Conservatória recebe pela primeira vez tributo ao seresteiro José Borges

''Em cada casa uma canção'' é uma homenagem a um dos grandes ícones do gênero em todo o país

Seresteiro José Borges
Ronaldinho do Cavaquinho - foto: Maze Mixo
Ronaldinho do Cavaquinho – foto: Maze Mixo

Artistas da região se reúnem para homenagear José Borges, um dos maiores entusiastas das serenatas, criador do Museu da Seresta – ao lado de seu irmão Joubert – e um dos grandes responsáveis pela difusão do gênero em todo o país. O tributo ”Em cada casa uma canção” acontece em Conservatória, no próximo dia 07 de novembro (sáb), às 20h30 na Igreja Matriz de Santo Antônio, no Centro. Além do seresteiro, o show também relembra outros mestres da música brasileira como Waldir Azevedo com seus clássicos ”Brasileirinho” e ”Pedacinho do Céu”, Pixinguinha com ”Carinhoso” e Demônios da Garoa com ”Trem das Onze”. A homenagem faz menção ao projeto do saudoso seresteiro que deu início à sinalização das casas do centro as eternizando através das canções e compositores registrados em plaquinhas bucólicas durante a década de 70. Afixadas nas fachadas das casas, elas trazem os nomes das músicas preferidas por seus moradores, marcando o percurso dos seresteiros que param e as cantam conforme as indicações de cada uma.

Foi na década de 50, com o falecimento do seresteiro Emérito Silva (“Merito”), que José Borges e Joubert assumiram, gradualmente, a liderança da serenata na cidade. A residência de José acabou se tornando ponto de referência dos amantes da boa música, que começaram a se reunir antes das serenatas, e isso formou um hábito. As lembranças e fotos antigas começaram a ser colocadas nas paredes, tornando-se o ponto de encontro dos seresteiros. O povo começou a chamar esse local de “Museu da Seresta” que surgiu, então, naturalmente. A casa antiga com apenas uma porta e duas janelas bem altas, com seus beirais enormes, telhas coloniais, é onde se pode encontrar um grande acervo sobre as serenatas de Conservatória em discos, fotografias, livros, troféus e pinturas de vários artistas locais. Borges nos deixou há 13 anos e, se estivesse vivo, completaria 93 anos neste mês de novembro.

Coral Meninas
Coral Meninas

Quem sobe ao palco ao lado de Ronaldinho do Cavaquinho, idealizador e realizador do tributo, são os músicos Pedro Quinane, João Fróes, seresteiros convidados, o poeta Francisco Fernandes, além do Coral das Meninas Cantoras de Conservatória e a maestrina Maria Olímpia Neiva para levar o melhor do cancioneiro popular ao público. A apresentação mescla melodia com historietas divertidas dos músicos e homenageados. A classificação indicativa é livre e a entrada é gratuita. O projeto tem o patrocínio da LIGHT, Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura, Lei Estadual de Incentivo à Cultura e o apoio do Instituto Waldir Azevedo.

Serviço

Tributo ao seresteiro José Borges – Em cada casa uma canção
Local: Igreja Matriz Santo Antônio
Endereço: em frente à praça Getúlio Vargas,
centro de Conservatória – Entrada Franca

Data: 07/ 11 (sábado)
Horário: 20h30

DEIXE UM COMENTÁRIO