Conmebol abrirá processo contra Jara por lance com Cavani

'Mão boba' de chileno pode render suspensão do defensor

Foto: Reprodução TV
Foto: Reprodução TV

A “mão boba” do chileno Gonzalo Jara no uruguaio Edison Cavani causará a abertura de um processo disciplinar contra o defensor na Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), informaram fontes ligadas à entidade nesta sexta-feira (26).

A dedada do defensor provocou a reação e a consequente expulsão do atacante durante a partida entre Chile e Uruguai pelas quartas de final da Copa América, na última quarta-feira (24). Jara pode ser considerado ainda reincidente neste tipo de situação já que durante a partida contra o Uruguai pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2014, ele colocou a mão no pênis do também atacante Luis Suárez. No jogo, o uruguaio deu um soco no defensor, mas nenhum dos dois chegou a ser expulso porque o árbitro não viu o lance.

Além do risco de sofrer uma punição na seleção, Jara também pode ser vendido por seu atual clube, o alemão Mainz, pela cena.

Segundo o diretor-esportivo, Christian Heidel, mesmo com o contrato até 2016, ele pode ser negociado. “Ele sabe que se uma oferta chegar, ele pode ir. Nós não toleramos isso. Ainda mais do que a atitude, foi o que veio depois que me fez ficar irritado. Eu odeio teatro mais do que qualquer coisa”, declarou Heidel ao jornal alemão “Bild”.

Por causa da partida da Copa América, o árbitro brasileiro Sandra Meira Ricci, que expulsou Cavani, foi afastado pela entidade do resto da competição.

(ANSA)

DEIXE UM COMENTÁRIO