Cia Perversos Polimorfos ocupa Praça das Artes com “Ensaios Perversos”

Perversos - Praca Artes
Perversos – Praca Artes

A Cia Perversos Polimorfos, dirigida por Ricardo Gali, realiza no próximo sábado, dia 4 de junho, na área de convivência interna da Praça das Artes, o primeiro “Ensaios Perversos”, ação cultural que propõe gerar um espaço de partilha entre distintos pontos de vista, em três momentos independentes, durante sete horas consecutivas: “Conversas sem Fim”, encontro aberto ao público com um convidado que desenvolverá um tema de interesse; “Preliminares”, espaço para que artistas e grupos pré-selecionados possam mostrar trabalhos que estejam prestes a acontecer; e “Compartilhamento informal de ideias”, com DJ, chef e bartender convidados para propiciar um ambiente de vivência e discussão informal entre o público presente na noite. Grátis.

Com início às 17h para recepção de público, Joyce Barbosa é a agente provocadora da primeira “Conversas sem Fim”, sobre o tema “É possível uma economia na dança?”. Mestre em Direito Econômico pelo Programa de Pós-graduação em Ciências Jurídicas da Universidade Federal da Paraíba – UFPB, Joyce Barbosa é especialista em Mediação, Conciliação e Arbitragem pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em seus 21 anos de trabalho com dança, lecionou na cadeira de Ciência Política da Universidade Federal da Paraíba – UFPB; participa do projeto PROCEDA, do Programa de Pós-graduação em Dança da Universidade Federal da Bahia – UFBA; e atualmente é diretora artística, coreógrafa e bailarina da Paralelo Cia de Dança, de João Pessoa – PB.

Às 20h30, “Preliminares” traz Andrea Yonashiro com “Uma Baleia Encalhada na Praia”, como pré-estreia do trabalho que a artista irá apresentar entre 10 e 12 de junho, no MAC Ibirapuera, dentro da “Ocupação Vesica Piscis”, uma mostra inspirada no teórico e bailarino húngaro Rudolf Laban. O trabalho é composto por um jogo simétrico entre um volume-pedra (que se assemelha ao volume de uma baleia encalhada na praia) e uma mulher grávida que dança e tem algumas ações estabelecidas em relação ao volume-pedra. O título não é uma metáfora para a situação da gravidez, e o volume-pedra não representa uma baleia. A pedra é somente pedra e a mulher somente mulher. Mas, essas matérias (pedra, som, dança, ação, mulher) estão presentes uma para a outra, para que seja possível materializar a idéia coreográfica descrita anteriormente. Essa idéia seria como um campo de força que coloca tudo que está em contato em estado de jogo, sejam coisas animadas ou inanimadas, matérias orgânicas ou inorgânicas.

Entre às 21h e meia-noite, durante o “Compartilhamento informal de ideias”, acontece o Dance Floor, Set-List com a DJ Cigarra (Ágatha Barbosa), que há nove anos, desenvolve pesquisas baseadas em culturas tanto ancestrais e orgânicas quanto urbanas e sintéticas, de eletrônicos guetificados ao rock psicodélico.

Durante todo o evento, estarão abertos uma cozinha, onde o chef André Fuser servirá sopas, salgados e doces, e o  Bar Perverso, com opções de vinho, cerveja, cachaça mineira, água, refrigerante e o Drink  Perverso (vodka, lichia e pimenta).

Propostos dentro do Projeto Retrovisor, contemplado pela 19ª edição do Programa de Fomento à Dança, os “Ensaios Perversos” vão acontecer mensalmente – num total de cinco eventos -, em diferentes espaços públicos da cidade, como forma de propiciar ambientes férteis que possam favorecer uma rede de estudos e discussões que semeiem a colaboração dos artistas da dança, estimulando aproximação e formação de público.

Para saber mais: www.perversospolimorfos.com.br

Serviço: Cia Perversos Polimorfos, dirigida por Ricardo Gali – “Ensaios Perversos, dia 4/6 (sábado), das 17h à meia-noite. Grátis. 17h – recebimento do público; 18h às 20h“Conversas sem Fim”,  com Joyce Barbosa (“É possível uma economia na dança?”); 20h30 –  “Preliminares”, espetáculo com Andrea Yonashiro (“Uma Baleia Encalhada na Praia”); 21h à meia-noite – “Compartilhamento informal de ideias”,  com DJ Cigarra, comidinhas servidas pelo chef André Fuser, e bebidas no Bar Perverso (formas de pagamento: dinheiro e cartão de débito).

Praça das Artes – Área de Convivência Interna (Avenida São João, 281 – 1º andar – Centro – entre as estações de metrô Anhangabaú e São Bento. Na data do evento o METRÔ funciona até 01h00).

Estacionamento

O estacionamento da Praça das Artes tem acesso pela rua Conselheiro Crispiniano, 354.

Para saber mais:

www.perversospolimorfos.com.br  

facebook.com/CiaPerversosPolimorfos

 

DEIXE UM COMENTÁRIO