A descoberta da mentia

O primeiro livro da série Contos de Moçambique, O Rei Mocho, narra uma fábula de origem sena escrita pelo autor moçambicano Ungulani Ba Ka Khosa 

CapaInaugurando a coleção Contos de Moçambique, o livro O Rei Mocho, reconta uma tradicional fábula moçambicana originária dos sena – uma etnia do centro do país. Escrito pelo premiado autor Ungulani Ba Ka Khosa  e publicado pela editora Kapulana, o título é totalmente ilustrado por Americo Amos Mavale com a técnica do batique*.

Ungulani representa, na obra, como a mentira e a desordem surgiram no mundo através de um diálogo entre pai e filho. Inserindo palavras da língua local de Moçambique, o autor transcreve a lenda de como o mocho se tornou rei, e acabou sendo exilado pelos outros pássaros quando o homem contou a verdade sobre seus “chifres”.

“– […] A realidade e a imaginação cruzavam-se, casando e descasando-se. A fronteira entre a imaginação e a realidade era tão frágil, que poucos conheciam a margem que as separava. E isto por que a mentira não havia ainda sido inventada.
– E como apareceu, pai?
– Na confusão que o homem criou entre o mocho e outros pássaros.”

Dentro de O Rei Mocho o leitor também encontrará uma consideração do autor quando ouviu o conto pela primeira vez, um breve glossário da língua de Moçambique e o conto original, que a etnia sena transmite oralmente entre seus entes.

Para saber mais sobre o título e ler alguns trechos, acesse: http://www.kapulana.com.br.

Sobre o autor: Ungulani Ba Ka Khosa é o nome tsonga (grupo étnico do sul de Moçambique) de Francisco Esaú Cossa, que nasceu em 1º de agosto de 1957, em Inhaminga, distrito de Cheringoma, província de Sofala, Moçambique. Professor de carreira, exerceu funções importantes em Moçambique como as de Diretor doInstituto Nacional do Livro e Disco, e Diretor Adjunto do Instituto Nacional de Cinema e Audiovisual de Moçambique. Durante a década de 90, foi cronista assíduo de vários jornais. Atualmente é Presidente da Associação dos Escritores Moçambicanos.

Sobre o ilustrador: Americo Mavale, artista também moçambicano, ilustra majestosamente essa história com pinturas em técnica de batique, com as coloridas personagens que habitavam o reino das aves.

*Sobre o batique: Batique (ou batik) é uma técnica artística de pintura em tecido, originária da Ilha de Java, uma das maiores ilhas da Indonésia, país entre a Ásia e a Oceania. É uma arte com aproximadamente dois mil anos de existência. Cada trabalho do batique é único e feito à mão. No tempo das colonizações, a arte chegou à África, e Moçambique tem o batique como uma das suas mais famosas forma de arte, principalmente o batique craquelê – que possui reconhecimento internacional no mundo das artes.

Vozes da África: Trata-se de uma série de livros para todas as idades, de contos, poesia e romances de escritores de países africanos de língua portuguesa. A literatura africana, com poucos títulos no mercado brasileiro, é atualmente objeto de estudo nas instituições brasileiras de ensino fundamental, médio e universitário. Os livros são de autores consagrados e belamente ilustrados por artistas também africanos.

Editora Kapulana: A Editora Kapulana tem como lema produzir “Livros bons e belos”. Assim, em seus diversos segmentos, como Bilíngues, Vozes da África,Ciências e Artes e Intersecções Literárias, oferece aos leitores obras de alta qualidade presente tanto no conteúdo como na sua forma de apresentação.

Ficha Técnica
Título: O Rei Mocho
Tamanho: 21×21
ISBN: 978-85-68846-10-0
Páginas: 28
Preço: R$ 29,90

DEIXE UM COMENTÁRIO