Eles estão de volta… “Os Sapos”!

Os Sapos (foto: Júlia Kurc)
Os Sapos (foto: Júlia Kurc)

Premiado espetáculo de Renata Mizrahi comemora 100 apresentações em curta temporada no Teatro Glaucio Gil, de 17 de fevereiro a 31 de março

Contemplado pelo Programa Petrobras de Cultura, a peça excursionou pelo Nordeste com grande sucesso de público

Sucesso de crítica e público, a peça “Os Sapos”, de Renata Mizrahi, volta ao Rio de Janeiro para comemorar sua centésima apresentação após turnê em Salvador e Aracaju pelo Programa Petrobras de Cultura. A comemoração será durante a temporada no Teatro Glaucio Gil, em Copacabana, do próximo dia 17 a 31 de março, sempre às quartas e quintas-feiras, às 20h. “Os sapos” estreou em 2013, no Galpão das Artes do Espaço Tom Jobim, , no Jardim Botânico.

Os Sapos foi vencedor do Prêmio FITA nas categorias: Atriz [Verônica Reis] e Atriz Coadjuvante [Paula Sandroni] e indicado aos prêmios Revelação Direção [Renata Mizrahi e Priscila Vidca] e Texto [Renata Mizrahi], também na FITA [Festa Internacional de Teatro de Angra – 2013] e Melhor Texto Nacional Inédito no Prêmio Cesgranrio de Teatro 2013.

A ideia do espetáculo surgiu depois de uma viagem da autora que, isolada numa casa de campo, conheceu dois casais cuja exagerada dependência psicológica e suas fragilidades – como ciúme, ansiedade e excesso de preocupação – se evidenciaram em pouco tempo. A partir desta experiência, criou uma história que se passa em um dia e uma noite numa casa de campo na serra. Uma mulher solteira, Paula, 40 anos, recém separada, chega numa casa de campo achando que vai rever os amigos de infância e se depara com dois casais em crise. Neste lugar isolado, só passa um ônibus por dia, e portanto, ela só poderá ir embora no dia seguinte. Ela é obrigada a presenciar e vivenciar as neuroses e histerias dos relacionamentos de Marcelo e Luciana e Claudio e Fabiana . “Os Sapos” é um espetáculo tragicômico sobre as tênues ligações afetivas que unem os casais.

O texto começa como uma comédia de costumes: leve com diálogos corriqueiros. Aos poucos, Paula e o espectador descobrem a complexidade da relação dos dois casais. As situações vividas pelos personagens se tornam sufocantes e opressoras. Os diálogos ficam ácidos e explosivos.

A direção conduz o espectador para dentro dessa história, fazendo com que ele se sinta parte das relações intimistas vividas pelos personagens. O título da peça é uma referência aos sapos que se escondem no banheiro – são retirados de lá, mas sempre voltam. E é também aquilo que se engole seco, a não expressão de um sentimento, o silêncio.

Os cinco atores, em cena o tempo todo, embarcam num estratégico jogo de relações, que vão se encadeando cena a cena, revelando, aos poucos, a verdadeira face dos personagens.

OS SAPOS fala com humor de como as relações podem atingir níveis primitivos, quando casais são colocados em situação de confinamento.

 SERVIÇO: OS SAPOS

Local: Teatro Glaucio Gill –  Praça Cardeal Arcoverde, s/nº – Copacabana

Temporada: De 17 de fevereiro a 31 de março

Horários: quartas e quintas, às 20h

Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia)

Funcionamento da bilheteria: de segunda a domingo, das 16h às 20h

Informações: (21) 2332 7904

Duração do espetáculo: 70 minutos

Classificação: 14 anos

Capacidade: 102 lugares

FICHA TÉCNICA
Texto – Renata Mizrahi


Direção – Renata Mizrahi e Priscila Vidca


Elenco – Fabricio Polido, Gisela de Castro,
 Paula Sandroni,
 Ricardo Gonçalves e Verônica Reis.


Cenário – Nello Marrese e Lorena Lima


Iluminação – Renato Machado

Figurino – Bruno Perlatto


Trilha Sonora – Marcelo Alonso Neves


Fotos – Adil Guedes e Clara Linhart


Operador de Som – Priscila Vidca


Programação Visual – Leandro Carvalho


Direção de Produção – Sandro Rabello


Realização – Diga Sim! E Alan Isidio

 

DEIXE UM COMENTÁRIO