carol Solberg (vôlei de praia), Mila Ferreira (kitesurf), Caio Afeto (highline), e Victor Penalber (judô), além de nadadores medalhistas paraolímpicos como Clodoaldo Silva e Daniel Dias, entre outros.

A exposição do Museu do Surf Rico será realizada em Furnas paralelamente à disputa da etapa do WSL no Rio de Janeiro, que será montada no Grumari. Incentivador do esporte, Rico analisa o atual momento dos surfistas brasileiros no cenário internacional e reforça a importância de investimento na formação e treinamento dos atletas.

“Eu fui a primeira pessoa a receber o Mineirinho (atual campeão mundial) no Havaí há anos. É uma satisfação vê-lo pegando altas ondas hoje. É inegável que o surfe brasileiro atravessa um momento muito especial e, por isso, é tão importante que empresas como Furnas continuem apoiando nossos atletas. Tenho certeza que a etapa do Rio vai trazer muitas alegrias”, conclui Rico.

Rico de Souza
Nasceu em junho de 1952, no Rio de Janeiro. Com mais de 30 anos de surfe, ele faz parte da Comissão Nacional de Atletas e ganhou o título de Embaixador do Surfe Brasileiro. Rico conquistou seis vezes o título nacional, três deles na categoria pranchinha (1969/72/ 73) e os outros três na categoria longboard (1987/88/ 89), além do vice-campeonato mundial amador de longboard em 1988 e no Circuito Mundial de Longboard da ASP em 1989. O surfista e empresário contribuiu com iniciativas pioneiras no país. No início dos anos 90, Rico inaugurou a primeira escola de surfe do Brasil, que está em funcionamento até hoje, além de promover o Campeonato Brasileiro de Longboard desde 2002.

Serviço
Evento: Museu do Surf Rico
Local: Espaço Furnas Cultural
Dia/Hora: De terça a domingo, de 14h às 18h. Sábado, domingo e feriados, de 14h às 19h
Endereço: R. Real Grandeza, 219 – Botafogo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui