“Corpos livres, cidades selvagens” é tema do Cineclube Curta Cinema de outubro

EM SUA QUARTA EDIÇÃO, CINECLUBE RETOMA TEMÁTICA SOBRE SEXUALIDADE E SUAS REPRESENTAÇÕES

DivulgaçãoA edição de outubro do cineclube Curta Cinema, nesta quinta-feira (20), aborda a temática  LGBT, ressaltando a relação dos corpos e da sexualidade com a cidade. A programação começa às 19h30m, seguida de debate com o curador e mediador Giovani Barros, e os diretores Felipe Fernandes e Daniel Nolasco, do curta “Tatame”; Marcio Miranda Perez, diretor de “Lightrapping” e Will Domingos, diretor de “Glória Iluminada”. A entrada é gratuita, sujeita à lotação. O projeto é uma iniciativa do Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro em parceria com o Oi Futuro, e patrocínio da Oi, Petrobras, Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, e pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretária Municipal de Cultura e RioFilme.

Curador dessa edição, o cineasta Giovani de Barros, conta que ao ser apresentado ao tema, optou por destacar fluxos que considera evidentes na produção recente do cinema LGBT brasileiro: a relação dos corpos e da sexualidade com a cidade. Na sua opinião, “todo corpo é um corpo político, e a partir disso, a forma como ocupamos os espaços e estabelecemos territórios para expressão da nossa sexualidade nos espaços urbanos também é uma questão que passa pela construção da nossa identidade política e sexual. Nosso corpo é nossa principal forma de expressão, e é também nossa ferramenta de mapeamento da cidade em busca de territórios de compartilhamento de sensações e da possibilidade de encontros”.

DivulgaçãoOs curtas apresentados, “Lightrapping”, “Glória Iluminada” e “Tatame” são filmes em que a cidade é um elemento importante, o lugar onde seus personagens desenvolvem questões e onde lidam com seu corpo e com sua sexualidade. Nele estarão personagens como o rapaz inquieto que busca de uma nova forma de se expressar através de seu corpo; uma vampira que encontra nos outros corpos a força vital para continuar caminhando pela cidade e lutadores cujo embates corporais são também a forma que encontram para se expressar sexual e artisticamente.

Para Giovani, “no momento político tenebroso em que uma onda conservadora oprime os corpos livres e os empurra cada vez mais para os velhos campos de constrição social, é importante sempre resistir, ocupar os espaços urbanos e garantir que a expressão dos desejos, sentimentos e lutas existam em todos os campos, inclusive no cinema”.

DivulgaçãoEsta edição antecede o Festival Curta Cinema, que será apresentado entre os dias 3 e 9 de novembro, e qualifica os ganhadores do Grande Prêmio da Competição Nacional e Internacional a pleitearem uma indicação ao Oscar, premiação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos da América. As exibições do Cineclube acontecem uma vez por mês, desde julho.

Sobre o Cineclube Curta Cinema

O Cineclube Curta Cinema foi criado pelo Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro em parceria com o Oi Futuro Ipanema em comemoração aos 25 anos do festival. Iniciado em junho de 2015, o Cineclube Curta Cinema apresenta mensalmente clássicos do curta-metragem nacional e de curtas inéditos. A exibição dos filmes é sempre acompanhada de debate aberto ao público com os realizadores e artistas convidados. O projeto Cineclube Curta Cinema é uma iniciativa do Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro em parceria com o Oi Futuro, e o patrocínio da Oi, Petrobras, Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, e pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretária Municipal de Cultura e RioFilme.

Curta Cinema
O Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro – Curta Cinema – desde 1991 tem sido uma das principais vitrines para o curta-metragem no país. A cada ano são exibidos cerca de 200 filmes dos mais diversos gêneros e nacionalidades. A programação consiste em mostras competitivas (nacional e internacional), panoramas regionais, programas temáticos, de gênero, e especiais. Além da exibição de filmes, o festival desenvolve atividades paralelas com caráter informativo e educativo, como workshop e oficina.

Serviço:

Cineclube Curta Cinema – sexualidade e suas representações.
Data: Quinta-feira, dia 20 de outubro.
Horário: 19h30m
Local: Oi Futuro Ipanema – Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema, Rio de Janeiro
Exibição seguida de debate. Senhas serão distribuídas com 30 minutos de antecedência
Capacidade: 92 lugares
Classificação indicativa: 16 anos

Programação:

Tatame, de Felipe Fernandes e Daniel Nolasco, 21min, RJ, 2015.

A luta livre é também conhecida como professional wrestling, lucha libre e puroresu. A FILL – Federação Internacional de Luta Livre – é uma das academias símbolo da cena independente atual no Brasil. Realiza parte de seus shows na quadra de um antigo clube abandonado, em Vicente de Carvalho, zona norte do Rio de Janeiro. Tatame é um retrato afetivo dos principais membros da FILL. Da rotina diária à transformação que cada um passa para se tornar os protagonistas deste espetáculo.

Lightrapping, de Marcio Miranda Perez, 21min, SP, 2015.

Gustavo é um fotógrafo que registra corpos de homens nus em espaços públicos de São Paulo. Uma noite, o jovem Pedro o acompanha, curioso e indeciso sobre participar ou não do projeto. A cidade será testemunha da jornada.

Glória iluminada, de Will Domingos, 21 min, RJ, 2015.

Entre a urgência da fuga e a errância, Glória faz-se existir na estranha pulsão da multidão dos vivos e da noite.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui