Duo Cactos lança lyric video de “Litoral” com homenagem ao Duofel

Era uma vez uma dupla de amigos curitibanos, Guilherme Mattar e José Maltaca, que faziam ensino médio juntos. Guilherme vivia com o violão embaixo do braço, cantando e integrando rodinhas regadas a rock clássico e Mamonas Assassinas. José adorava bateria (tinha baqueta e tudo), mas ainda não tocava.

Veio a faculdade. Mantiveram contato, José aprendeu batera e convidou Guilherme pra algumas jams na garagem de casa. Ornou.

Passado o réveillon de 2014, Guilherme começou a compor. Lembrou de José e enviou suas ideias, via e-mail. Recebeu como resposta uma faixa de bateria, criada pra uma das invenções. Pronto: estava firmado o compromisso.

Faltava o baixista. E agora? Decidiram ensaiar assim mesmo, em dois, até que surgisse alguém.

A coisa fluiu. Novas músicas brotaram e o som, inspirado no hard rock e na pegada de garagem, melhorou. José bolou o nome, Cactos, e o veredicto foi dado em junho: “bora manter como duo?”. “Bora!”. 

TRAJETÓRIA

  • => Lançado o debute Cactos EP, com três músicas:

  • Uma Outra Estação

  • Velho Zé (sabe aquela faixa de batera que o José criou? Era a dessa criaturinha) 

  • Ball and Biscuit/Thickfreakness[1]

  • => Participação nos programas Acontece Curitiba e Upload, da TV Transamérica, e lançamento do Live EP Tanto Faz e Tanto Fez.

O EP foi captado durante show na capital paranaense e é formado por Ida e Vinda, poema de Paulo Leminski, e outras cinco canções autorais:

  • Toco y Me Voy

  • Tanto Faz e Tanto Fez

  • Nada a Temer

  • Cuidado

  • Ida e Vinda

  • Litoral

Presença na sétima edição do Festival da Canção de Pinhais, na UTFest (promovida pela UTFPR de Ponta Grossa) e no Rock da Terra, evento realizado em Castro. 

  • => Divulgado o clipe de Velho Zé em janeiro, editado pela dupla.

Participação no festival curitibano Ruído nas Ruínas (fevereiro) e lançamento dos vídeos de Uma Outra Estação (março) e Litoral (junho).

O próximo clipe, em processo de pré-produção, deve vir ao ar em outubro.

REPERTÓRIO
As composições do Cactos têm temas variados, indo desde histórias recheadas de humor a críticas sociais e narrativas psicológicas. 

Melodicamente, as influências estão no pop, riffs do hard/heavy e na crueza dos duos contemporâneos.

Além do material gravado em Cactos EP e Tanto Faz e Tanto Fez, o público pode conferir nos shows faixas novas e covers de White Stripes, Black Keys, Hendrix, Beatles e Queen.

DURAÇÃO

Fênix Music Bar – fevereiro de 2016 – Entre uma e duas horas.  Classificação livre.

Programa Upload. TV Transamérica, outubro de 2015

FICHA TÉCNICA

Guilherme Mattar – guitarra/vocal => Curitibano, 25 anos. Formado em Comunicação Social – habilitação em Jornalismo pela UFPR (2013) e técnico em Gestão de Pequenas e Médias Empresas pela UTFPR (2009).

 Aprendeu a tocar guitarra aos 15 e, desde então, grava qualquer riff que lhe venha à cabeça, em qualquer lugar que puder. Escreve a maioria das letras do Cactos.

Playing for Change

Day, setembro de

2015

José Paulo Miketen Maltaca – bateria => Curitibano, 24 anos. Formado em Economia pela UFPR (2014) e técnico em Gestão de Pequenas e Médias Empresas pela UTFPR (2009). 

Bem humorado, consegue bolar mais trocadilhos e piadas do que o resto dos seres humanos somados. Responsável direto pela estrutura final das canções e setlists do duo.

Empório São Francisco,  setembro de 2015

REDES SOCIAIS

Arca Criativa, junho de 2015

CONTATOS

  • Telefones: (41) 9566-1715 / (41) 3203-8735

  • E-mail: bandacactos@gmail.com

[1] Cover de The White Stripes e The Black Keys, respectivamente.

Era uma vez uma dupla de amigos curitibanos, Guilherme Mattar e José Maltaca, que faziam ensino médio juntos. Guilherme vivia com o violão embaixo do braço, cantando e integrando rodinhas regadas a rock clássico e Mamonas Assassinas. José adorava bateria (tinha baqueta e tudo), mas ainda não tocava.

Veio a faculdade. Mantiveram contato, José aprendeu batera e convidou Guilherme pra algumas jams na garagem de casa. Ornou.

Passado o réveillon de 2014, Guilherme começou a compor. Lembrou de José e enviou suas ideias, via e-mail. Recebeu como resposta uma faixa de bateria, criada pra uma das invenções. Pronto: estava firmado o compromisso.

Faltava o baixista. E agora? Decidiram ensaiar assim mesmo, em dois, até que surgisse alguém.

A coisa fluiu. Novas músicas brotaram e o som, inspirado no hard rock e na pegada de garagem, melhorou. José bolou o nome, Cactos, e o veredicto foi dado em junho: “bora manter como duo?”. “Bora!”. 

TRAJETÓRIA

  • => Lançado o debute Cactos EP, com três músicas:

https://www.youtube.com/watch?v=KhK9cjhHoss

  • Uma Outra Estação

  • Velho Zé (sabe aquela faixa de batera que o

José criou? Era a dessa criaturinha) 

  • Ball and Biscuit/Thickfreakness[1]

Cactos EP – Capa

  • => Participação nos programas Acontece Curitiba e Upload, da TV Transamérica, e lançamento do Live EP Tanto Faz e Tanto Fez.

O EP foi captado durante show na capital paranaense e é formado por Ida e Vinda, poema de Paulo Leminski, e outras cinco canções autorais:

https://youtu.be/aNvB6yJkVbU?list=PLAb0tGhT71sgvn1gcDVyo1U6cDm8snk_  

  • Toco y Me Voy

  • Tanto Faz e Tanto Fez

  • Nada a Temer

  • Cuidado

  • Ida e Vinda

  • Litoral

Presença na sétima edição do Festival da Canção de Pinhais, na UTFest (promovida pela UTFPR de Ponta Grossa) e no Rock da Terra, evento realizado em Castro. 

  • => Divulgado o clipe de Velho Zé em janeiro, editado pela dupla.

Gravação do clipe de Uma Outra Estação – janeiro de 2016

Participação no festival curitibano Ruído nas Ruínas (fevereiro) e lançamento dos vídeos de Uma Outra Estação (março) e Litoral (junho).

O próximo clipe, em processo de pré-produção, deve vir ao ar em outubro.

REPERTÓRIO

As composições do Cactos têm temas variados, indo desde histórias recheadas de humor a críticas sociais e narrativas psicológicas. 

Melodicamente, as influências estão no pop, riffs do hard/heavy e na crueza dos duos contemporâneos.

Além do material gravado em Cactos EP e Tanto Faz e Tanto Fez, o público pode conferir nos shows faixas novas e covers de White Stripes, Black Keys, Hendrix, Beatles e Queen.

DURAÇÃO
Entre uma e duas horas.  Classificação livre.

Programa Upload. TV Transamérica, outubro de 2015

FICHA TÉCNICA

Guilherme Mattar – guitarra/vocal => Curitibano, 25 anos. Formado em Comunicação Social – habilitação em Jornalismo pela UFPR (2013) e técnico em Gestão de Pequenas e Médias Empresas pela UTFPR (2009).

 Aprendeu a tocar guitarra aos 15 e, desde então, grava qualquer riff que lhe venha à cabeça, em qualquer lugar que puder. Escreve a maioria das letras do Cactos.

Playing for Change

Day, setembro de

2015

José Paulo Miketen Maltaca – bateria => Curitibano, 24 anos. Formado em Economia pela UFPR (2014) e técnico em Gestão de Pequenas e Médias Empresas pela UTFPR (2009). 

Bem humorado, consegue bolar mais trocadilhos e piadas do que o resto dos seres humanos somados. Responsável direto pela estrutura final das canções e setlists do duo.

Empório São Francisco,

 

setembro de 2015

 

REDES SOCIAIS

 

 

Arca Criativa, junho de 2015

 

CONTATOS

  • Telefones: (41) 9566-1715 / (41) 3203-8735

  • E-mail: bandacactos@gmail.com

[1] Cover de The White Stripes e The Black Keys, respectivamente.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui