Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas, em Santa Teresa, ganha primeiro Parque Musical do Rio de Janeiro

Em formato inédito na cidade, projeto que tem apoio da Vivo proporciona entretenimento coletivo por meio de instrumentos musicais criados exclusivamente para espaços públicos

Parque Musical (foto: Eny Miranda)
Parque Musical (foto: Eny Miranda)

O Rio de Janeiro acaba de ganhar uma área de lazer que contempla a prática musical de forma lúdica e integrada com a arquitetura da cidade. Instalado no Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas, em Santa Teresa, o Parque Musical é um playground sonoro, interativo e acessível a todos os públicos. O espaço de 32 metros quadrados abriga seis instrumentos de percussão inventados e produzidos pelo músico, criador e construtor de instrumentos mineiro Leandro César. Com patrocínio da Vivo por meio da plataforma Vivo Transforma, o projeto foi idealizado pela produtora Silvia Rezende, o diretor e professor de teatro e música Adriano Basegio e a cantora, compositora e instrumentista Gisa Pithan.

Inédito no Rio, o formato do Parque Musical é popular em países da Europa e nos Estados Unidos. Assim como as academias de ginástica ao ar livre – projeto bem-sucedido em muitas cidades brasileiras –, o Parque vai proporcionar aos cariocas e turistas uma atividade gratuita a céu aberto. “É uma academia do som. O público poderá tocar instrumentos divertidos independentemente de habilidade musical ou idade”, diz Adriano Basegio, que pesquisou modelos em diversos países antes de chegar a versão construída no Parque das Ruínas. “Será uma maneira de exercitar os músculos da imaginação e da escuta”, complementa o idealizador.

No Parque das Ruínas, o local escolhido para receber o Parque Musical foi a área da varanda, com vista privilegiada da região do Centro, Lapa e todo o contorno da Baía de Guanabara. O espaço criado pela cenógrafa Natália Lana abriga as peças desenvolvidas pelo músico, criador e construtor de instrumentos Leandro César em seu ateliê, em Belo Horizonte. “O deque foi confeccionado com madeira ecológica produzida com reciclagem de plásticos e fibras naturais. Esta opção de material salvou cinco árvores adultas de serem derrubadas, além de aproveitar 932 mil sacolas de supermercado que poderiam ser despejadas na natureza”, explica Natália.

Influenciado por Walter Smetak e Marco Antônio Guimarães, fundadores do grupo mineiro UAKTI, Leandro César trabalhou com o grupo mineiro por seis anos e começou a construir instrumentos musicais inéditos em 2007. Como o Parque Musical fica totalmente ao ar livre – sendo exposto as mudanças climáticas, como sol, chuva, vento; além da maresia e do desgaste pela manipulação dos objetos – foi preciso considerar todos esses aspectos na concepção das peças.

“Em geral, instrumentos musicais são de natureza frágil. Precisávamos de um material que fosse sonoro, resistente e seguro. Todas as peças são feitas de aço inox”, explica Leandro. O design também foi levado em consideração: cada instrumento foi projetado de maneira que não acumulasse água da chuva e tivesse diferentes formas e tamanhos. “É um projeto que propõe a atividade coletiva. Levamos em consideração todas as idades e acessibilidade. As alturas e formas das peças variam entre 80 centímetros e dois metros”, conta o músico mineiro.

Os seis instrumentos foram desenhados de forma que fossem funcionais e, ao mesmo tempo, tivessem um apelo visual. As peças lembram árvores e flores de um jardim. O Parque Musical reúne atabaques, campanas, metalofones, vibrafone e instrumentos totalmente inéditos.

Vivo Transforma
O projeto Parque Musical integra a plataforma Vivo Transforma, criada pela empresa em 2015 para promover a democratização do acesso à cultura e o envolvimento das comunidades em iniciativas voltadas essencialmente à música. Em 2016, serão mais de 90 projetos apoiados por meio das leis de incentivo fiscal, em diferentes regiões do país, com foco em transformação social, revelação de novos talentos e valorização da cultura nacional. O Rio de Janeiro é um dos principais beneficiados pela empresa, que prevê uma aporte superior a R$10 milhões em projetos ligados à cultura no Estado.

SERVIÇO: Parque Musical
Abertura: 26 de junho de 2016
Local: Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas
Endereço: Rua Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa
Telefone: (21) 2215-0621
Horário de funcionamento: de terça-feira a domingo, das 8h às 18h.
Entrada franca. Livre para todos os públicos.

DEIXE UM COMENTÁRIO