De Minas para o Rio

Um dos mais importantes programas continuados de artes cênicas de Minas Gerais, o “Teatro em Movimento”, comemora 15 anos de trajetória e apresenta no Rio, a Mostra Minas. São três espetáculos. IGNORÂNIA, da Cia QUATROLOSCINCO abre o evento. “Paramos de nos sentar no chão e nos achamos mais civilizados por usar cadeiras, mas ainda mantemos os mesmos instintos primitivos de violência e vingança”, detalha Marcos Coletta, que divide com Assis Beneveduto, a direção e dramaturgia de IGNORÂNCIA, em cartaz no Oi Futuro do Flamengo, nos dias 2, 3 e 4 de setembro. A partir de um jogo cênico construído entre atores e cadeiras espalhadas pelo palco, o espetáculo propõe olhares contrastantes frente à ignorância humana e a nossa obsessão pelo progresso civilizatório. Este projeto foi contemplado pela lei ICMS de Minas Gerais através do patrocínio da OI.

Em “Ignorância”, o grupo Quatroloscinco explora o sentido dessa palavra e o fato dela expressar algo corriqueiro na sociedade contemporânea. “Tem muito a ver com essa onda de intolerância que a gente tem vivido, de cegueira absoluta. No texto, propõe-se um diálogo com o mundo de hoje, permeado por interlocuções sociais, políticas e artísticas que, por certo, denunciam o quanto nossa humanidade está escapando de nossas mãos enquanto assistimos impassíveis”, afirma o diretor. Uma obra que convida o público a refletir sobre temas como intransigência e a sociologia do julgamento.  São 6 cenas isoladas com uma única semelhança: o tema. Um discurso que foge de verdades proclamadas pelo senso comum, abordando o estado da ignorância em diversas cores e espectros.

“O teatro, sendo um agente de transformação social, é capaz de atuar como um difusor de ideias e de cultura”, relata Tatyana Rubim, idealizadora da Mostra Minas e do projeto Teatro em Movimento. Inicialmente criado com o objetivo de descentralizar o acesso às grandes montagens do eixo Rio-São Paulo, promovendo a circulação dos mesmos para Belo Horizonte e interior de Minas Gerais. Com o tempo, passou a atuar em outros Estados e outras cidades, contabilizando 176 montagens, que somam mais de 595 apresentações, envolvendo cerca de 600 artistas, em 14 cidades, 28 teatros e público superior a 380 mil pessoas. Uma iniciativa que possibilita a formação de um espectador mais crítico e de um público mais preparado e habituado a lotar as salas de teatro.

A criação do espetáculo surgiu através do Quatroloscinco, a partir do desejo de um mergulho intenso e sucinto em um tema concreto e cotidiano. As primeiras ideias se originaram sobre os conceitos de fronteira e limite, quando começou a se agravar a crise de refugiados na Europa. Foi então que se chegou à palavra-chave ignorância, que passou a guiar o trabalho.  Com 9 anos de trajetória e 5 espetáculos, o grupo teatral Quatroloscinco, formado por Rejane Faria, Ítalo Laureano, Maria Mourão, Coletta e Beneveduto, sempre trabalha com textos autorais e independentes.

A equipe do espetáculo é formada por: iluminador – Rodrigo Marçal; bailarina – Rosa Antuña; pesquisadora vocal – Ana Hadad; figurinista – Lira Ribas; músico – Barulhista; cenógrafos Ed Andrade e Cristiano Cezarino.

Serviço Ignorância
Teatro Oi Futuro – Flamengo
Rua Dois de Dezembro, 63
Telefone: (21) 31313060
Dias: 2, 3 e 4 de setembro
Horários: Sex, Sábado e Domingo às 20h
Ingressos: R$ 30,00
Classificação: 14 anos

Ficha Técnica

Texto e Direção: Marcos Coletta e Assis Benevenuto 
Atuação: Rejane Faria e Italo Laureano
Orientação Vocal: Ana Hadad
Orientação Corporal: Rosa Antuña
Cenografia: Eduardo Andrade e Cristiano Cezarino
Figurino: Lira Ribas
Iluminação: Rodrigo Marçal
Trilha Sonora Original: Barulhista
Produção: Maria Mourão
Realização: Quatroloscinco – Teatro do Comum

DEIXE UM COMENTÁRIO