Enredo de ficção científica, política e terrorismo é alegoria do mundo real

Com trama ágil e cinematográfica, Marcus Sakey ambienta sua história numa época em que parte da população tem habilidades especiais – os ‘brilhantes’

Estamos nos dias atuais, mas o mundo é bem diferente daquele que conhecemos. Tudo porque, em 1980, uma parte da população começou a nascer com habilidades especiais. Não se trata de nada sobrenatural, mas sim de uma inteligência aguçada, uma facilidade em enxergar padrões onde ninguém mais os vê, uma capacidade extra de ler reações mínimas e saber como responder a elas. São os “brilhantes”.

O equilíbrio entre “brilhantes” e “normais” é quebrado quando um destes homens especiais quebra a bolsa de valores americana e ganha 300 bilhões de dólares de uma vez, simplesmente por entender exatamente como aquilo funciona. A partir daí, a relação entre os dois grupos é construída na base do medo. Um vê o outro como ameaça. Uma divisão especial é criada pelo governo dos EUA para monitorar os brilhantes. Até que um atentado terrorista que mata mais de 70 pessoas num restaurante transforma o que era ameaça numa verdadeira guerra.

O narrador da história, Nick Cooper, trabalha para o DAR, o Departamento de Análise Reativa, órgão do governo que caça brilhantes terroristas. Ele já matou algumas pessoas, mas acredita que suas ações têm como objetivo o equilíbrio e a paz. Ele mesmo é um brilhante, mas está convencido de que está fazendo a coisa certa trabalhando “contra” seus pares. Seu maior alvo é o terrorista conhecido como John Smith, responsável pela carnificina no restaurante.

“Um mundo espetacular. Política, preconceito e revolução se misturam e vão fazer pensar” – Gillian Flynn, autora.

Uma virada nos acontecimentos faz com que Cooper mude sua estratégia em relação a John Smith: para pegar o terrorista, ele acredita, o único jeito é se infiltrar, disfarçado, entre os brilhantes rebeldes. E uma vez que o agente mergulha nesse universo, vai começar a ver que nem tudo é como ele imaginava.

Descrito pelo escritor Michael Connelly como “um dos melhores narradores de todos os tempos” e pelo Huffington Post como “um escritor brilhante”, o autor Marcus Sakey cria um universo que guarda muitas tristes semelhanças com o mundo real. Preconceito, ganância, falta de empatia são só alguns dos temas discutidos nesta história. 

Mas, claro, os assuntos sérios são embalados por uma trama de conspiração de ritmo rápido e cinematográfico. Não à toa, o livro já teve seus direitos vendidos para o cinema: o longa será produzido pela Legendary Pictures, responsável pela série “Batman – The Dark Knight” e pelo filme “A origem”. O ator Jared Leto está cotado para interpretar o agente Nick Cooper.

“Brilhantes” foi eleito o livro do ano pela Publisher’s Weekly na categoria ficção científica. Trata-se de uma série em duas partes. O segundo livro, “A better world”, também será lançado pela Galera Record, ainda sem previsão.

Markus Sakey nasceu em Michigan e trabalhou como publicitário durante dez anos antes de se tornar escritor. É também roteirista e apresentador do programa de viagens “Hidden city”, no canal Travel channel.

BRILHANTES
Marcus Sakey

Páginas: 476
Preço: R$ 40
Tradução: André Gordirro
Editora: Galera / Grupo Editorial Record

DEIXE UM COMENTÁRIO