Confira cinco dicas para viajar com as crianças para Disney

Foto: Arquivo pessoal / Rebeca Colpaert

Que tal planejar a primeira viagem dos sonhos com as crianças para a Disney? Antes, confira alguns cuidados que devem ser tomados para que a viagem seja perfeita. As dicas são da Rebeca Colpaert, consultora de viagens da Rumo a Orlando, para quem vai viajar com as crianças para a Disney.

Alinhe sua expectativa quanto aos encontros com personagens

Muitas crianças, ao ver um personagem nos parques, como o Mickey Mouse, por exemplo, tendem a ficar com medo devido ao tamanho deles. É comum que chorem e peçam para ir embora. Não se frustre. Isso é normal e acontece com mais pessoas do que você imagina. Alinhe sua expectativa, familiarize seu filho com determinados personagens ainda no Brasil e tudo correrá bem. Se ele não gostar do primeiro encontro, não force. Passe adiante pelos próximos e deixe a criança vê-los apenas de longe.

Use e abuse dos Baby Care Centers. Seja uma mamãe prática

Todos os parques oferecem salas especiais para quem viaja com bebês. Nestas salas é possível encontrar microondas para esquentar papinhas, mesa para troca de fraldas, área de descanso e mais uma série de recursos para facilitar a vida das mamães. Porém, estas salas não são encontradas em áreas externas, como shoppings e outlets, por exemplo. Portanto, tenha sempre um Plano B para trocar a fralda e alimentar o seu filho. Bolsas térmicas que mantêm a papinha ou a comida quente por um longo período ajudam bastante, uma vez que os restaurantes não permitem o acesso a seus microondas.

Tenha um carrinho de bebê prático e bem leve

dia-das-criancas-da-disney-5
Foto: Arquivo pessoal / Rebeca Colpaert

O que você mais fará na Disney é abrir e fechar carrinho. Portanto, ter um carrinho bem leve e prático é o ideal. Caso você tenha um bom carrinho no Brasil e queira levar para a viagem, o mesmo não conta como uma unidade na cota de bagagem. Siga com a criança dentro dele até à entrada do avião e o mesmo será colocado em um compartimento de carga, sem que seja despachado contando como cota de bagagem. Caso queira adquirir um carrinho em Orlando, os mercados oferecem modelos com preços super acessíveis. Há carrinhos por menos de U$30. Os preços de aluguel nos parques são abusivos e não vale a pena fazer esta locação diariamente, uma vez que os preços nos mercados são infinitamente menores.

Alinhe a sua expectativa quanto à exigência de altura de algumas atrações dos parques

Use e abuse das filas especiais Child Swap e Rider Switch. Se seu filho tem menos do que 1.02cm, ele não poderá entrar em diversas atrações dos parques, especialmente as mais radicais, como montanhas-russas e simuladores. Estude bastante com antecedência a exigência de altura que as atrações de cada parque têm para traçar a sua rota e não perder tempo indo até a entrada de uma determinada atração em que seu filho não tenha altura para entrar. Todos os parques oferecem as filas de Child Swap e Rider Switch, que consistem no revezamento de adultos. Quando um adulto está na atração brincando, o outro está em uma sala especial aguardando com a criança. Depois, eles se revezam sem ter que pegar a fila novamente. Este é um ótimo recurso para os adultos não ficarem limitados a ir somente onde a criança terá altura para brincar.

Tenha a sua própria estratégia para aliviar o medo das crianças em algumas atrações

Algumas atrações dos parques podem ser assustadoras para crianças, como as que são no escuro ou que são muito barulhentas. Há ainda as que possuem piratas e fantasmas como tema principal. Estude bastante com antecedência como cada uma é para avaliar se a criança terá medo ou não. Outra dica interessante é colocar, ainda no Brasil, filmes com o tema da atração para que os pequenos já vão se familiarizando com o tema, como é o caso do filme Piratas do Caribe, por exemplo.

Durante atrações escuras, procure sempre sentar nas poltronas laterais para que o acesso às saídas de emergência seja facilitado. Assim, se a criança chorar, é possível sair rapidamente sem atrapalhar ninguém. Uma estratégia infalível de guias de turismo é fazer a “brincadeira do chapéu”: entregue um boné ou um chapéu para a criança e avise que, sempre que ela sentir medo, ela pode esconder o rosto dentro dele. Assim, ela se distrai, tira o foco do medo e os adultos podem curtir a atração menos preocupados.