Cia Portátil - Números
Cia Portátil - Números

Sucesso de público e crítica, “2 Números”  foi criado a partir de uma pesquisa sobre a linguagem da animação, realizada pela Cia Teatro Portátil em 2005, com o apoio do Programa de Bolsas Vitae de Artes. O espetáculo, destinado a plateias de todas as idades, é composto por duas peças curtas — “Cama de gato” e “De dentro” — que se constroem sem palavras, como delicadas coreografias, a partir da música original de Felipe Trotta e da movimentação dos atores animando objetos, máscaras e um pequeno boneco articulado.

Como o nome já diz, o espetáculo é dividido em dois momentos: no primeiro, os atores transformam-se em divertidos personagens de máscaras que manipulam um fio de algodão. Como numa imensa “cama-de-gato”, seus movimentos desenham figuras e formas pelo espaço. As imagens criadas surpreendem e encantam, sugerindo um mundo em busca da sua própria forma. A trilha sonora, originalmente composta para a peça, acompanha os movimentos do fio e a atmosfera criada pelas máscaras.

No segundo número, um boneco sai de dentro de caixas de papelão para conhecer seus manipuladores e desvendar o mundo a seu redor. Trata-se de uma metáfora dos mistérios que envolvem a presença do homem no mundo. Assim como a trilha de “Cama de gato”, a música de “De dentro” também foi composta especialmente para comentar a ação da peça, numa clara alusão às trilhas de desenhos animados.

“A experiência com a linguagem da animação é o grande barato do espetáculo. Através das máscaras, do fio e do boneco, objetos que ganham vida em cena, convidamos o público a resgatar o lúdico, o lugar da brincadeira. É incrível como os adultos ficam encantados com o boneco. Ele não fala e nem os atores falam com ele. É só música e movimento. Acho que estamos carentes desse tipo de comunicação, mais silenciosa e intimista”, comenta o diretor do espetáculo.

A temporada do espetáculo “2 Números” integra a programação Alexandre Boccanera do “Projeto Palco Portátil – 3ª edição”, patrocinado pelo Ministério da Cultura, Governo Federal, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Valid, Promon, Crase Sigma, KS Esporte Cultura e Lazer, Ancar Ivanhoe Shopping Centers, Servenco e Projectlab.

 

 

PROGRAMAS VIVA A CULTURA! E FOMENTO CIDADE OLÍMPICA

A Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro acredita no poder de integração da atividade artística. Por isso, investe na qualificação de sua extensa rede de equipamentos culturais, que conta com mais de trinta teatros, centros culturais, museus, bibliotecas, lonas e arenas espalhados por todas as regiões e no fomento à arte e à cultura. Com os dois programas lançados este ano, o Viva a Cultura! e o Fomento Cidade Olímpica, a Prefeitura do Rio vai investir R$ 112 milhões na cena cultural carioca, apoiando mais de mil iniciativas. A diversificação do investimento está inserida na política que busca democratizar o acesso, tanto à fruição, quanto ao financiamento público. A Secretaria Municipal de Cultura mantém o diálogo aberto com a classe artística para ouvir e fortalecer a relação institucional com artistas, produtores, realizadores e entidades de classe. A cultura pode contribuir efetivamente na construção de uma Cidade menos desigual e mais integrada.

CIA TEATRO PORTÁTIL

Há dez anos sediada na cidade do Rio de Janeiro, a Cia Teatro Portátildesenvolve uma pesquisa continuada sobre a linguagem da animação. Um trabalho de reflexão e experimentação que busca misturar diferentes linguagens. Com o material dessa pesquisa, criou os espetáculos “2 Números”, “As Coisas”, “Valsa N°6”, “Bonitinha, mas Ordinária” e se apresentou em mais de 50 cidades no Brasil e no exterior, alcançando uma plateia de aproximadamente 100.000 espectadores.

 “2 Números”, montado com apoio do Programa de Bolsas Vitae de Artes, estreou em 2005 e desde então foi apresentado no 13° Festival Internacional do Mindelo – Cabo Verde em 2005, na 7° Mostra Cariri das Artes promovida pelo Sesc Ceará em 2005, no 3° Intercâmbio de Linguagens realizado no Rio de Janeiro em 2005, no 13° Porto Alegre em Cena em 2006, no 6° Festival de Formas Animadas de Jaraguá do Sul/SC em 2006, no 1° Seminário de Estudos sobre Teatro de Animação realizado em Rio do Sul/SC em 2006, na 6°Mostra Sesc/CBTIJ de Teatro promovida pelo Sesc Rio de Janeiro em 2006, no 16° Festival Espetacular de Bonecos de Curitiba promovido pelo Teatro Guaíra em 2007, no 20° Festival del Sur / Ilhas Canárias – Espanha em 2007, no 9° Festival Internacional de Bonecos de Belo Horizonte em 2008, no 2° FITA Floripa– Festival Internacional de Teatro de Animação de Florianópolis/SC em 2009, na 9° Mostra Sesi de Teatro de Bonecos e Formas Animadas promovida pelo Sesi SP em 2009, no 13º Festival Internacional de Títeres de Santiago de Compostela – Espanha em 2008, no FIT – Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto em 2009 e na Mostra Sesc de Animação/SP em 2011. O espetáculo esteve em cartaz no Teatro de Arena da Caixa Cultural do Rio de Janeiro em 2008, no SESC Avenida Paulista em 2009, no Teatro da Caixa Cultural de Curitiba em 2010, no Sesc Santo Amaro/SP em 2011 e no Teatro Fashion Mall/RJ em 2014.

“As Coisas”, produzido com patrocínio do Banco do Brasil, estreou em abril de 2010 e esteve em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília e Rio de Janeiro. Em 2011, o espetáculo integrou a programação do 5º FITA Floripa – Festival Internacional de Teatro de Animação de Florianópolis/SC. Em 2012, foi contemplado com o FATE – Fundo de Apoio ao Teatro da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e reestreou no Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro. Em 2013, integrou a programação da Mostra Sesc de Teatro de Animação/SP e esteve em cartaz no Teatro Fashion Mall/RJ. Em 2014, esteve em cartaz no Teatro do Leblon/RJ e no Imperator – Centro Cultural João Nogueira/RJ. Em 2015, esteve em cartaz no Teatro Glaucio Gill.

“Valsa N°6”, montagem contemplada com o FATE – Fundo de Apoio ao Teatro, da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro estreou em 2012, no Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro. Em janeiro de 2013, esteve em cartaz no Teatro de Arena da Caixa Cultural do Rio de Janeiro. Foi selecionado pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2013/2014 e contemplado com o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz/2013 para circular por diversos estados brasileiros.

“Bonitinha, mas Ordinária” foi contemplada com o Programa de Fomento da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro em 2013. Estreou em janeiro de 2015, noCentro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro e em agosto de 2015 esteve em cartaz no Teatro de Arena da Caixa Cultural do Rio de Janeiro.

A Cia Teatro Portátil é formada por Alexandre Boccanera, Ana Moura, Flávia Reis, Guilherme Miranda, Julia Schaeffer e Laura Collor.

Visite o site: www.teatroportatil.com.br

ALEXANDRE BOCCANERA
Formado em direção teatral na Universidade do Rio de Janeiro, em dança contemporânea na Escola Angel Vianna e na London Contemporary Dance School. Foi bolsista do Programa de Bolsas Vitae de Artes. Trabalhou com importantes diretores do teatro brasileiro como Luis Antônio Martinez Correa, Bia Lessa, Moacir Chaves e João Falcão. É fundador e diretor da Cia Teatro Portátil, dirigiu os espetáculos “2 Números”, “As Coisas” ,“Valsa Nº 6” e “Bonitinha, mas Ordinária”.

FICHA TÉCNICA

Direção: Alexandre Boccanera
Elenco: Julia Schaeffer, Guilherme Miranda, Ana Moura e Laura de Castro
Trilha sonora: Felipe Trotta
Boneco: Fernando Sant’anna
Máscaras: Marise Nogueira
Cenário: Mina Quental
Figurino: Carol Lobato
Iluminação: Aurélio de Simoni
Produção Executiva: Clarissa Quintieri
Realização: Cia Teatro Portátil
Produção: Boccanera Produções Artísticas

SERVIÇO 

Espetáculo:  “2 Números”
Duração: 40 min
Classificação Indicativa: Livre
Local: Teatro Eva Herz – Livraria Cultura
Endereço: Rua Senador Dantas, 45 – Centro (Metrô: Estação Cinelândia)
Telefone: (21) 3916-2600
Temporada: 09 a 31 de outubro de 2015 (sextas e sábados)
Horário: 19:30h
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia).
Lotação: 178 lugares (4 para cadeirantes)
Bilheteria: de segunda a sábado, das 17h às 19:30h
Acesso para pessoas com deficiência

DEIXE UM COMENTÁRIO